Olá galera do Gagá Games! Aqui é o retrogamer André Breder para levá-los em mais uma viagem rumo ao passado dos Video Games! Hoje vamos voltar para o ano de 1989! Tenham todos uma boa leitura e até a próxima!

Lançamentos importantes do ano de 1989

* Consoles:

O portátil Game Boy.
O portátil Game Boy.

– A Nintendo lança o console Game Boy, portátil de 8 Bits que tinha seus jogos no formato de cartuchos. Ele seria o primeiro console portátil a fazer um estrondoso sucesso no mundo todo, tendo vendido mais de 118 milhões de unidades durante sua existência. Já no primeiro ano de vida o console trouxe títulos de franquias famosas como Castlevania: The Adventure, Double Dragon, The Final Fantasy Legend e Super Mario Land.

– A SEGA lança o seu console de 16 Bits na América do Norte, onde fica conhecido como Sega Genesis.

– A NEC Corporation lança o PC Engine no território americano, onde recebe o nome de TurboGrafx-16.

– A Atari Corp. lança o console portátil Lynx, de 16 Bits, que chama atenção na época por sua qualidade gráfica e pelo seu design arrojado. De maneira curiosa, mesmo sendo um console mais avançado do que o concorrente Game Boy, o Lynx não consegue vender bem, e assim fica sem o interesse das grandes produtoras de games da época.

* Games:

Prince of Persia
Prince of Persia

– A Brøderbund lança o game Prince of Persia, desenvolvido por Jordan Mechner, que causou alvoroço na época por sua animação inovadora. O título foi lançado originalmente para o computador Apple II, mas depois recebeu versões para as mais variadas plataformas.

– A Maxis lança o game Will Wright’s SimCity, o primeiro game de uma série de jogos do gênero “simulação”.

– A Absolute Entertainment lança para o NES o game A Boy and His Blob: Trouble on Blobolonia, criação de David Crane. O game chamou atenção por sua jogabilidade inusitada, onde o personagem principal utiliza seu companheiro Blob, que pode se transformar em diferentes tipos de itens.

– O scrolling shooter Darius II é lançado para os fliperamas pela Taito, sendo a sequencia direta do primeiro Darius. A empresa lança também o game Rastan Saga II, para os fliperamas.

Final Fight
Final Fight

– A Capcom lança para os fliperamas o beat-‘em-up Final Fight, que causaria uma revolução no gênero. Final Fight se tornaria numa das franquias de muito sucesso da empresa, e o primeiro game teria versões lançadas para as mais variadas plataformas nos anos que se seguiram. Ainda em 1989, a Capcom lançaria outro três games interessantes para os fliperamas: o beat-‘em-up intitulado Dynasty Wars, que foi baseado em um manga japonês; U.N. Squadron, um scrolling shooter com aviões; e Strider, um excelente game de ação.

– A TAD Corporation lança para os fliperamas o curioso game Toki, onde o protagonista é transformado em um macaco, e deve salvar sua amada de um terrível feiticeiro.

– Desenvolvido pela Alpha Denshi e publicado pela SNK, o game do gênero beat-‘em-up Gang Wars é lançado para os fliperamas.

– A Anco lança para diversas plataformas o game de futebol Kick Off, que recebe grandes elogios da crítica na época, sendo considerado como um dos melhores games esportivos já feitos até então.

Akumajou Densetsu
Akumajou Densetsu

– A Nihon Falcom lança o sexto game da franquia Dragon Slayer, que recebeu o subtítulo The Legend of Heroes. Este RPG foi lançado originalmente para o NEC PC-8801, mas depois recebeu versões para diversas plataformas.

– O NES mostra que ainda está vivo, e tem títulos de peso lançados neste período, tais como: California Games, Dig Dug II, Dragon Warrior (lançamento em inglês do primeiro Dragon Quest), DuckTales, Mega Man 2, Ninja Gaiden, P.O.W.: Prisoners of War, RoboCop, Strider, Teenage Mutant Ninja Turtles, Tetris, Track & Field II, Ultima: Exodus e Willow.

– E o Famicom mostra que a geração dos consoles de 8 Bits também está longe de morrer no Japão, tendo lançamentos importantes como: 1943, Akumajou Densetsu (que em seu lançamento americano seria chamado de Castlevania III: Dracula’s Curse), Batman, Double Dragon II: The Revenge, Downtown Nekketsu Monogatari (que ficaria conhecido como River City Ransom em seu lançamento americano), Holy Diver, Rolling Thunder, Space Harrier, Splatterhouse: Wanpaku Graffiti, Top Gun 2 e Ultima: Seisha he no Michi.

Seibu Kaihatsu lança para os fliperamas o game de ação Dynamite Duke, que posteriormente ganharia versões para os consoles da SEGA.

Golden Axe
Golden Axe

– A SEGA continua mostrando sua força: no Master System lança games interessantes como Alex Kidd: High-Tech World, Battle Out Run, California Games, Dynamite Duke, Dynamite Dux, Galaxy Force, Ghouls ‘n Ghosts, Golden Axe, Out Run 3-D, Psycho Fox, SpellCaster, Tennis Ace, Time Soldiers, Where in the World is Carmen Sandiego? e Wonder Boy III: The Dragon’s Trap.

– E para o Mega Drive saem títulos de peso como Alex Kidd in the Enchanted Castle, Forgotten Worlds, Ghouls’N Ghosts, Golden Axe, Last Battle, Phantasy Star II, Rambo III, The Revenge of Shinobi, Super Hang-On e Thunder Force II.

– A Accolade lança o game de corrida The Duel: Test Drive II, para várias plataformas distintas.

– A U.S. Gold Ltd. lança para diversas plataformas os títulos Indiana Jones and the Last Crusade: The Action Game, baseado no filme de sucesso com o mítico personagem Indiana Jones; e Michael Jackson’s Moonwalker, game de ação com o Rei do Pop.

Teenage Mutant Ninja Turtles
Teenage Mutant Ninja Turtles

– A Konami lança para os fliperamas o scrolling shooter Gradius III, considerado como um dos mais difíceis episódios da franquia; e o game Teenage Mutant Ninja Turtles, um divertidíssimo beat ‘em up que em algumas máquinas podia ser jogado por até 4 pessoas ao mesmo tempo!

– A Irem lança para os fliperamas o horizontal scrolling shooter R-Type II.

– A Imagine Software lança para diversas plataformas o beat-‘em-up Renegade III: The Final Chapter, que não recebeu boas críticas na época, principalmente por seu modo de apenas um jogador.

– A Electronic Arts lança o game de estratégia Populous, para vários computadores e consoles. O jogo faria um enorme sucesso, e ganharia a premiação da revista Video Games & Computer Entertainment, como melhor game do ano.

– A Hudson Soft lança para o TurboGrafx-16/PC Engine o Action RPG Dungeon Explorer.

– A Telenet Japan lança o game Valis II para os computadores MSX, NEC PC-9801, Sharp X68000 e PC Engine Super CD-ROM².

Próxima parada: 1990

No próximo artigo vamos prosseguir para 1990, ano em que a Nintendo lançaria o seu console de 16 bits… até lá aventureiros do tempo!!!

Artigos anteriores

*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 1
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 2
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 3
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 4
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 5
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 6
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 7
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 8
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 9
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 10
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 11
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 12
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 13
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 14
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 15
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 16
*De Volta para o passado dos Video Games – Parte 17

Referências: Wikipédia

De Volta para o passado… dos Video Games – Parte 18

14 ideias sobre “De Volta para o passado… dos Video Games – Parte 18

  • 27/04/2010 em 8:10 am
    Permalink

    Cara, ano de lançamento do Prince of Persia!!! Realmente merece muito destaque. Vamos ver semana que vem, se o filme vai ser bom (apesar de não ter nada a ver com o jogo antigo e sim com a trilogia Sands of Time).
    Há, você lembrou de citar SpellCaster para o Master, que legal, aproveita da um pulo no meu blog e veja o review especial que fiz dele. Muita gente nem conhece o jogo.

    ps.: Primeirão???

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/04/2010 em 8:50 am
    Permalink

    Muitos jogos clássicos de qualidade nesse ano, nem dá pra comentar sobre todos eles, mas merecem destaque Prince of Persia e TMNT, esses dois jogos marcaram minha vida gamer. 🙂

    E destaque também para os lendários Gameboy e Genesis. Grandes consoles com certeza.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/04/2010 em 6:54 pm
    Permalink

    hehehe Acabei não comentando nos outros posts seus André, então não estranhe se começar a pipocar comentários lá pelos primeiros. hehehe Vou tentar lê-los todos no fim de semana.

    Muito legal isso que está fazendo. Facilita para o pessoal conhecer melhor o que foi aparecendo na história dos games. Incrível como depois do crash nos EUA, o Japão tomou as rédeas dos lançamentos. E o mais engraçado, muitas empresas centenárias no meio (como a NEC e a Nintendo). Se eles não tivessem feito esse revival na década de 1980, os únicos jogos que teriam seriam adventures lançados para PC e, quem sabe, adaptações de jogos de tabuleiro e cartas.

    E esse período (entre 1985-1990) é muito importante porque é a época que muitos gamers aqui no Brasil entraram de fato nesse universo. Seja por meio dos consoles compatíveis (NES e Atari) como pelos oficiais (Master System e Mega Drive).

    Neste post em específico, curti muito a lembrança de Rolling Thunder. Eu adoro esse jogo. E muitos outros que citou aqui. hehehe Mas não vou citar todos senão seria mais fácil dar um ctrl+c, ctrl+v.

    Mas está de parabéns. Muito bom!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/04/2010 em 11:34 pm
    Permalink

    A impressão que dá é que estamos num Delorean equipado com um capacitor de fluxo!

    Por onde eu começo, cara? Gameboy meu Deus, joguei MK nele e achei o máximo! Final Fight e Golden Axe são clássicos eternos!

    Test Drive 2 pro Mega Drive: ÓTIMO!!!!!! Viciante, jogabilidade à frente do seu tempo, belos cenários e músicas inesquecíveis. Sempre jogo esse aí. Sempre.

    Uma história legal sobre Gang Wars: eu e meu irmão fomos à um fliperama do bairro, que estava vazio na ocasião. Compramos umas 2 fichas, jogamos um pouco, perdemos, e ficamos uns 30 minutos admirando as telas “Insert Coin”. Aí, o dono chamou aqueles meninos e deu umas 20 fichas pra eles! SÉRIO!!! Sem zueira!!!!! Jogamos tudo em Gang Wars, com um sorrisão no rosto!!!!! Bons tempos!

    Ótima, ótima série Breder! Merece um Oscar retrogame de melhor série em 2010, caso essa premiação exista!

    Desculpem o texto longo.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 28/04/2010 em 2:21 pm
    Permalink

    O Senil :

    Mas está de parabéns. Muito bom!

    Valeu Senil pela força!

    Daniel “Talude” Paes Cuter :

    Prince of Persia é na minha opinião um dos games mais geniais já feitos e praticamente livre de bugs! Além da grande Jogabilidade que tdas as versões têm!

    Faz muito tempo que eu joguei Prince of Persia, mas realmente eu não me lembro de ter me deparado com algum bug do jogo… agora fico na dúvida se o caso é que o game é bem feito mesmo, ou a minha memória que tá bem fraca… 8)

    Elielson :

    A impressão que dá é que estamos num Delorean equipado com um capacitor de fluxo!

    A intenção foi mesmo essa, ainda mais com o título desta série de posts, que é uma referência a trilogia De Volta para o Futuro.

    Elielson :

    Ótima, ótima série Breder! Merece um Oscar retrogame de melhor série em 2010, caso essa premiação exista!

    Desculpem o texto longo.

    Que isso… mas mesmo assim agradeço pelas palavras. Tudo o que estou fazendo é compartilhando o conhecimento que venho adquirindo sobre o passado dos games por meio de pesquisas no Wikipedia. O mérito é todo do nerd que inventou aquilo lá! 🙂

    E quanto aos comentários, não esquente se o texto vai ficar longo, pode escrever a vontade e sem medo de ser feliz!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • Pingback:Gagá Games » De Volta para o passado… dos Video Games – Parte 20

  • 15/05/2010 em 1:20 pm
    Permalink

    AC Gradius 3 é o jogo de nave mais difícil que joguei na vida.
    não consegui terminar até hoje e me recuso a ver superplays
    de youtube e coisa do tipo. putz.

    Alguém ai chegou a terminar Valis 2? era o jogo mais
    comentado da época por causa das cenas no meio das
    fases.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *