Olá meus amigos e compatriotas de jogatina retrô. Como meu primeiro post de 2012, estou apresentando a Retro Unboxing. A proposta aqui é mostar sempre que possível, como o nome sugere, um “despacotamento” (existe isso? 🙂 ) de alguma coisa retrô relacionado a games, fazendo uma breve análise da primeira impressão e ilustrando com bastante fotos. Na verdade eu queria fazer vídeos, porém descobri hoje que a memória interna do minha máquina digital só dá pra fazer 1 minuto de video numa qualidade de 600×480 STD 🙁 Até eu comprar um cartão SD, infelizmente vai ter que ser assim, pois tenho mulher e cachorro pra sustentar e o Gagá já não me paga salário há anos!!! 🙂 *nota do Gagá: Piga, seu maldito, agora além de ficar sem salário vai ter que fazer um Diário de Bordo de um dos Zeldas de CD-I como punição*

A Retro Unboxing não será uma série propriamente dita. Ela só irar aparecer quando eu tiver alguma coisa pra mostrar. E eu vou mostrar hoje o Atari Flashback.

A caixa por vários ângulos.

Começando do início.

Quem já acompanha o Gagá Games já deve saber que o Gagá é cliente de carteirinha da DealExtreme, um site chinês que vende todo o tipo de bugiganga, inclusive games. Pois bem, quando eu estava dando uma “passeada” por lá, ví esse Atari a venda, novinho e sorrindo para mim. A princípio pensei de ser um clone xing-ling, mas descobri por depoimentos dos compradores do site e por outras fontes na internet que, sim era um console genuíno da Atari e foi o primeiro Atari Flashback lançado.

O mais alardeado e o qual eu tomei conhecimento primeiro foi do Atari Flashback 2, que imitava em seu design o Atari 2600. Este aqui foi baseado no Atari 7800, um modelo que na época de seu lançamento lá na metade da década de 80 passou batido pela maioria dos brasileiros. Voltando ao passeio que eu estava dando no site da DX, quando vi sendo vendido a um precinho camarada, com frete grátis pro Brasil, achei uma ótima oportunidade de além de testar o site, adquirir um item da Atari, pois o meu 2600 da Polyvox já tinha trocado de dono havia séculos! Graças a última greve dos Correios em 2011, meu Atari levou quase três meses pra chegar 🙁

Quando abrimos a caixa.

Aeeeê!!!! Chegou!!!

A primeira coisa que eu fiz foi inspecionar a embalagem. Respirei aliviado depois de ver que, tirando uns amassados clássicos nas pontas da caixa, o Atari sobreviveu à greve dos Correios sem tropeços. A impressão da caixa é muito bonita e bem feita e em nada lembra aquelas caixas com qualidade de xerox. Ao abrir a caixa vemos na contra-parte da tampa um adesivo colado da Atari.com e o console e seus acessórios acondicionados numa estrutura interna de plástico PVC do tipo 3. A tampa é de plástico PVC também, porém ela é transparente e se encaixa por fora da estrutura anterior.

A primeira coisa que fui olhar foram os manuais. O manual de instruções tem 41 páginas e somente a capa e a contra capa são impressos em colorido num papel tipo brilhante. Já seu interior é em preto e branco em papel comum. Porém a resolução da impressão interna é tão boa quanto a externa colorida. O outro manual é um folheto de propaganda de vários produtos e jogos da Atari para diversos sistemas. Ele é menor, tem 16 páginas porém ele é todo colorido impresso em papel brilhante.

Os manuais e algumas páginas.

E o console?

Hora da nostalgia! Pra começar ele é bem pequeno. Mede 15×12 cm. Como nunca vi um Atari 7800 ao vivo, só em fotos, minha comparação foi logo com o clone de NES da Gradiente, o Phantom System. Pra quem não sabe, a carcaça do Phantom foi aproveitada da linha de montagem do Atari 7800 que a Gradiente iria lançar por aqui.

Não existe entrada para cartuchos e a diferença que não faz tanta diferença assim é que os botões tem os cantos arredondados enquanto no original eram retos. Na traseira além do plug para ligar a fonte, uma saída AV (mono). Não há saída RF. No original não possui saída AV. Outra coisa, o console é todo lacrado. Não há um repiro pra saída de ar quente por nenhum lugar. Ele consome apenas 7W, ou seja, pra ele esquentar só se você deixar ligado no sol. A etiqueta vermelha em cima do console é feita do mesmo papel brilhoso do manual. Não é uma plaqueta. Logo se passar líquido ou qualquer coisa em cima dela a tendencia é estragar rápido. Já o plástico do console é muito bom. Lembra o plástico dos Atari 2600 da Polyvox!

O console por todos os lados.

Falando do controle.

Agora é que são elas! 🙂

O controle do Atari Flahback também é baseado no controle do Atari 7800. Os dois botões de ação são nas laterais e a alavanca segue o mesmo desenho do original. As diferenças são o tamanho, já que nosso controle é menor, porém ele tem dois botões a mais, que são o pause e o select que no 7800 original ficavam no console. O plug é igual ao original do 2600 e tem o logo da Atari em relevo. Os botões de ação (os vermelhos) são muito bons também e lembram os botões do controle original do 2600 também. Já os botões pause e select eu senti quando apertei que são um poucos mais frágeis, porém você vai utilizá-los muito pouco.

A construção do controle me surpreendeu também. Usa o mesmo plástico de boa qualidade do console e pasmem, a alavanca é muito precisa e firme. Nisso o acerto foi na casa da coruja, já que o controle do 7800 original era vagabundo, molenga e quebrava a toa. A única coisa propensa a estragar no controle é o decalque vermelho do logo da Atari logo abaixo do botão select. Ele é feito do mesmo material da etiqueta do console e pra quem transpira muito, isso pode ser ruim.

Os controles em toda sua glória.

A fonte e o cabo.

Pra terminar olhei o cabo AV e a fonte. Do primeiro não tem muito o que dizer. São as típicas pontas amarela e branca, 1 mt de comprimento de qualidade razoável. A fonte é diferente dos modelos originais. É pequena, bem construída, não esquenta nada e a etiqueta de especificações técnica é uma plaqueta brilhosa, que não vai estragar tão cedo. O cabo tem 1,5 m e os pinos são aqueles retos e chatos, do mesmo tamanho.

Fonte e cabo: Não saia sem eles!

Os jogos.

Como não há entrada para cartuchos, você tem que se contentar com os 20 jogos que estão incluídos na memória. Agora vem a bizarrice. Somente 5 jogos são do Atari 7800. Os outros jogos são do Atari 2600.  Não é picaretagem da Atari. Como o 7800 foi um fracasso de vendas, não há muitos jogos pra ele. E jogos bons então, se conta na mão direita!

Quando ligamos o videogame, aparece em um fundo azul um gráfico do console 7800 original e duas pilhas de cartuchos com dez cartuchos cada, uma de cada lado. Conforme você for selecionando o cartucho, o nome do jogo vai aparecendo (em ordem alfabética) e o contorno branco de seleção vai trocando de cartucho. Acabou um lado, se passa pro outro. O áudio, o video, a jogabilidade e o desempenho geral do sistema não tem diferença nenhuma do hardware original. É exatamente tudo igual. O que tem aqui que não existia no original é que todos os jogos, inclusive os do Atari 2600 podem ser pausados e aparece uma escrita “pause” em todos os jogos. Isso nem os emuladores tem! 🙂

A tela de seleção de jogo; o game Adventure (2600) e o Desert Falcon (7800) pausados.

Ah, antes que eu esqueça, segue a lista de games abaixo:

Atari 7800:

– Asteroids
– Centipede
– Charley Chuk’s Food Fight
– Desert Falcon
– Planet Smashers

Atari 2600:

– Adventure
– Air-Sea Battle
– Battlezone
– Breakout
– Canyon Bomber
– Crystal Castles
– Gravitar
– Haunted House
– Milipede
– Saboteur
– Sky Diver
– Solaris
– Sprintmaster
– Warlords
– Yar’s Revenge

Desligando o sistema

No geral eu fiquei satisfeito com a compra a ponto de vir aqui recomendá-la a vocês. Existem dois pontos aqui que são importatntes. O produto tem uma fabricação boa e pode ser a última oportunidade de alguém aqui comprar um hardware da Atari lacrado de fábrica a um preço reduzido. A recepção dos Ataris Flashback 1 e 2 não foram boas e duvido muito que a Atari lance alguma coisa de novo. O Atari Flashback 2 já se esgotou e já tão pedindo caro por ele nos sites de leilões como o Ebay e o “Facada” Livre. Sei que a lista de jogos é pouca e precária, mas quem ainda tem um apego nostálgico como eu por exemplo, vale a pena.

Se você quiser comprar clique AQUI. Nem eu, Gagá ou outra pessoa da equipe ganhamos alguma coisa.

Homenagem ao meu fihote canino que vai fazer 2 aninhos em 05/02/2012. Ele acordou com o barulho do Atari Flahback enquanto eu fazia este review. Olha a cara dele de “fulo da vida” por ter sido interrompido no seu sono da beleza!  Fui punido com 5 mordidas no dedão do pé pela minha insolencia. Aprendiz de Talibã detected.

Bom pessoal, até a próxima!

Retro Unboxing: Atari Flashback

26 ideias sobre “Retro Unboxing: Atari Flashback

  • 30/01/2012 em 4:21 pm
    Permalink

    Hahahá , gostei da piada sobre o “PAUSE” nos emuladores (Que além de pause , tem cheats , save states , filtros , etc …) . Mas falando serio agora , emuladoes são ótimos (quando funcionam) , mas nada supera a experiência de jogar num console físicos numa TV “tubão” , meu sonho é fazer uma coleção dos principais consoles , mas só para deixá-los expostos numa estante , a jogatina mesmos dos retro-games eu deixo pro meu “PCzão” (aliás você viu as fotos , gostou do jeitão dele ? Parece um console).
    Por fim , CARACAS , minha TV anterior era também uma plasma Pana Viera de 42″ , muito boa essa TV .

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 30/01/2012 em 7:07 pm
    Permalink

    “nota do Gagá: Piga, seu maldito, agora além de ficar sem salário vai ter que fazer um Diário de Bordo de um dos Zeldas de CD-I como punição”

    que medo do Gagá,Piga 🙂

    esse seu console é bem diferente do que eu vi em fotos. e você tem o Adventure para jogar. apenas por ele incluído na memória, já valia a compra.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 30/01/2012 em 9:00 pm
    Permalink

    Joguei num desses muito tempo atrás. Meu primo fez sua festa de aniversário num barzinho retrô, com homenagens aos anos 80 e tal, e tinha um.

    Não compraria porque não tem tudo aquilo que eu lembro quando penso em Atari: Enduro, River Raid, Seaquest, Keystone Kapers, Megamania, Hero…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 30/01/2012 em 9:46 pm
    Permalink

    Muito legal!
    Nunca tinha ouvido falar nessas novas versões do atari.Apesar de ter achado o console muito bonito eu só tenho 19 anos e não peguei essa época do Atari 2600 então não acho q seja algo q me interessaria muito…
    Mas aposto q daqui a alguns anos isso vai valer bastante grana

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 31/01/2012 em 8:17 am
    Permalink

    @Kurhl
    Aquele hack do Atari Flashback 2 eu já conhecia, o cara manda bem. Já o Atari Flashback 2+ e o 3 eu nunca tinha ouvido falar. Valeu pelas infos!

    @Sonic Tales
    Concordo com você. Porém a dobradinha Atari + Activision nunca mais vai acontecer. A Activision é a empresa que é hoje e a Atari, bem…. é só a Atari! 🙂

    @bootsector
    Eu comprei mesmo mais pra testar o site da DX, por causa do preço e pelo fator nostalgia! Ainda prefiro jogar pelo emulador usando meu controle Fightpad de PS3.

    @Alyen
    Sem dúvida nenhuma o controle do 2600 é melhor. Mas depois dos controles Pads eu não gosto de jogar em controles tipo manches.

    @Washington
    Eu também acho os emuladores mais práticos. Quanto a colecionar, vai de cada um, eu já tive a minha fase e hoje em dia salvo alguma coisa muito nostalgica e relevante, eu deixo passar. Quanto as TV Panasonic Viera, eu simplesmente ADORO as TVs de plasma dessa linha. A Panasonic lançou uma 3D agora que é uma maravilha, bota as da Sony no chinelo.

    @leandro(leon belmont) alves
    É ruim de eu encarar o Zelda do CDi, uehueuheue. A minha ideia com o retro unboxing foi essa. Na internet tem muitas fotos, mas todas iguais a fotos de anúncio. Nunca ví nada “dissecado” quanto eu fiz aqui. E já que não existe o conteúdo, a gente fabrica! 🙂

    @edu
    @Alan
    A Atari deve ter se espelhado na Tectoy e em suas versões do Mega Drive com “n” jogos na memória. Assim depois ela lança (ou lançaria) uma nova versão com mais jogos. 🙁

    @Ronnie
    Vai ver porque a Nintendo tá a fim de vender o 3DS e o Wii U. A não ser que algum xing-ling resolva fazer uma réplica fiel ao original, coisa que eu acho difícil, pois chinês adora botar pelo em ovo.

    @Sérgio
    A gente pensa na Atari mas lembra da Activision….

    @morbius
    Tirando o lance de valer grana, vale a pena conhecer os jogos do Atari 2600 sim. Os emuladores funcionam bem e os fullsets tem nem 2Mb. Apesar da simplicidade, tem muita coisa bacana e gostosa de jogar.

    Falow!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 31/01/2012 em 10:55 am
    Permalink

    Graande Piga! Legal o Unboxing…
    Vc. sabia que esse modelo do Atari Flashback é, na verdade, um clone de NES? O pessoal da AtariAge fez uma análise do aparelho e descobriram isso.

    Abraços

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 31/01/2012 em 9:02 pm
    Permalink

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 01/02/2012 em 4:14 pm
    Permalink

    eu acho interessante quando vc vai abrir a caixa de pandora e vc se depara com o grande tesouro que ali se encontra…uma verdadeira raridade,,,existe toda uma emoção que paira naquele exato momento,,,fico olhando alguns minutos e depois imagino da alegria que aquilo vai me ocasionar!!!!olhar o manual e as fotos,,,olhar o designer do video game e por algum momento pensar se aquilo é real ou um sonho!!!!atari,,,sem dúvida um bom clássico!!!o passado estará sempre no presente!!!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 01/02/2012 em 8:30 pm
    Permalink

    Coitado do cachorro Piga kkkk Pela cara dele, na próxima se vai levar uma dentada na canela kkkkk

    Bela aquisição velho XD eu bati o olho nele e disse PO, É UM PHANTOM MINIATURA KKKKKKKK Pena que são poucos jogos na memoria… sabemos nós o quanto de espaço ocupa a romset toda de Atari 2600 né, uns 3 megas kkkkk

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 07/02/2012 em 12:04 am
    Permalink

    Parabéns pela aquisição Piga! Também tenho um destes, na verdade comprei uns anos atrás numa promoção, (nas americanas eu acho…). Mais pela curiosidade do que pela nostalgia. Depois de jogar um tempo, concluí que este é um caso típico de produto caça-níquel. Criado apenas para amealhar uns trocados dos incautos, isto é nós.

    Não que os Ataris 2600 e 7800 não merecessem uma versão “a lá master system evolution da tectoy”, mas que deveria haver mais cuidado em sua concepção e estrutura (coisa que a Tectoy também peca em nossos dias). Exemplo é que há pouquíssima informação, sobre o histórico (grandioso e ao mesmo tempo catastrófico da atari) e o seu legado para a indústria e os saudosistas de plantão no pacote.

    Ao menos na minha versão as únicas informações eram o que constavam internamente no menu do aparelho e em um manual de parcas folhas (as histórias da atari poderiam encher livros!). Fora que há falhas gritantes no processo de concepção do aparelho: As medidas do console original são ignoradas, a fonte me pareceu vagabunda e me perguntava se o aparelho totalmente lacrado seria uma boa – tanto pelo aspecto dos cartuchos, quanto pelo fato de não permitir qualquer ventilação.

    Tempos depois encontrei um relato em dos cantos da internet (acho que foi no atariage), que o este console foi feito a toque de caixa, às pressas mesmo. Acho que foi o relato de um dos engenheiros do projeto, declarando que o projeto todo, da criação do console, da arte da caixa, estratégia de marketing, etc, etc, enfim tudo, foi executado em um período de 09 meses. Então montaram tudo em cima de uma base de “nes-on-a-chip” – coisa que pode ser comprada na tonelada por uns centavos de dólar em alguns distribuidor chinês obscuro – encaixotaram e começaram a vender como se fosso um novo “atari”.

    Não é a toa que esta porcaria foi mal recebida no mercado e, creio eu, vendeu tão mal que ainda existam estoques disso encalhadas na china – este treco foi lançado em 2004/2005 se não me falha a memória.

    Particularmente, pode ser uma experiência interessante para algum saudosista hardcore, ou curioso sobre a mística em volta do nome Atari.
    Mas, depois que mexi nele fiquei com a mesma a sensação quando jogo (muito raramente) no pegavison ou no master system evolution que tenho aqui em casa: Parece, mas não é a mesma coisa.

    Pra finalizar, fiz uma descoberta interessante, alguém já tentou conectar um joystick do “afamado” polystation neste atari flashback? Acredite se quiser funciona! E se alguém der uma olhada mais atenta na fonte de um polystantion e e deste atari, verão que tem ainda mais semelhanças.

    Bom é melhor parar por aqui…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *