Capítulo 4 – O Túmulo de Garai
Na última parte do Diário, consegui finalmente comprar as Magic Keys, necessárias para abrir várias portas espalhadas por várias cidades e dungeons no jogo. Além disso, encontrei algumas pessoas que forneceram informações intrigantes sobre a história, dando inclusive dicas valiosas. A primeira coisa que fiz foi sair de Rimuldar e usar uma Wing of Chimaera, voltando ao Castelo Radatome num passe de mágica.

Perto da entrada do Castelo, uma das salas contém vários tesouros. Conversando com o guarda ali, ele me fala o seguinte: – Se você for um herói de verdade, não vai roubar nada daqui. Se ele pensou que com essas palavras iria me dobrar facilmente, caiu do cavalo. Peguei uma Agility Seed, uma Magic Nut, uma Magic Key e 350 Gold nos baús da sala!

tarde demais colega...

Subindo e dobrando à direita, abri outra porta e achei mais um vendedor de Magic Keys ali. Ótimo! Mais abaixo, um padre pode me curar de graça sempre que eu precisar. Ao lado, um guarda me faz um desafio, atravessar o piso azulado até o outro lado, me lembrando que posso morrer no processo. Atravessei e conversei com outro cara do outro lado: – Se você é um herói de verdade, destruirá os monstros que encontrar no Túmulo de Garai. Vá até Garai e dê uma olhada na parede mais escura, fazendo isso, uma passagem vai se abrir. Quando eu for pra Garai eu dou uma olhada isso. Por enquanto, saí do Castelo e segui para cidade de Radatome, ao lado. Destranquei a porta abaixo e, conversando com o guarda ali, ele me contou algo sobre fadas que podem por os Golems para dormir. Na porta trancada ao norte, achei uma loja que vende Holy Water, um item que me protege contra encontros aleatórios com monstros por um determinado tempo. Comprei algumas e segui para Garai, à noroeste de Radatome. Em Garai, meu primeiro objetivo foi abrir a porta ao norte e entrar na construção. Lá dentro existem 3 baús, mas somente dois deles são visivelmente alcançáveis. Dentro deles, uma Torch e uma Copper Sword, nada muito útil. O outro tive que esperar o homem sair dali pra eu poder entrar, peguei 630 gold nele! Do lado, abri a porta e uma velhinha se espantou com o ato, me entregando outra chave em seguida. Ao alto, dá pra notar a tal parede escura que o carinha do Castelo Radatome mencionou. Andei por ali e achei uma entrada no meio dela! Dali eu saí em um corredor com um mago no final, me desafiando a sair vivo do Túmulo de Garai. Pois bem, vamos ver do que se trata!

os baús do carinha e o aviso do mago: quase uma intimação

O Túmulo de Garai não é lá tão difícil assim, pelo menos no primeiro andar. Os corredores escuros podem confundir um pouco, mas logo se acha o caminho certo. Encontrei uma sala com 3 tesouros: uma Magic Key, 356 gold e um Nut of Life. Seguindo pela parede da direita e descendo, encontrei uma porta onde usei uma Magic Key. Agora começam os problemas. Desci pela escada e cheguei em uma sala com várias delas. Desci randomicamente por uma delas e saí numa sala enorme, aparentemente em espiral, onde os inimigos são mais fortes. Alcancei o level 12 nessa sala, ganhando a magia Outside, que julgo servir para sair de calabouços e masmorras. Essa parte mais baixa é bem difícil, os inimigos tiram muita energia e o local é cheio de paredes, um labirinto infernal! Pra piorar a situação, a minha tocha se apagou, o que indica que devo andar com umas 2 delas no inventário, no mínimo. Tive que usar a magia Outside pra poder sair vivo. Voltei pra lá, dessa vez equipado com várias Torchs e desci até o terceiro andar do subterrâneo. Enfrentei tantos monstros que acabei chegando no level 13, ganhando uma magia nova, a Return. Após uma série de indas e vindas, achei uma escada que me levou à outra, consequentemente indo parar no quarto andar do subsolo, onde achei um piso azulado com uma harpa em frente à uma lápide. O item se trata da Silver Harp! Pra que serve? Ainda tenho que descobrir, mas parece ser um item importante… Como eu acho que não tenho mais nada pra fazer aqui, usei a magia Outside e fui dormir no INN de Garai. Semana que vem eu continuo minha jornada, por hoje chega de túmulos e labirintos!

Diário de Bordo: Dragon Quest, parte 4

4 thoughts on “Diário de Bordo: Dragon Quest, parte 4

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *