Olá jovens mancebos! O diário continua e agpra está DIÁRIO!
Fantástica minha capacidade de fazer piadas, não?
Depois de chutar o traseiro simbólico de Bowyer, Mario e Mallow
tem que ir atrás das pequenas estrelas que pavimentam o caminho
dos desejos da pessoas (Muito viajante isso, perfeito para um
jogo de Mario!). Fui até a vila e hoho, agora o bigodudo está
em alta! Todas as cogumelinhas poposudas bonitinhas estão atrás
do encanador italiano! Mas infelizmente Mario é um homem
eternamente comprometido com a princesa (parecem o Rui e a
Vanir de os normais, eternos noivos) e tem que manter sua
castidade. Fui até o pivetinho que era dono do Geno e
explicamos a situação da estrada estelar para ele ao estilo de
Mario, com muita mimica e pouco sentido. Bem… Ele não
entendeu nada, mas pelo menos dei satisfação por estar
carregando o boneco dele! Veja como ele respeita a lenda de
Super Mario…
Após pegar uma arma para o Geno com o garoto (eles colocam
ARMAS nos bonecos?! Dédolver, um braço que atira balas!
Loucos!) passo na lojinha e equipo meu estoque de cogumelinhos
e camisas e calças novas para Mario e Mallow (cada cidade tem
roupas melhores que as outras, o sistema de distribução de
roupas deve ser por região). Eu poderia continuar para a vila
das topeiras, onde provavelmente Bowser e seu exercito foram,
mas vi um caminho para Tubo-lar e resovi passar lá antes. É um
cano que leva para uma pequena masmorra, com rios de lavas e
inimigos fraquinhos (exceto as plantas carnivoras, o que é
aquilo!!). Após queimar o traseiro em lava quente (pobre Mário,
vai ser motivo de chacotas por causa disso) e ser roubado por
uma FLOR eu chego até o outro lado do cano e voilá, chego na
ilha fantástica dos Yoshis!
Bem, quem já jogou Final Fantasy com certeza sabe o que um
chocobo (para quem não sabe, imagine que é uma especie de pinto
super crescido alimentado com ração turbinada) e logo imaginei
(por se um jogo da Square) que poderia pegar um dos Yoshis para
desbravar o mundo em alta velocidade (e devorando inimigos!
Ueba!) mas infelizmente não é o caso. Os Yoshis falam uma
lingua que se resume ao barulhinho que o Yoshi de Super Mario
World  (SMW) faz quando montamos nele. Essa situação persiste
até eu achar o Yoshi verde, que é meu antigo companheiro de
aventuras, de quando desbravamos o mundo de SMW (aliás, que
família essa do Bowser, na hora que o pai domina o mundo, todo
mundo tem um castelo, vive tomando cachaça de cogumelo e
dançando o Rumba. Basta o pai cair do cavalo que a Família toda
some! Super Mario RPG as vezes parece demais com a vida
real…)
Como a gente já era chegado, ele me entende, e vira meu tradutor para o que os outros Yoshis falam. Parece que a galera tá meio triste por que tem um Yoshi chamado Boshi (Bozo + Yoshi?) chefão dos Yoshis e que ele não deixa os outros fazerem corridas que não sejam duelos com ele. Decidido a acabar com está tirania, me uno ao Yoshi para desafiar Bozo Boshi em uma CARREIRA EM CANCHA RETA (quem for gaúcho vai entender) ou seja, eu e ele, 1×1! Mas o desgraçado (que ainda usa oculos escuros!) nega meu pedido, aceitando apenas se eu conseguir… Bolachas. Ok, lá vai eu atrás de achar bolachas (sorte que um Yoshi rosa trazia algumas e as cede para mim de bom grado) e vamos para mais um mini-game! Tenho que apertar os botões A e B no ritmo da música para poder acelerar meu Yoshi, e posso usar dopping bolachas para dar aquele turbozinho básico (alguém falou top gear?). Até então os mini-games não tinham sido um problema, exceto que esse. Posso dizer que sou tão bom em jogos que exijam ritmo músical quanto um tiranossauro jogando famicom. Aí começou meu martírio… Perdi umas 30 vezes para o Boshi até que em um momento, por puro calejamento nos dedos e já insano por escutar a mesma música incontáveis vezes, consegui fazer Boshi comer poeira (na verdade foi uma corrida beeem apertada, ganhei por um pouquinho só, chuif) fazendo o Yoshi verde virar o lider dos Yoshis (ele larga o titulo logo depois, pombas!) e liberando a corrida para todos! Meu premio são… Bolachas. Ok, espero uma medalha da proxima vez! Mas recebo do Yoshi outra coisa e adivinham o que é? Uma bolacha especial que o invoca! Até que bolachas não são tão ruins assim!
Nos vemos na próxima, na vila das topeiras!

bann-mario

Olá jovens mancebos e velhos s(t)arados! O diário continua e agora está DIÁRIO (O_0)!

Depois de chutar o traseiro simbólico de Bowyer, Mario e Mallow tem que ir atrás das pequenas estrelas que pavimentam o caminho dos desejos da pessoas (Muito viajante isso, perfeito para um jogo de Mario!). Fui até a vila e hoho, agora o bigodudo está em alta! Todas as cogumelinhas poposudas bonitinhas estão atrás do encanador italiano! Mas infelizmente Mario é um homem eternamente comprometido com a princesa (parecem o Rui e a Vanir de os normais, eternos noivos) e tem que manter sua castidade. Fui até o pivetinho que era dono do Geno e explicamos a situação da estrada estelar para ele ao estilo de Mario, com muita mímica e pouco sentido. Bem… Ele não entendeu nada, mas pelo menos dei satisfação por estar carregando o boneco dele! Veja como ele respeita a lenda de Super Mario…

O Que?
O Que?
Veja como Mario age racionalmente com o rapaz...
Veja como Mario age racionalmente com o rapaz...

Após pegar uma arma para o Geno com o garoto (eles colocam ARMAS nos bonecos?! Dédolver, um braço que atira balas! Loucos!) passo na lojinha e equipo meu estoque de cogumelinhos e camisas e calças novas para Mario e Mallow (cada cidade tem roupas melhores que as outras, o sistema de distribução de roupas deve ser por região). Eu poderia continuar para a vila das topeiras, onde provavelmente Bowser e seu exercito foram, mas vi um caminho para Tubo-lar e resovi passar lá antes. É um cano que leva para uma pequena masmorra, com rios de lavas e inimigos fraquinhos (exceto as plantas carnivoras, o que é aquilo?!!). Após queimar o traseiro em lava quente (pobre Mário, vai ser motivo de chacotas por causa disso) e ser roubado por uma FLOR eu chego até o outro lado do cano e voilá, chego na ilha fantástica dos Yoshis!

Bem, quem já jogou Final Fantasy com certeza sabe o que é um chocobo (para quem não sabe, imagine que é uma especie de pinto super crescido alimentado com ração turbinada) e logo imaginei (por se um jogo da Square) que poderia pegar um dos Yoshis para desbravar o mundo em alta velocidade (e devorando inimigos! Ueba!) mas infelizmente não é o caso, só dá para usar os Yoshis na ilha mesmo 🙁

Um Chocobo filhote muito bem armado!
Um filhote de Chocobo muito bem armado!

Os Yoshis falam uma lingua que se resume ao barulhinho que o Yoshi de Super Mario World  (SMW) faz quando montamos nele.

Essa situação persiste até eu achar o Yoshi verde, que é meu antigo companheiro de aventuras, de quando desbravamos o mundo de SMW (aliás, que família essa do Bowser, na hora que o pai domina o mundo, todo mundo tem um castelo, vive tomando cachaça de cogumelo e dançando o Rumba. Basta o pai cair do cavalo que a Família toda some! Super Mario RPG as vezes parece demais com a vida real…)

Como a gente já era chegado, ele me entende e vira meu tradutor, traduzindo o que os outros Yoshis falam. Parece que a galera tá meio triste por que tem um Yoshi chamado Boshi (Bozo + Yoshi?) chefão dos Yoshis e que ele não deixa os outros fazerem corridas que não sejam duelos com ele. Decidido a acabar com está tirania, me uno ao Yoshi para desafiar Bozo Boshi em uma CARREIRA EM CANCHA RETA (quem for gaúcho vai entender) ou seja, eu e ele, 1×1! Mas o desgraçado (que ainda usa oculos escuros!) nega meu pedido, aceitando apenas se eu conseguir… Bolachas. Ok, lá vai eu atrás de achar bolachas (sorte que um Yoshi rosa trazia algumas e as cede para mim de bom grado) e vamos para mais um mini-game! Tenho que apertar os botões A e B no ritmo da música para poder acelerar meu Yoshi, e posso usar dopping bolachas para dar aquele turbozinho básico (alguém falou top gear?).

Quase lá!!!
Quase lá!!!

Até então os mini-games não tinham sido um problema, exceto esse. Posso dizer que sou tão bom em jogos que exijam ritmo músical quanto um hamster hackeando um computador. Aí começou meu martírio… Perdi umas 30 vezes para o Boshi até que em um momento, por puro calejamento nos dedos e já insano por escutar a mesma música incontáveis vezes, consegui fazer Boshi comer poeira (na verdade foi uma corrida beeem apertada, como vista na foto ao lado, ganhei por um pouquinho só, chuif) fazendo o Yoshi verde virar o lider dos Yoshis (ele larga o titulo logo depois, pombas!) e liberando a corrida para todos! Meu premio são… Bolachas. Ok, espero uma medalha da proxima vez! Mas recebo do Yoshi outra coisa e adivinham o que é? Uma bolacha especial que o invoca na batalha! Até que bolachas não são tão ruins assim!

Até a próxima, na vila das topeiras!

Diário de bordo: Super Mario RPG (8)
Tags:                             

6 ideias sobre “Diário de bordo: Super Mario RPG (8)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *