Diário de Bordo:

Saudações novamente meninos e meninas, estarei hoje com o meu quinto diário de bordo, as coisas vão começar a esquentar literalmente pro nosso pequeno aprendiz de herói:

Devo confessar que não me lembrava deste lugar, até porque eu odeio este labirinto, mas como não tem outro jeito, quer dizer, eu poderia usar o Game Genie para pular esta parte, mas o meu diário estaria completamente incompleto.

Logo após Hot Daisy, eu dou de cara com Burn Daisy, uma caverna tomada por magma quente que nem o meu quarto numa tarde de verão.

Qual é Mac? nem ta tão quente assim!
Qual é Mac? nem ta tão quente assim!

O lugar é feio, chato e cheio de bichos não identificados, além de ter uns foguinhos andarilhos e o chão que se abre em alguns pontos, devo memorizar bem as nuances desse lugar por que mais tarde, para o meu azar, terei de voltar aqui novamente.

No final do labirinto eu encontro o…

Quem ou o quê é você?
Quem ou o quê é você?

Sei lá o que diacho é isso, deve ser um tipo de vegetal psicotrópico mutante professor de balé! Só sei que é o chefe do lugar, ou assim ele acredita. Ele se divide em várias partes menores, mas percebo que existe um que é diferente, provavelmente o cabeça da patota e o que deverá ser atingido pela minha espada.

Vocês são da turma de balé de 1533?
Vocês são da turma de balé de 1533?

Após derrotar essa coisa estranha, mais um amiguinho entra pro meu grupinho de bichinhos bonitinhos, Cecil, o esquilo voador. Quando lançada a espada, Cecil faz com que a mesma fique ricocheteando nas paredes por um tempo determinado.

Mas que ótimo! Mais uma boca pra eu alimentar.
Mas que ótimo! Mais uma boca pra eu alimentar.

Até que em fim eu chego à floresta de Iris, espero finalmente acertar minhas contas com a tal da Vidente. Encontrei muitos monstros novos nessa floresta, mas combinando Cecil com Chilly, eu podia arremessar a espada para ela ir bem longe e assim poder ver além do que os olhos permitem.

Pena não haver lugar pra todo mundo aqui dentro desse buraco.
Pena não haver lugar pra todo mundo aqui dentro desse buraco.

Assim como é cheio de perigos, o Iris também esta repleta de riquezas, como sacos de moedas, maçãs douradas que aumentam o vital máximo e maçãs comuns que restauram o personagem. O lugar também possui duas vilas, a primeira é de humanos, nem adianta perder o tempo conversando com os habitantes, acima do mesmo existe um pequeno vale com uma Flor falante mercenária e um imenso buraco bem no meio do vale (Vou mostrar isso quando essa parte do jogo for relevante). A Flor informa que a Vidente ia construir um caminho, mas depois disso, ela desapareceu (Ótimo! Ajudou pra caramba!)

O segundo vilarejo é Medium Lily, habitada por de Animais, aqui eu encontro uma loja que vende o Edgar, o Ovo Bomba. Brownie, o coelho, me informa que na Torre Babel existem humanos que não conseguem entender uns aos outros, estariam eles passando pela mesma crise que Coronas? Seria bom investigar o caso já que não encontrei a Vidente aqui. Outra informação que obtive, é que tanto os monstros tocos quanto os demais residindo na floresta, foram criados por magia por um ser perverso que mora em Burn Daisy (Mas num se avexe naum! Isso é para outra ocasião). A minha barriga ta é roncando de fome, espero que alguém tenha alguma comida para me dar.

Nada de Papá?! Agora lascou-se! Onde é que eu vou conseguir comida?
Nada de Papá?! Agora lascou-se! Onde é que eu vou conseguir comida?

Nessa cabana (Imagem lado), experimente empurrar os blocos para tapar todos os buracos e depois falar com o esquilo para ver o que acontece. No final do vale, existe um obstáculo que precisa ser pulado, mas para isso é necessário aprender a correr. Mas antes:

Ainda em Medium Lily, por um caminho a Leste, existe uma pista de corrida gerenciada por Heidi, o coelho, se pagar para ele 20 Malins (Sendo 10% para Cheeta), Corona poderá desafiar a Cheeta, e se vencer ela entrará para o “Zoológico pessoal de Corona” (Ótimo! Mais um animal pra eu ter que dar comida).

Completado três voltas a frente do felino, ele entra para o grupo. (Clique na imagem para ela aparecer maior).
Completado três voltas na frente do felino, ele entra para o grupo (Clique na imagem para ela ficar no tamanho original).

Vencendo o Felino corredor, ele entra para o grupo. Quando “equipado”, faz Corona correr duas vezes mais rápido. Ótimo! Agora poderei pular o abismo do final da floresta. Mas isso fica para outra ocasião, esse capítulo do diário foi, por necessidade, um dos mais cansativos até o momento. Na próxima oportunidade eu concluirei essa parte da floresta (Que ainda faltam bastante coisas a se falar) e seguirei para o deserto Camellia antes de chegar na Torre de Babel.

Crusader of Centy – Fate of the World
Tagged on:             

3 thoughts on “Crusader of Centy – Fate of the World

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *