De volta com Landstalker, na última parte eu restaurei a luz no farol de Ryuma e agora é preciso seguir até o porto de Mercator. Cheguei lá e ganhei uma viagem de graça para Verla, por ter restaurado o farol de Ryuma. Verla fica do outro lado do continente, em um lugar bem distante e diferente de onde estou. Após chegar, desci do barco e já notei uma placa indicando a cidade de Verla e uma mina à esquerda… Resolvi conhecer primeiro a cidade…

Não encontrei quase nada em Verla além de uma lojinha com alguns itens, a igreja e soldados inimigos por todo canto. A cidade está praticamente abandonada… Saí e fui em direção da mina. Encontrei um morador em uma casinha no meio do caminho, que me contou que o povo dali foi levado para as montanhas por soldados. Segui subindo a montanha, matei alguns inimigos e encontrei várias bifurcações. Em uma delas, um caminho que me levou à dois baús: um com Eke-Eke e outro com um LIFE STOCK. Retornei e segui por outro caminho, pois ali só existe uma porta trancada.

soldados me atacando em Verla

Após vasculhar as profundezas da caverna, encontrei o caminho para uma chave onde alguns moradores de Verla estavam aprisionados. Voltei com a chave até a parte mais alta e abri a porta na bifurcação. Encontrei, mais adiante, outro grupo de moradores presos em uma sala. Alguns deles inclusive estavam escavando a parede em busca de ajuda. Com eles, mais uma chave, que usei em uma parede com um cadeado em formato de caveira.

a maldita caverna e o povo de Verla aprisionado

Segui pelo caminho dali e encontrei uma série de plataformas móveis cheias de buracos e armadilhas. O caminho até o terceiro grupo de moradores aprisionados não foi fácil, mas consegui libertar todos. No final, um botão abriu uma passagem lá no início da caverna entre duas estátuas, tive que retornar tudo.

plataformas do mal e uma armadura bacana no meio da lava

O estreito caminho se revelou a saída da mina de Verla, onde encontrei novos inimigos e uma placa indicando dois locais: Kelketo Waterfall e a cidade de Destel. Resolvi descer até a queda d’água e achei uma lojinha com vários itens e um novo LIFE STOCK entre eles.

LIFE STOCKs por todo canto

Subi até Destel em seguida. A simpática cidade dos anões esconde alguns segredos: parece que Duke Mercator já passou por aqui e “pegou emprestada” uma jóia do povo de Destel. Outra coisa que eles mantém ali é um alçapão lacrado. Como o pessoal aqui é pacífico e gosta de tranquilidade e de cultivar flores, não ofereceram resistência e deixaram que Duke partisse. Encontrei aqui também o nosso amigo Pockets, que achou uma coincidência me encontrar por ali. Também achei dois LIFE STOCKS, um na loja de armas (que não continha arma nenhuma) e outro atrás do balcão da loja de itens.

um dos moradores me contando as histórias de Duke Mercator e o LIFE STOCK escondido atrás do balcão

Saí pelas escadas ao norte de Destel e encontrei a Mars Stone no alto de uma colina, à esquerda. Para coletá-la, precisei subir o morro mais acima, atrás do penhasco. Na tela acima, vi Duke Mercator partindo rio adentro sobre uma jangada com vários soldados. Ele, óbviamente, riu da minha cara e disse que está indo pegar a última jóia. Como não posso segui-lo por ali (Nigel não sabe nadar), segui pela saída à esquerda. Em um casebre encontrei um senhor que disse que vendeu as jangadas para Duke por míseros 6 moedas de ouro. Disse ainda que ele está seguindo pro santuário ao norte. Mas, como vou perseguir o bandido sem uma jangada pra atravessar o rio?

Desci pela direita agora, mas não achei nada além de Duke chegando ao templo. Friday menciona para encontrar um caminho até lá, mas não faço idéia de por onde prosseguir. O jeito é retornar até Destel e procurar por mais informações…

Diário de Bordo: Landstalker, parte 10
Tags:     

4 ideias sobre “Diário de Bordo: Landstalker, parte 10

  • 22/11/2011 em 6:02 am
    Permalink

    pôneis,bolas de espinhos,cavaleiros,rios de lava e jarros malditos!!!

    eu achei que essa Dungeon era mais fácil no inicio…APENAS no inicio. essa deve a fase que usei mais eke-eke até agora. muitos inimigos, mas deu para contornar,mas quando cheguei numa sala onde deve se subir usando os jarros……..

    P!@#%@,C@!$!%#!#,V#!@!!!$#….e outros xingamentos.dica: a entrada para colocar os jarros é numa plataforma perto da entrada dessa sala do lado esquerdo. eu fiquei tentado subir numa onde tinha um baú…e demorei horas para sacar que era o jeito errado de subir por ali….

    dai-me paciência. :/

    qualquer dia esse game vai me dar um ataque de nervos,falo sério…estou jogando Phantasy Star 2 e nem os labirintos de lá me dão tanta dor de cabeça como aqui.

    o resto da dungeon consegui passar sem muitos problemas,libertei o pessoal, peguei uma espada de trovão(lol) e fui na cidade dos anões. agora sinceramente, os anões geralmente são as criaturas de fantasia mais machos e brutos que existem. e eles preferem colher flores a lutar com o Duke?????

    princesas piadistas e anões fru-fru….só nesse jogo mesmo.

    e estou com 40 corações,até agora.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 23/11/2011 em 4:42 pm
    Permalink

    Se está difícil agora, imagina perto do final, você terá um ataque “al corazón”. A dificuldade aumenta muito. Não sei se perdi algum post mas, você já cumpriu uma quest opcional em que é preciso eliminar as pragas de Tibor? Essa quest, depois que você cumprir, vai facilitar sua vida com a ajuda de umas árvores que teletransportam. Se me lembro bem o caminho para o Lake Shrine é em Destel mesmo, é só resolver o enigma, na estátua da deusa.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *