Diário de Bordo:
soleildiario
Saudações meninos e meninas! Não se esqueçam de seus cachecóis, pois neste décimo primeiro diário de bordo iremos fazer uma breve visitinha à Floresta de Iris que parece estar passando por um prematuro período de inverno. Mas antes eu devo perguntar se vocês fizeram seus deveres de casa…? Como assim não sabem qual foi…? Eu não enviei vocês até Rafflesia para treinar e coletar os medalhões…? Bem, se vocês conseguiram então vocês já devem ter a segunda espada (Espada sagrada de Soleil)…

Olha só que belezura de facão.
Olha só que belezura de facão.

O Rei congratula Corona pelo sucesso na dura tarefa em coletar os três medalhões, e por ser o mais jovem a receber a condecoração destinada somente aos heróis de Soleil.

Agora podemos seguir para a floresta de Iris.

Vejamos quantos flocos eu consigo cortar.
Vejamos quantos flocos eu consigo cortar.

No vilarejo congelado de Iris, Chai, a garotinha que mora com sua familha na casa mais abaixo, convida Corona a ouvir as velhas histórias de sua Vovó (Se não ouvir ela não deixa o moleque sair). Indo até a velhota a se balançar na cadeira de balanço, ela, a vovozinha que se chama Doroty, fala sobre sua experiência de ser levada ao passado na época em que seus pais ainda eram crianças, e que para poder voltar ela precisou dos Sapatos Mágicos. Mas parece que algum idiota roubou esses sapatos.

corona-Há! Safado! Roubou os sapatinhos da vovó! Eu te pego!

E você não ficou tonta não?
E você não ficou tonta não?

Chai também diz a Corona que os sapatos mágicos estavam num baú perto da lagoa. Agora é seguir caminho para investigar o desaparecimento dos sapatinhos mágicos. Antes, porém…

corona– Hey, Vovozinha… Você conhece aquela da velhota que tentou se suicidar com um tiro no joelho depois do médico ter lhe dito que o coração ficava localizado há quatro dedos abaixo do seio esquerdo?

vovo-Conheço sim seu moleque safado, a velhota era eu! Porque tu acha que eu to presa nessa maldita cadeira?

corona– PUTZ!…

Seguindo para o vale logo acima da vila, onde tem um buraco bem no centro, a Flor mercenária informa (Por 50 Malins é claro) que antes de Corona chegar, um raio havia acertado esse buraco bem no meio, desde então se tornou como o céu e a noite (?) e diz para Corona se aproximar do buraco para ouvir alguma coisa. Quando eu me aproximo do buracão vindo por cima eu…

!

Crusader of Centy – Fate of the World
Tagged on:             

5 thoughts on “Crusader of Centy – Fate of the World

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *