Comprei um monte de velharias de arcade para o meu Switch no mês passado. Como estou me divertindo jogando esses negócios e fala-se muito pouco de arcade aqui no Gagá Games, acho que vou fazer uma série sobre o tema. Se vingar, o foco deve estar em arcades da SNK, Namco e Data East lançados nos anos 80, que são os jogos incluídos nas coletâneas que peguei. Tem altos clássicos aí no meio, mas também tem umas pérolas interessantíssimas que pouca gente conhece, como o jogo de hoje.

Sasuke vs Commander é meio que uma nota de rodapé na história dos arcades. Não é um game extraordinário, mas é curiosíssimo e engraçado também (às vezes, intencionalmente; às vezes não). Assim como outros jogos da SNK que devem pintar por aqui, joguei no Switch pela excelentíssima coletânea SNK 40th Anniversary Collection (altamente recomendada e merece um post à parte).

Como resistir a esses lindos gráficos coloridos? Flyer cortesia do The Arcade Flyer Archive

A SNK lançou SvC nos arcades em 1980. Trata-se de uma variação de Space Invaders, o que não era vergonha para ninguém. Desde 1978, Space Invaders vinha papando fichas loucamente no Japão e vários jogos copiavam, criavam variações ou tentavam evoluir a fórmula.

No caso deste joguinho, o jogador controla Sasuke na base da tela, movendo-se da esquerda para a direita enquanto os inimigos — ninjas! — se jogam do alto sobre o nosso herói. Ou seja, é Space Invaders com ninjas no lugar dos alienígenas.

Para um jogo tão simples, SvC até que diverte bastante. A fórmula do Space Invaders realmente era muito boa. A maior diferença é que os ninjas descem com tudo, cruzando a tela na diagonal enquanto atiram shurikens. Para complicar as coisas, quando você mata um ninja, ele cai que nem uma jaca e pode te matar também. Some ninjas vivos, mortos e shurikens e você logo estará dançando sob uma chuva letal.

Depois que você derrota a primeira leva de ninjas vermelhinhos, vêm os ninjas verdinhos que são mais rápidos ainda. Exterminando todo mundo, é hora de enfrentar o chefe. Há dois chefes básicos: o vermelhão cospe-fogo e o moço que é tipo o Raijin, deus do trovão japonês (se não conhece, imagine o Raiden do Mortal Kombat). Esses dois chefes se repetem, mas suas habilidades mudam um pouco a cada aparição. Num dado momento, um deles se transforma em um negócio verde que parece um… sapo? Vai entender.

Olha, gente! É o Raiden antes da fama!

Como de costume nos arcades da época, o jogo vai loopando cada vez mais rápido e difícil. Acho que não tem final, e como diria Revolver Ocelot, “There are no continues, my friend”. Não dá para colocar mais fichas; perdeu, já era, tem que começar do zero.

Os gráficos eram coloridos e acho que até muito bonitos para a época, duvido que alguém tenha reclamado. Tenham em mente que, pelo menos até 1980, ainda pintavam uns jogos de arcade em preto e branco.

Se até agora você está achando que Sasuke é um jogo nota seis sem nada de muito relevante, segure esta bomba: Sasuke vs Commander tinha uma trama!

… e a trama é isso aí

Ok, você pode estar dando risada de “Protect My Life From Ninja”, mas nessa época os jogos de arcade não ofereciam nem isso de história. Tela nenhuma em Space Invaders dizia “detenha a invasão alienígena”. Se você não lesse algum material de marketing ou não usasse a imaginação, a trama era só “Insert Coin” e boa viagem. Portanto, ponto para o Sasuke.

Outro fato curioso é que aqui nós temos o primeiro uso da palavra “boss” (“chefe”) para designar um fortão digital num jogo de videogame. Pelo menos é o que diz o Museu da coletânea, e deve ser verdade mesmo.

Primeiro item à direita: “Game going on, the boss of the Commanders…”. Flyer cortesia do The Arcade Flyer Archive

Sempre achei meio bizarro o uso da palavra “boss” nos games, e como SvC é um jogo japonês com texto em “engrish”, fica mais fácil entender como isso aconteceu. O Museu, inclusive, alega que este foi o primeiro jogo a ter um chefe, independente do uso do nome. É um pouco mais difícil de comprovar isso e vou precisar da ajuda dos universitários, mas se não for verdade, deve pelo menos estar perto de ser.

O que o Museu não destaca, porém, é a tela de Game Over. Eu adorei, já virou meu Game Over favorito. Vejam só como a jornada épica de Sasuke para proteger o Shogun dos ninjas termina quando você dá mole:

Gagarcade: Sasuke vs Commander (SNK, 1980)

4 ideias sobre “Gagarcade: Sasuke vs Commander (SNK, 1980)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *