Olá visitantes do Gagá Games! Hoje seu amigo André Breder traz uma enquete menos polêmica (ou não). A pergunta é voltada para a galera que faz uso de emuladores para jogar seus games preferidos.

Nos dias de hoje, onde a maioria não tem mais tempo para se dedicar aos games como nos tempos de criança (quando nossa rotina era basicamente acordar, ir pra escola, comer, jogar videogame, brincar na rua, fazer lição de casa e dormir), o recurso do Save State presente nos emuladores é uma “mão na roda” para você poder parar a jogatina a qualquer momento, e continuá-la quando tiver tempo para tal. Mas muitos gamers acham que esta opção acaba “estragando” os games quando utilizada em excesso, pois tira totalmente o desafio do jogo. E você? O que acha disso? Participe da enquete e não deixe de comentar dando sua opinião sobre este assunto.

ENQUETE ENCERRADA! E o resultado foi:

Agradeço mais uma vez todos os que participaram! Até a próxima!

André Breder is Watching You: Você utiliza save states?
Tags:

43 ideias sobre “André Breder is Watching You: Você utiliza save states?

  • 02/05/2012 em 8:11 am
    Permalink

    De um modo geral não. Somente em jogos que tenham passwords muito grandes e chatos de ficar decorando ou escrevendo. Gosto de terminar o jogo apenas com os recursos que o mesmo oferece.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 8:53 am
    Permalink

    eu não vou mentir dizendo que não uso. em qualquer game Shin Megami Tensei onde os saves ficam distantes um do outro, isso é um benção. usar esse recurso em Battletoads,Ghost N Ghouls,Silver Surfer ou Yo Noid! é quase uma necessidade. e para mim, não estraga o jogo, dá motivação para continuar, pois já sabemos como os games eram brutais naqueles tempos. jogo o Hokuto no Ken no emulador do Mega todo santo dia e até hoje não enjoei devido aos saves.

    Deus salve o sujeito que pôs o save states nos emuladores. se tiver morrido, que esteja no paraíso cheia de Blazes virgens.

    todo retrogamer sonha com isso 🙂

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 10:16 am
    Permalink

    Poder parar de jogar Alex Kidd e poder continuar no dia seguinte???
    Taí uma coisa IMPAGÁVEL! Quando eu era moleque, tinha que deixar o videogame ligado e continuar no dia seguinte, ou então, tinha que varar a madrugada tentando finalizar o jogo XD
    Ainda bem que os tempos mudaram. Deve-se utilizar os save states não com excessos, mas apenas nos casos como o que eu disse acima, senão o desafio do jogo acaba sendo extinto…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 10:29 am
    Permalink

    cara…para falar a verdade uso vários recursos dos emuladores,,,não vou mentir,,,se não fosse os saves,,,não teria tanto tempo para jogar,,,faz muito tempo que eu não jogava determinados rpgs,,,então vou jogando aos poucos,,,tudo a prestação mesmo,,sem entrada, sem juros e dividido em meses infinitos,,,é a forma de pagamento que eu estou usando!!!!já zerei bastante jogo!!!!essa técnica ninja varia de pessoa a pessoa,,,eu por exemplo para assistir um determinado filme em dvd, raramente assisto tudo no mesmo dia por falta de tempo,,,os emuladores facilitaram muita coisa para mim,,,não preciso comprar um psx ou sega cd…sei que muitos acham ruin,,,mas estou na quebradeira,,,fico apenas no meu megadrive que ainda tenho e vg 9000 + vg3000,,o snes tá no concerto,,,então é muita criança para cuidar,,,meu pc é a minha salvação nessa imensidão de video games!!!!uso save, códigos gamegenie e tudo que eu tiver vontade,,,quem nunca jogou mario sem usar warp zone ou quem nunca usou password em mega man ou quem nunca fez a manhã de 30 vidas no jogo contra do nes???falou galera,,,ter tempo de jogar virou previlégio de poucos,,,

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 10:32 am
    Permalink

    Se for para ficar salvando e carregando toda hora a resposta é não, pois tira totalmente o desafio do jogo e perdemos aquela sensação de conquista quando terminamos algum game dificil tipo Battletoads…

    Só uso quando o jogo te oferece save nativo ou password entre uma fase ou outra…=D

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 10:50 am
    Permalink

    Começo com uma frase que é quase um “mantra” pessoal, pois repito sempre em blog sobre games: sou á favor da diversidade, da liberdade de escolha.Não critico quem usa ou não usa.Têm jogos que uso, têm jogos que não uso.Ou depende do tempo, de repente tenho que interromper a jogatina repentinamente, então toma-lhe save state!E independente de quem usa ou não, é uma mão-na-roda (esse termo no meu tempo tinha um significado positivo e ingênuo). Tenho certeza que se tivesse esse recurso nativo no NES naquela época, muitos usariam.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 10:56 am
    Permalink

    Antes eu usava e muito pra zerar alguns jogos. Hoje como tenho vários jogos (você viu minha coleção né André 😉 ) e ainda não terminei ela, parei de jogar usando emuladores. então hoje eu não uso mais save states.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 11:19 am
    Permalink

    Eu uso o HyperSpin junto com um MediaCenter, e uso um ResourceHack para os emuladores para remover a opcao de SaveState, ai com o FrontEnd, nem me importo em ficar apertando Teclas ou Hotkeys para nada, é escolher o jogo na lista e sair jogando.
    Mesmo a emulação não sendo exatamente um console, eu forço na minha cabeça que não é, e como todo mundo, fico puto quando morro no Truxton e perco as armas e speed-ups.

    Usava muito save states na época de jogar no PC direto, agora não mais, até porque eu removi e não da mais !

    Abraços

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 4:34 pm
    Permalink

    Eu uso pra aumentar a diversão e não pra diminuir o desafio, desistiria de muitos jogos como fiz na época dos cartuchos locados caso não houvesse o recurso. A falta de espaço na época fez com que houvesse uma leva de games com dificuldades insanas que hoje em dia eu não jogaria até o fim de jeito nenhum. Gosto que o jogo tenha desafio mas não me faça ficar furioso rsrsrs Um exemplo que gosto é o sonic do master, zerei na época e novamente um tempo atrás no emulador sem usar save, do começo ao fim como no console. Acho que um jogo com uma dificuldade equilibrada só necessita de save pra não ter que ficar anotando passwords, caso contrário é um recurso bem vindo pra equilibrar a dificuldade.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 5:09 pm
    Permalink

    ultimamente que meu tempo é curto e jogo as vezes pelo linux umas duas ou três fases de skyblazer, e como o jogo é difícil e eu também tenho preguiça de colocar o controle no pc só pra jogar pouco, acabo jogando no teclado mesmo e usando save states a reviria. Mas fiquei pensando em jogar na raça, podendo morrer mesmo, é mais emocionante em certos jogos e no skyblazer no caso eu iria morrer tanto que nunca acabaria o jogo, acabo usando pra deixar onde eu parei tbm, já tudo que joguei e terminei de DS foi tudo sem save state, até o dificílimo FF3

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 5:36 pm
    Permalink

    Uso quase sempre. A gente não é mais criança, não dá pra passar horas num jogo porque travou numa parte e aí toca voltar do começo… Tentei jogar na velha escola recentemente com Shadow Dancer do Master System e foi uma calamidade…

    O tempo é escasso, então os save states são uma beleza. Mas eu admiro a disposição de quem não os usa.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 8:50 pm
    Permalink

    uso, mas não para repetir um chefe quando eu morro. Somente uso para interromper a jogatina. Com 40 anos de idade, casado e com filho, não é qualquer hora que consigo jogar. E quando começo a jogar, nunca sei quanto tempo vou ter até que alguém me chamar.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/05/2012 em 10:14 pm
    Permalink

    Usei durante muitos anos, mas, depois de constatar que os saves estavam me tornando um jogador muito menos habilidoso, abri mão do hábito e hoje jogo como nos velhos tempos :).
    Na verdade como sou estudante da área de games, acho que jogar da forma como os desenvolvedores tinham intenção de apresentar o jogo me da uma ideia melhor da obra ocmo um todo!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/05/2012 em 1:13 am
    Permalink

    Dependendo do jogo, uso sim.

    Às vezes, não tenho saco pra ficar voltando a fase pra jogar tudo novamente.

    A verdade é que se tenho o jogo original do console, jogo nele mesmo…

    Caso não tenha, e jogue no emulador, aí eu uso.

    Abraços

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/05/2012 em 11:29 am
    Permalink

    OLÁ A TODOS! Eu uso e abuso de Save States. Sério! A cada inimigo derrotado, a cada virada de esquina, a cada opção pra responder, digamos que em uma média de 3 segundos, eu estou fazendo ou resgatando um save state. Por quê? Ah, porque eu já estou acostumado com isso. As vezes até faço instintivamente. E ele realmente facilita o jogo. Eu não morro, eu não erro o alvo, e sempre faço a melhor partida logo na primeira vez. Pelo menos, é o que o jogo deve pensar de mim. Verdade que economizo muito tempo e também é verdade que posso está perdendo um pouco da dificuldade. Mas nem tanto assim. Pois se erro com ou sem save, sempre vou ter que tentar de novo e de novo até acerta. Só não precisarei repetir a maior parte do processo que fiz para chegar ao momento que me parava. E eu estou ciente do que faço. Sou capaz de reconhecer e valorizar esses momentos no jogo que foram feitos só pra nos empatar. Deixo os inimigos me fazerem até de gato e sapato só para observar direitinho suas ações. Faço questão de conferir até os momentos tristes como o Game Over. E em caso de achar que o Save State venha realmente atrapalhar a partida, tento me controlar e evitar de usar, (um bom exemplo: BomberMan no Modo Batalha). E sim, eu consigo sentir a sensação de vencer alguns desafios, talvez não seja como as de antigamente sem save state, mas ela ainda está presente. E se um dia eu for jogar num console sem Save States, hem? Se tanta gente passar dessa fase, por que eu não? Pode levar só mais um tempinho, mas uma hora eu acerto com jeitinho. Então, acho que é isso. Talvez eu pudesse ter me expressado com mais exemplos, mas espero que me compreendam com tudo isso. A GENTE SE LER!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/05/2012 em 3:14 pm
    Permalink

    de jeito nenhum, acho que save states destroem a experiencia… nunca zerei nem Alex Kid nem Super Mario Bros. mas fico sempre empolgado quando consigo chegar um pouco na frente.
    Uma função que funciona como bom meio-termo é o sistema de suspender o jogo do virtual console. Você pode continuar o jogo de onde parou, mas não dá pra carregar o jogo do mesmo ponto até acertar o trecho mais dificil

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/05/2012 em 6:30 pm
    Permalink

    O Save State é para jogatinas descompromissadas pelo simples(e ótimo) prazer de relembrar um game,com ele(Save)é possível chegar ao final de muitos jogos mas sem a conquista de terminá-los efetivamente.
    Eu jamais uso Save State porque meu objetivo é recriar,mesmo com imperfeições,toda a experiência do gameplay original,sem alterar em nada sua essência e dificuldade.
    Zerar ou terminar um jogo é superar a dificuldade original imposta pelo mesmo.O Save State é divertido e pode ser usado sim,mas sempre é bom lembrar que chegar ao final de Metroid com Save,por exemplo,é totalmente diferente de zerá-lo aceitando as regras do jogo.Sem Save State.
    Tudo tem um preço.E o preço do Save State é a perda da legitimidade em dizer:
    -Cara zerei esse jogo!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/05/2012 em 7:35 pm
    Permalink

    olha eu de novo depois de um longo inverno, uso e muito este recurso, antes tinhamos todo tempo do mundo para jogar afinal só iamos pra escola e da escola pros games, hj em dia por falta de tempo onde se joga em um dia e vai voltar a jogar sabe-se la quando, a melhor forma de zerar um jogo ou avançar nele é o save state. fora que tem uns rpgs ou games que vc pode fazer uso dele pra nao ter que ficar voltando direto em uma determinada fase chata ou extremamente dificil, afinal jogamos para nos divertir e nao passar raiva empacado em determinados lugares.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/05/2012 em 7:43 pm
    Permalink

    Save state é apenas para o caso de telas de password ou quando sou obrigado a parar de jogar por motivos de força maior (tsunami ou acidente nuclear).

    Eu encaro os emuladores como verdadeiros videogames: só jogo com saída em TV de tubo, sem filtros e com um Dual Shock. Nunca curti os cheat codes, e nunca curti os save states.

    Quanto ao fato de hoje ter menos tempo pra jogar: mantenho minha opinião de não usar save state. EU é que devo me adaptar ao jogo, NÃO o contrário. Quando você usa save state, subverte a programação e a intenção original do programador. Afinal, se você não conseguiu terminar um jogo num dia por falta de tempo, salvou e recomeçou num ponto distante em outro dia, o desafio já não será o mesmo de ter iniciado o jogo do zero. Você terá o benefício do “fresh start”, e de alguma forma terá maculado a experiência original.

    Bom, essa é a minha opinião. Já vi que sou minoria, e entendo os motivos de todos. Como disse, é apenas minha opinião.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 04/05/2012 em 6:21 am
    Permalink

    Quando eu comecei a jogar emuladores, eu usava savestate, mas sempre quando passava uma fase ou quando chegava no ultimo chefe.

    Hoje quase não uso. Se uso, é apenas para jogos com password grandes ou em japonês.

    A ultima vez que usei save state a sério foi no Metal Gear de MSX. Usava após apertar F5 para continuar (na tela de Game Over). Hoje voltei a jogá-lo com save em cassete (usando .cas). Por incrivel que pareça, salva igual ao jeito que salvava antes! hehe…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 04/05/2012 em 5:51 pm
    Permalink

    @edu Discordo totalmente de você cara, ele quer jogar e não colecionar…
    Faço do mesmo modo que ele, mas em Emuladores no PS3, em 1080p com filtros simulando as “imperfeições” das telas de tubo.

    Para jogar consoles LEGAL você precisa de uma TV de tubo, e ter duas TVs é bem inconveniente, e ficar comprando todos os jogos antigos que você quer jogar pode ser beeeem caro.

    Compensa mais montar um media center ou comprar um PS3 desbloqueado encher de emuladores e sets no-intro e ir caçando as preciosidades… =D

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 04/05/2012 em 6:00 pm
    Permalink

    PS3 desbloqueado: Você “perde” o PS3 para jogatina Online, jogos de 2010 em diante não funcionam facilmente (se é que chegam a funcionar), perdem a capacidade de rodar jogos originais de 2010 em diante (os anteriores funcionam normalmente, mas sem modo online)…

    MAS para quem quer um sistema potente que emula PRATICAMENTE TUDO de uma forma LINDA sua máquina é um PS3 desbloqueado.

    E ainda vai te fazer economizar grana (some Atari + NES + master + mega + Gamegear + Gameboy + GBA + PC-Engine + Arcades + flash card pra toda essa galera aí… te economiza grana para comprar uns 10 apartamentos =D )

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 05/05/2012 em 1:02 pm
    Permalink

    eu uso quando o jogo não tem opção de salvar e/ou tem dificuldade suprema, ou seja uso mais em jogos de master system e NES e mais raramente em snes, eu prefiro jogar os jogos salvando neles mesmos sem medo de ser feliz, sempre deixa tudo mais emocionante quando você só pode salvar quando chega em certa parte do mapa do jogo, que o diga aria of sorrow usando os saves states em jogos como esse seria uma falta de respeito e perderia a graça do jogo.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *