Antes de mais nada, peço desculpas pro atraso no Diário (que deveria ter sido postado na segunda). O problema é que operei o septo nasal (cirurgia de chata recuperação) e estou meio limitado a ficar deitado para evitar maiores complicações. Como hoje a coisa evoluiu mais, consegui sentar no PC pra postar no Gagá, espero que curtam a décima primeira parte do Diário!

Voltei à Destel para procurar por alguma pista para seguir Duke Mercator, que rumou para o templo ao norte. Como não tenho nenhuma balsa ou algo similar, atravessar o rio se tornou impossível. Para minha surpresa, o alçapão está aberto e algumas pessoas ao redor dizem que um visitante na cidade arrombou as grades e desceu por ali… Seria Pockets? Resolvi explorar o lugar em busca de alguma resposta…

A caverna é, de certa forma, bem grandinha. Existem diversos setores onde é preciso achar uma chave para passar. Em uma das telas cheias de plataformas móveis, encontrei nosso amigo Pockets dentro de uma sala com a entrada na parede, no alto. Ele diz que entrou ali para procurar por alguma coisa valiosa mas, como não encontrou nada, já estava de saída…. Já mencionei o quão estranho eu acho esse cara?

Pockets, o cara que vive perdido… será?

Enfim, continuei meu caminho rumo ao fundo da caverna. Um pouco depois de Pockets, achei um baú com a Statue of Gaia. Na última porta trancada eu achei as Healing Boots, que recuperam a energia de Nigel conforme ele anda (uma mão na roda, já que só é possível estocar 9 Eke-Ekes). Mais um pouco adiante e encontro o chefe do lugar, uma enorme estátua que, ao saltar, faz com que Nigel fique paralisado. É meio complicado vencê-lo, mas basta pegar o ponto certo e sempre pular e atacar para finalmente destruir o monte de concreto. Duas telas a seguir e encontro a saída do lugar.

as Healing Boots e a estátua que congela a tela quando cai

O caminho ao ar livre é, de certa forma, tranquilo. Apesar de existirem alguns inimigos mais chatos, o negócio é sair matando tudo e todos e sempre seguir pelo norte. Em um determinado ponto existe uma loja vendendo um LIFE STOCK. Mais adiante, uma caverna que me levou à um enigma: depois de quebrar um pouco a cabeça, deduzi que era preciso usar o item STATUE OF GAIA em frente à estátua que recupera as energias, dentro da caverna (ao lado dela existem dois desses itens, nada mais óbvio).

mais um LIFE STOCK e o enigma na placa

Usei e um terremoto aconteceu. Desci pela saída abaixo e notei que um vulcão jogou lava na água e acabou por formar uma “ponte” até a entrada do templo, por onde Duke Mercator e seus lacaios entraram. Segui até lá e fui recebido por um grupo de inimigos intitulados Elite Soldiers, que disseram não ser paspalhos como Duke e seus soldados. Avancei mais um pouco e comecei a explorar a nova dungeon denominada Lake Shrine.

Lake Shrine é uma dungeon cheia de detalhes. Existem salas onde é preciso aguardar para surgir algum botão, outras que escondem buracos nos cantos, outras que pede uma velocidade incrível de saltos para alcançar portas e plataformas e, é claro, tudo regado à muitos inimigos espalhados por todos os cantos. Nessa dungeon ainda encontrei a Sword of Ice  e também trombei duas vezes com Duke, que sempre faz questão de tirar um sarro de Nigel.

a Sword of Ice e uma sala onde é preciso derrubar os inimigos nos buracos pro baú surgir no centro

Na segunda etapa da dungeon encontrei mais alguns puzzles envolvendo saltos preciso e muitos, mas muitos inimigos chatíssimos. Em algumas salas não existe chão e é preciso ser rápido para saltar nas plataformas que caem logo em seguida. O local é bem grande, talvez a maior dungeon do jogo até agora, passar dela me custou vários dias, pois tudo acaba ficando cansativo demais e é fácil se perder. São tantas indas e vindas atrás de chaves e portas que se você não tiver bem concentrado acaba passando pelo mesmo local dezenas de vezes!!!

esse Life Stock em especial dá um trabalho enorme pegar, é preciso fazer a estátua dourada se mover para que se alcance o piso no ar e saltar pro centro, onde está o baú

Perto do final, uma Goddess Statue acaba por encher a energia de Nigel antes do desafio final. A última porta trancada, no entanto, esconde outro segredo: para entrar por ela, é preciso passar POR TRÁS das estátuas, um vão quase invisível que, MUITO provavelmente, deve ter feito muita gente perder tempo tentando remover as duas estátuas pra poder passar. Pegadinhas de Landstalker…

outro LIFE STOCK complicado de alcançar e a entrada lateral pra porta, uma pegadinha do jogo, já que de frente não dá pra passar pelas estátuas…

No final do corredor, Duke me aguardava…. Na verdade, ele se impressiona com Nigel, dizendo que subestimou a coragem do herói. Após uma luta facílima, ele desiste e entrega os baús com o tesouro mas, ao se aproximar, Zak despenca e leva à nocaute o pobre Nigel. Após Zak sumir, uma aura branca toma conta do lugar. O responsável por resgatar Nigel e Friday é Mir, que os teletransporta para sua torre e cura os ferimentos. Mir explica que Duke conseguiu as jóias e está seguindo para o lendário mundo subterrâneo, um lugar sagrado onde somente quem possui as jóias sagradas pode adentrar. Mir nos presenteia com a magia AXE, que permite que Nigel corte os pinheiros, abrindo caminho muitas vezes para itens e passagens escondidas na floresta.

Zak aparecendo de surpresa e Mir ensinando a magia Axe para Nigel

Antes de partir, Mir pede para que Nigel e Friday siga para as montanhas à noroeste de Mercator. A nova magia com certeza vai nos ajudar. Saindo da torre, sua primeira utilidade foi abrir caminho para um LIFE STOCK ali perto, somando 58 pontos de energia. Depois dessa maldita dungeon, preciso de um descanso (principalmente pro meu sofrido nariz). Semana que vem eu voltando contando as aventuras nas montanhas de Landstalker! Até lá!

Diário de Bordo: Landstalker, parte 11

3 ideias sobre “Diário de Bordo: Landstalker, parte 11

  • 05/12/2011 em 10:47 am
    Permalink

    ainda bem que você melhorou, Cosmão. finalmente posso continuar 🙂

    Pôneis,Bolas de ferros velozes e Dukes malditos!!

    já preparei a maracujina e calmantes aqui, eita joguim dirfirci pra cebola esse Landstalker, ainda bem que encontrei as botas de cura, assim não preciso usar tantos EkeEkes e Save States. já que a ultima Dungeon me exigiu muito e do Nigel. fico um tempão andando de um lado para o outro, mas cura. seria mais prático se recuperasse a energia parado não?

    e para derrotar o Golem gigante de pedra, só fiquei na entrada da sala. o bicho me paralisava, mas não me acertava. se bem que indo num canto alto era mais fácil dar cabo dele.

    no caminho para o Lake Shrine, eu já sabia como abrir o caminho graças a dica do Landstalker, um carinha que é muito fã do game e postou a dica no post passado desse game. ele falou até das árvores de teleporte,mas até hoje não sei como as danadas funcionam…

    “outras que pede uma velocidade incrível de saltos para alcançar portas e plataformas”

    rapaz, acho que foi nessa dungeon que tinha umas bolas de ferros ULTRA VELOZES fariam até o Sonic comer poeira. e tinha que fazer o Nigel pular nelas e acionar os botões….AAAAAARRRRRGHHHHH!!!

    Maracujina no jarrinho,acionar…:)

    essa parte foi tão estressante que quando depois de uma hora e vinte e quatro minutos tentando, finalmente consegui. e olha que mesmo com Save States, foi uma dificuldade enorme. tive que desligar o game e tentar num outro dia…o cara que fez esse puzzle não tem coração.

    ainda teve outro Puzzle onde tinha muitas plataformas minusculas e tinha que sair pulando com a caixa na cabeça para acertar a estatua ainda pulando….mais maracujina, pelo menos esse não foi tão dificil. e ainda mais para frente peguei uma nova proteção para o Nigel, ainda bem pois ele vai precisar.

    o que achei comédia foi o Duke, ele já na frente do Nigel há séculos, ainda fez questão de esperar por ele só para levar uma coça federal…hauhauahuahauh, coisas de vilões. mas o Zak estragou o meu show. enfim, espero pelo próximo diário de bordo com muito suco de maracujá, para me acalmar. e meu, pelo que ouvir dizer que as ultimas dungeons vão ser de perder os cabelos….

    da-lhe suco de maracujá. 🙂

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 05/12/2011 em 3:46 pm
    Permalink

    Cosmão melhoras, tomara que se recupere rapidamente. Depois de estudar a forma de ataque do Stone Warrior fica fácil derrotá-lo. A batalha contra o Duke é ridícula, o Stone Warrior é muito mais desafiador, até Mir é mais desafiador.

    @leandro(leon belmont)alves
    Você encontra o local para cumprir a quest em um cruzamento entre Mercator, Ryuma e Gumi, na praia. No local existem três árvores grandes (duas menores e uma maior), vá em direção ao tronco, como se fosse “entrar” nele. Depois de um diálogo entre Nigel e Tibor é só entrar e destruir os Ghost Creator, os Ghost e o Gold Knight. Após salvar Tibor, você poderá usar as árvores (por exemplo: aquelas duas árvores ao lado de Tibor) como teletransporte. Algumas árvores só abrem o teletransportem quando você descobre novas áreas que contenham outras árvores semelhantes.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *