Olá velharada do Gagá Games! Aqui é o seu velho amigo André Breder trazendo mais uma edição do Recordar é envelhecer! Hoje vou relembrar um game de ação/plataforma do NES que, acreditem, não fica devendo em nada para o melhor game da série Super Mario lançado para o console de 8 Bits da Nintendo (sim, estou me referindo ao clássico imortal Super Mario Bros. 3): trata-se de Kirby’s Adventure, um game extremamente divertido que foi lançado no ano de 1993, e que por muitos é considerado como o mais belo jogo lançado para o NES em termos gráficos! Tenham todos uma boa leitura e até a próxima!

O jogo

Kirby pode parecer um jogo bobo à primeira vista, ainda mais por ter como personagem principal um ser que é praticamente uma “bola” cor-de-rosa. Ridículo, não? Nada disso! Kirby é um personagem muito bacana, que pode engolir seus inimigos e assim aprender suas habilidades, para então utilizá-las para a justiça! Tudo bem, Mega Man já fazia isso antes, mas enquanto o robô da Capcom podia copiar apenas os poderes dos robôs chefes, Kirby pode absorver as habilidades de qualquer inimigo, não apenas dos chefões, mas desde que os mesmos tenham alguma habilidade especial para ser aprendida, claro. Ao todo são 25 habilidades que Kirby pode aprender e utilizar ao seu favor!

A história do jogo é a seguinte: Nem tudo vai bem em Dream Land. Por alguma razão misteriosa, os moradores da pacata cidade não podem mais sonhar, pois o Dream Spring – uma espécie de poço que guarda os sonhos – não está mais funcionando. Agora todos estão desesperados, pois seus piores pesadelos atormentam o sono outrora tranqüilo. Kirby, porém, descobriu que o malvado rei Dedede roubou a Star Rod, acabando com a energia mágica que alimenta a Dream Spring. O herói deverá então avançar nos diversos estágios engolindo as habilidades dos oponentes, recuperar os pedaços da Star Rod e restaurar o sonho tranqüilo na Dream Land.

O jogo se divide em 7 mundos, cada um com seis fases e mais um chefão a ser vencido no final. Mas para fechar o jogo com 100% será necessário “fuçar” bastante à procura de salas secretas e vencer as fases especiais(mini-games) que cada mundo possui. E falando em fases especiais, este jogo tem várias e todas são bastante interessantes e dão ótimas recompensas para o jogador, como pontos e vidas extras! Após cada fase normal ser terminada, Kirby terá que pular o mais alto possível numa plataforma(é uma espécie de fase bônus) para assim melhorar sua pontuação ou até mesmo ganhar uma vida extra.

Em Kirby’s Adventure, o progresso do jogador no jogo sempre será salvo automaticamente. Isto é um ótimo recurso para poder continuar a aventura quando quiser ou puder. Ainda mais que o jogo é bem grande, e terminá-lo em um mesmo dia não seja uma tarefa das mais fáceis, apesar de não ser impossível também.

Gráficos e Sonoridade

Os gráficos do jogo são belíssimos! Cada cenário tem suas próprias características, sendo bem diferentes entre si, bem coloridos e bonitos! A animação e o desenho dos personagens está praticamente perfeita! Palmas para o excelente trabalho da Hal Laboratory que utilizou os recursos gráficos do NES ao máximo! Kirby’s Adventure é um colírio para os olhos!

Os efeitos sonoros são excelentes! Os sons do jogo são bem diversificados e todos de um bom gosto indiscutível. Todos tem um tom bem infantil, claro, mas não poderia ser diferente em se tratando de efeitos sonoros de um jogo como este, que foi feito para agradar as crianças.

A trilha sonora é extensa e digna de um oscar dos videogames! Músicas em sua maioria bem alegres, dão um ótimo e gostoso clima para a aventura de Kirby em Dream Land! Aumente o volume e curtas as ótimas músicas deste jogo!

Jogabilidade e Dificuldade

Os controles não poderiam ser melhores! Todos os comandos funcionam bem e dão grande dinamismo ao jogo. Kirby pode pular, dar rasteira, engolir inimigos, correr, voar… é de fazer Mario morrer de inveja perto de tantos comandos e ações possíveis! Ah, e quando engolir algum inimigo basta apertar o direcional para baixo para ver se o mesmo tem alguma habilidade para ser aprendida. E caso queira “liberar” alguma habilidade que você aprendeu mas que a considera pouco útil ou inferior a outra que você pode pegar na mesma fase, não hesite em apertar o botão “Select”.

Kirby não chega a ser um jogo difícil, apesar de ter muitas fases cheias de diversos obstáculos e inimigos. O jogador dever ser inteligente e utilizar de forma sábia as habilidades que melhores funcionam em cada etapa do jogo, para não passar por apuros. Os chefes e sub-chefes possuem sempre uma forma básica de atacar, então a dica é prestar atenção nisso antes de sair atacando, para que seu ataque possa ser preciso e eficiente.

Conclusão

Kirby’s Adventure é com toda certeza um dos melhores jogos de plataforma lançados para o NES, sendo tão bom e divertido quanto o clássico Super Mario Bros 3. E não se assuste se encontrar pessoas que consideram este jogo como o melhor de todos os jogos de ação lançados para o console de 8 Bits da Nintendo, pois o jogo é realmente fantástico!

Recordar é envelhecer: Kirby’s Adventure (NES)

20 ideias sobre “Recordar é envelhecer: Kirby’s Adventure (NES)

  • 28/11/2009 em 3:20 am
    Permalink

    Breder, esse game é simplesmente SURPREENDENTE!!
    Não diria que ele é melhor do que Mario 3 por alguns motivos como dificuldade muito baixa, é bem mais curto, e o fator replay que apesar de ser muito bom, também não supera o jogo do Bigode, mas sonora e graficamente dá um pau nele e em qualquer jogo 8 bits ever.

    JOGASSO!!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 28/11/2009 em 7:32 am
    Permalink

    Cpt.Guapo :

    Pra mim, junto com Vice: Project Doom, são os melhores jogos do Nintendinho. SMB 3 vem em terceiro.

    Vice: Project Doom é um grande jogo mesmo! Falarei mais sobre ele em um futuro próximo aqui no Gagá Games.

    Sabat :

    Breder, esse game é simplesmente SURPREENDENTE!!
    Não diria que ele é melhor do que Mario 3 por alguns motivos como dificuldade muito baixa, é bem mais curto, e o fator replay que apesar de ser muito bom, também não supera o jogo do Bigode, mas sonora e graficamente dá um pau nele e em qualquer jogo 8 bits ever.

    JOGASSO!!

    Eu ainda prefiro o Super Mario Bros. 3 como meu game preferido de NES (empatado com Castlevania III) mas tenho que confessar que em vários pontos Kirby’s Adventure acaba sendo superior ao jogo do italiano barrigudo. Foi um game que demorei a jogá-lo, mas quando o fiz, fiquei surpreso com sua qualidade, pois não esperava encontrar um game de plataforma tão original e bacana como ele. Apesar do NES ter uma dezenas de bons games neste estilo, Super Mario Bros. 3 continuava imbatível, e Kirby’s Adventure foi o único que conseguiu chegar perto de tirar o game do Mario do pódio, na minha opinião.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • Pingback:Tweets that mention Gagá Games » Recordar é envelhecer: Kirby’s Adventure (NES) -- Topsy.com

  • 28/11/2009 em 8:47 am
    Permalink

    Gran artículo de un juego que siempre quiero jugar, lo he intentado con la versión de Game Boy, pero siempre lo dejo a medias.
    Con la versión de NES no he probado, a ver si me pongo la rom en la GP32 y lo pruebo a ver si me engancha.
    Y es que soy fan de SEGA pero siempre el personaje que mas me ha llamado la atención de Nintendo es Kirby mas que Mario.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 28/11/2009 em 10:21 am
    Permalink

    @JuMaFaS

    Valeu JuMaFaS! Quando tiver tempo jogue o Kirby do NES e não se arrependerá!

    @Kal “Bangagá”

    Já eu nunca vi um cartucho do Kirby’s Adventure. Se o encontrasse na época em que eu tinha um clone de NES, teria o comprado. Seria uma ótima compania para o meu cartucho de Super Mario Bros. 3 (versão nacional da Dismac, fabricante do Bit System).

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 28/11/2009 em 10:43 am
    Permalink

    @André “Caduco” Breder
    Pois é, infelizmente na época eu não tinha um NES (Alias, eu nunca tive um, sempre fiz parceria com o Lucas: Eu tinha um Master System e ele um Nintendinho e a gente alugava os jogos e jogava nos dois). Genial a idéia de poder absorver o poder de qualquer monstro! Se bem que me lembro do Castlevania: Aria of Sorrow que tem algo parecido com isso (um que você absorve almas no GBA, mas tem uma probabilidade pequena, dependendo do inimigo.) Kirby inspirou gerações ^^

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 28/11/2009 em 4:39 pm
    Permalink

    Washington :
    Vejam só este post que fiz uns seis meses atrás no OuterSpace , fala de alguns jogos que aproveitaram bem a capacidade do Nintendinho:
    http://forum.outerspace.terra.com.br/showthread.php?t=151441

    Muito bom cara!!

    @André e @todos ai

    Eu gosto demais desse kirby, tenho o cartucho original ainda, mas uma coisa que me indaga é o seguinte:

    Alguém conseguiu fazer 100%??
    Eu cheguei a 99%, fiquei suspeitando que o que me faltava estava naquela penúltima/ultima fase que é em preto e branco, revirei ela durante vários dias e nada…

    Grande post vlw

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 28/11/2009 em 10:11 pm
    Permalink

    Obrigado por fazer várias imagens, deve ter dado um trabalhão. Eu nunca fui muito com a cara do Nes no quesito gráfico, mas esse aí mostra que ele tinha potencial sim, bastava um pouco mais de desenvolvimento e talento.

    Fico imaginando uma pergunta: Qual foi o jogo com gráficos mais bonitos do Master System? Ou do Msx, etc…? Bateu a curiosidade.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 29/11/2009 em 2:03 pm
    Permalink

    Kirby foi uma grata surpresa pra mim, na época em que ainda era iniciante nesse troço de emuladores e tal, na procura por roms random, cheguei a esta maravilha!
    Apesar de q o único q me deu trabalho MESMO foi o last boss!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 29/11/2009 em 8:34 pm
    Permalink

    Pô to doido pra jogar Kirby, quando eu resolvi comprar meu dingoo foi um dos primeiros jogos que me veio a mente junto com mario, zelda e sonic. Nunca joguei nenhum jogo do Kirby por isso q tenho essa vontade imensa, só me lembro dele em super smash bros.(que eu joguei pouco).

    Belo review, matou um pouco da minha vontade de ver essa bola cor-de-rosa em ação hahahha

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 01/12/2009 em 2:17 am
    Permalink

    Obrigadão mesmo pelas respostas !!! Se Orakio permitir , posto aqui mesmo essa matéria mais completa e com mais jogos que mostraram que : “Com bom comhecimento de hard e software , talento e vontade , é possível fazer jogos maravilhosos mesmos nos sistemas mais limitados” . Valeu …

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 29/12/2009 em 6:18 pm
    Permalink

    *tentando diminuir minha fila de leituras atrasadas*

    Nunca joguei Kirby. Todo mundo elogia, e nunca joguei. Promessa: vou jogar hoje à noite no Dingoo, amanhã conto o que achei.

    Washington, legal o seu post, parabéns! Eu não vou colocar aqui porque no Gagá Games gosto de posts cheios de texto e com poucas imagens. O seu é justamente o contrário, he he 🙂

    Isso não é ruim não, não é crítica, é só um estilo diferente. Inclusive, suas palavras foram poucas mas bem escolhidas. Fiquei curioso com o tal do “Langrage Point”, vou acabar dando umas partidinhas. Você disse que só saiu no Japão, mas pelo visto tem um patch para o inglês, não é? As fotos têm texto em inglês. É RPG de ficção científica?

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 30/12/2009 em 2:10 pm
    Permalink

    Orakio Rob, “O Gagá” :

    Promessa é dívida: joguei o Kirby e gostei pra caramba! Os gráficos são bem melhores do que eu imaginava, fiquei surpreso. O lance de engolir os inimigos para pegar o poder deles é muito interessante. Fui até o terceiro “mundo”, depois vou jogar mais.

    Kirby é um jogo que normalmente olhamos com certo preconceito, mas basta jogá-lo uma vez para mudarmos nossos conceitos! É realmente um jogão!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • Pingback:Gagá Games » De Volta para o passado… dos Video Games – Parte 22

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *