Recordar é envelhecer: Final Fight (Arcade)

Amigos leitores do Gagá preparem-se para mais uma edição do Recordar é envelhecer, comandada por mim, André Breder! Desta vez vou recordar um game que fez muita gente enfrentar fliperamas cheios de “pivetes” só para ter o prazer de jogar uma mera “ficha”: estou me referindo ao clássico Final Fight, um jogo que marcou a vida de muitos gamers mundo afora! Bem, tenham todos uma boa leitura e até a próxima!

1989… e nasce Final Fight!

A Mad Gear sequestrou a bela Jessica... vão levar porrada!

Final Fight: Um clássico dos fliperamas !

O final do ano de 1989 ficaria marcado com o lançamento daquele que logo se tornaria um dos maiores sucessos do gênero Beat-’Em-Up. Trata-se de Final Fight, um jogo produzido pela Capcom que estava a frente de tudo que havia sido lançado até então dentro do gênero que ele representa. Gráficos soberbos, qualidade sonora surprendente e jogabilidade excelente, estes três fatores principais foram os grandes responsáveis pelo sucesso de Final Fight entre os viciados em máquinas de fliperama em todo o mundo. Muitos outros jogos do gênero Beat-’Em-Up lançados posteriormente copiariam na cara dura muito do que havia sido visto primeiramente em Final Fight, o que só serve para comprovar que o time da Capcom havia realmente acertado em cheio!

História

Prefeitão Haggar recebendo a “boa notícia”…

A história do jogo se passa na fictícia cidade Metro City, um lugar que há muito tempo tem sido dominado pela violência e pelo crime. Porém o ex-lutador de luta livre Haggar, recém-eleito prefeito da cidade, está totalmente disposto a mudar tudo isso. Mas para sua infelicidade a mais terrível gangue do lugar, conhecida pelo nome de “Mad Gear”, ficou sabendo de antemão os seus planos, e não desejando que nada em Metro City seja mudado, os criminosos sequestram a bela Jessica, filha de Haggar, para dessa forma poder chantageá-lo. Só que Haggar é um político honesto (só mesmo na ficção para isso existir), e mesmo com sua filha correndo risco de vida não vai ceder as pressões impostas pelos bandidos da “Mad Gear”. Ao contrário, vai lutar para salvá-la, partindo para uma difícil missão onde irá contar com a ajuda de Cody, o namorado de Jessica, e de Guy, um fiel amigo.

Os protagonistas!

Três valentões e uma missão…

Cada um dos três personagens controláveis de Final Fight possui suas características próprias, tendo prós e contras:

Haggar: É o mais forte entre os três protagonistas, sendo que até mesmo seus golpes mais simples causam bastante dano aos inimigos. Ele possui ainda um eficiente golpe conhecido como Pilão, que é ótimo para arrebentar com a energia dos adversários. É o melhor personagem no manejo de canos e espadas, pois é capaz de executar movimentos bem velozes com estas armas, ao contrário de Cody e Guy. O ponto negativo que ele possui em relação aos outros dois personagens contudo, é o fato dele ser bem lento em sua movimentação, se tornando alvo fácil para inimigos mais rápidos.

Cody: É o personagem mais balanceado do jogo, combinando velocidade e força de maneira perfeita. É o único capaz de segurar, e não soltar, as facas deixadas pelos inimigos, e usá-las sem ter que arremessá-las. Pode ainda se defender dando socos contra facas e arpões, mostrando que possui “punhos de aço”.

Guy: É o personagem mais veloz do jogo, e o que possui a maior sequência de golpes possíveis (sendo 5 no total). Tem a habilidade de saltar e “quicar” nas paredes, podendo assim dar voadoras certeiras nos inimigos mesmo estando encurralado. Seus punhos podem defender facas que são arremessadas, assim como o personagem Cody, mas em relação aos arpões ele não consegue defendê-los se estiver muito próximo daquele que os atira. É o mais fraco dos três personagens, pois seus golpes são os que causam menos danos a energia dos inimigos.

Armas e itens para ajudar os heróis.

Um cano de ferro sempre ajuda…

Durantes as fases de Final Fight, os jogadores poderão encontrar alguns tipos de armas e usá-las contra seus inimigos, como facas, canos de ferro e espadas. Estas armas muitas vezes podem salvar a vida do jogador, pois são realmente letais.

Haverá também itens escondidos em latas de lixo, caixas de madeira ou ainda barris de ferro, que variam entre aqueles que dão pontos e outros que restauram a energia perdida. Sair quebrando tudo o que ver pela frente a procura de armas ou itens não é algo opcional em Final Fight, e sim questão de sobrevivência.

Fases bônus!

Dá até dó destruir este carro, mas…

Durante o jogo existirão duas fases bônus, que servem para o jogador acumular pontos. Na primeira deve destruir um carro, seja com os punhos ou então com a ajuda de um cano de ferro. Chega a ser engraçado quando se destrói o carro completamente, pois um dos capangas da “Mad Gear” era o dono do mesmo, e quando ele vê o estado que ficou seu amado automóvel, o coitado cai de joelhos aos prantos. Na segunda fase bônus o jogador deve quebrar blocos de vidro, e dar golpes precisos pois os mesmos estão presos em um estrutura giratória. Caso o jogador não bata no local correto acaba perdendo tempo, pois o bloco de vidro irá apenas girar ao invés de se quebrar.

Gráficos

Os cenários do jogo são bem detalhados…

Os gráficos de Final Fight são excelentes! O design dos personagens e de seus adversários ficou muito bem feito, fazendo com que os mesmos sejam todos bem detalhados. Os cenários do jogo são bem detalhados, e bem diversificados. Nada de cenários repetitivos e enjoativos neste jogo, pois cada área de Metro City é única! A aventura rola em ruas imundas, trens de Metrô em um estado deplorável, bares cheios de bêbados e até mesmo numa fábrica industrial. Os inimigos também são bem variados, indo de meros capangas que partem para cima dos heróis com seus socos e chutes, até verdadeiros brutamontes com uma força fora do comum e que adoram estrangular os outros! Os chefes são bem legais, e cada qual possui sua particularidade. Mesmo hoje, passado quase 20 anos de seu lançamento, os gráficos de Final Fight ainda impressionam!

Efeitos e Trilha Sonora

Os efeitos sonoros estão ótimos! Praticamente tudo no jogo possui um som diferente! Os sons dos golpes, facadas, espadadas, caixotes ou portas se quebrando,etc… tudo está muito bem feito! Destaque para o velho trem do Metrô que possui seu som característico, algo que só ajuda a aumentar a sensação de “realidade” para quem está jogando. Os personagens ainda emitem sons quando dão determinados golpes, ou quando são mortos. Realmente a Capcom caprichou para fazer os efeitos sonoros de Final Fight!

As músicas do jogo são boas e bem diversificadas. Cada área de Final Fight possui um tema musical diferente, e cada um deles varia de acordo com o que se está “vivendo” no jogo. Alguns jogos possuem temas que acabam se tornando memoráveis, já a trilha sonora de Final Fight, mesmo sendo boa, na verdade não possui nenhum tema verdadeiramente marcante, apesar de todas músicas cumprirem bem o seu papel no jogo. Isso se deve também ao fato de que Final Fight possui um clima mais sério, mais denso, diferente de outros jogos do gênero que passam um clima de aventura. As músicas não são agitadas ou alegres, e por isso talvez não sejam tão chamativas como as que são encontradas em outros jogos. Não há um tema no jogo sequer que possua uma melodia grudenta, daquelas que não saem de sua cabeça, mas mesmo assim elas estão longe de serem ruins.

Jogabilidade

E toma uma pilão seu maldito!!!

A jogabilidade é perfeita! Todos os comandos funcionam sem atrasos, e podem ser acionados de maneria precisa!

As ações dos personagens são bem variadas: eles podem socar, pular, dar voadoras, joelhadas, balões, etc.

A movimentação na tela não poderia ser melhor, sendo que ocorrem pouquíssimos “slowdowns” durante a jogatina. Nem há muito do que falar da jogabilidade, apenas que ela é realmente nota 10!

Dificuldade

A dificuldade em Final Fight é grande, logo no começo do jogo. Os inimigos andam sempre em grandes grupos, e por esse motivo jogar com um amigo é a melhor escolha para poder não passar tanto aperto, e consequentemente perder vidas.

Existem inimigos bem ágeis, que muitas das vezes são bem difíceis de serem atingidos, mas em contra-partida te atingem de maneira muito fácil. Os chefes começam fáceis, mas vão ficando cada vez mais difíceis a medida em que se avança no jogo. Ter uma boa estratégia, atacando na hora certa, ajuda muito para que o jogador possa passar por eles sem gastar muitas “fichas”.

Conclusão

Um final feliz para pai e filha…

Final Fight foi e ainda é, um dos melhores Beat-’Em-Ups já feitos! Basta fazer uma comparação com outros jogos do gênero lançados para o Arcade anos anteriores, ou com os que foram lançados na mesma época de Final Fight, para comprovar sua superioridade. A Capcom que já havia mostrado que sabia fazer jogos de luta em trabalhos anteriores, só conseguiu afirmar ainda mais sua enorme competência na área com a criação de uma obra prima como Final Fight. O sucesso foi tanto, que o jogo teve várias conversões para os mais variados consoles nos anos que seguiram, e ainda foram lançadas algumas continuações, o que fez de Final Fight uma das mais conhecidas franquias do mundo dos games.

About André Breder

Um gamer que não tem preconceitos: curte tanto os games clássicos, quanto os novos, e nunca deu preferência para nenhum console ou empresa específica do mercado. Tanto que criou um blog sobre games de todas as épocas, chamado Blog do Breder.