bann-mario

Boa noite senhores! Os bons ventos me trazem!

Após um período de tratamento no asilo Pac-Vei, Bangagá está de volta! E retomando o Diário de bordo que agora não vai ser mais interrompido por longos períodos! Peço desculpas pela mancada, mas este senhor com muitos invernos descobriu que estava com diabetes, além de ter passado por algum tempo com visão turva,  que foi consequência da diabetes (sim galera, Diabetes pode cegar se for deixada sem tratamento pro muuuito tempo, minha dica: Manerem no açucar!) . Mas vamos parar de falar dos problemas de saúde deste velhinho e vamos para o jogo!

Resolvi jogar tudo de novo, então aí vai uma retrospectiva para quem está desatualizado (acho que todo mundo, inclusive eu) com um adendo de mais um pouco de jogo no final do post (Com uma revelação desconcertante!). Resolvi fazer algo baseado no primeiro diário de bordo que vi, do Mestre Gagá de Phantasy Star (o mais engraçado e dramático Diário de Bordo de todos os tempos) que está na Gazeta de Algol

11:20 – Resolvo fazer uma mini-maratona para poder reiniciar o Diário de Bordo do Super Mario RPG. Antes penso em mudar de emulador e peço umas dicas legais com o Gagá.

14:30 – Gagá recomenda o Bsnes, nunca ouvi falar do troço e vou atrás. Baixo o emulador e vejo que a imagem dele é perfeita e fabulosa

14:31 – Além de perfeita e fabulosa, é lenta. O jogo vai enganchando de forma medonha no meio da apresentação. Pelo visto meu computador não era capaz de rodar, bem que o Gagá avisou que precisava de uma maquina potente. Decido procurar um emulador que também rode no meu laptop (que tem uma configuração um pouco pior que a do meu pc)

15:00 – Testo o Snes9x! Roda que é uma beleza no pc, mas desaponta no laptop. Pelo visto vou ter que por o Zsnes mesmo. Nada contra, só achei que ia variar dessa vez. Zsnes funfa que é uma beleza nos dois PCs!

15:01 – Opa, médico! Tenho que entregar alguns exames. Decido começar quando voltar.

18:04 – Volto tarde, mas não desanimo: Pego o Tradutor que o gamer_boy indicou-me e começo o jogo. Caraca, essa tradução tá bem melhor!

18:10 – Mais uma vez a princesa foi seqüestrada pelo Bowser. O que será que ele faz tanto com essa princesa? Uma pergunta eterna dos retrojogos. Todos vocês imaginam o que deve rolar entre eles né? Prováveis partidas incessantes de xadrez…

18:12 – Pelo visto o Xadrez já deve ter terminado. Chuto a porta feito macho e vou salvar a princesa. Bowser se nega e a gente cai na treta. Venço, mas depois  uma espada gigante atinge o castelo e me joga longe! Volto para tirar satisfação, mas ela é intransigente (e levemente mais forte que eu). Vou pro Reino do Cogumelo!

19:00 – Explico a situação para os Fungos coloridos, que se desesperam e pedem para que eu resolva (Mario é o maior quebra-galho que eu já vi!) na saída vejo um crime: um garoto chamado Mallow é roubado. Resolvo ajuda-lo e ele se junta a mim. Dou uma surra no ladrão e Mallow diz que o avô dele é truta e que pode me ajudar a encontrar uma maneira de resgatar a princesa. Antes de ir ver o vovô, nós salvamos o Reino dos Cogumelos de um lacaio da espada gigante e eu pego uma parte da estrela que ele quebrou quando veio para a terra.

19:50 – Entramos pelo cano! Pegamos o caminho dos esgotos e enfrentamos a fauna local. Após refeições indigestas e um alagamento, conseguimos sair. Agora continuamos com a nossa progamação normal!

Depois de andar um bocado chegamos até a área onde Frogfuccius, o avô de Mallow, mora. O Velhinho parece que tem poderes e vem flutuando até mim! Mas depois é possível ver que ele teve uma leve ajuda…

Flutuando hein? Essa nuvem não me engana!!!

Cafucio do confucio

Flutuando hein? Essa nuvem não me engana!!! E que ilha bem legal essa!

O bom velhinho parece ser bem informado, sabe de um monte de coisas graças aos contatos fluviais dele. E ele me revela a importante informação de que a princesa não se encontra mais no castelo! Quando o espadão (de nome Smithy, diga-se de passagem) chegou quebrando tudo no castelo, além de me lançar pra longe, ele lançou a Princesa e Bowser para outros lugares!

Após um pouco mais de conversa, ele pede para que Mallow me acompanhe, mas parece que nosso amigo não é lá muito corajoso e argumenta que não pode ir e tal. Mas ei que o velho sapo tinha uma terrível revelação para Mallow… Que Mallow não era um girino (Ohhhhhhhhhhhhhhhh!!!!) e que na verdade ele tinha sido achado boiando no rio e foi adotado pelo Sapo. Frogfucious explica que ele deve ir atrás de sua verdadeira família, apesar de dizer isso bastante triste. Nessa hora, Mallow decide seguir Mario, pois agora ele tem uma verdadeira motivação para seguir. Quando a conversa termina, Frogfucious nos diz que precisamos seguir para a Vila Rosa, pois eles precisam de nossa ajuda.

Até a próxima pessoal!

Ps: A tradução do Devilfox está muito melhor que a que eu estava usando, o cara se garantiu mesmo! Valeu gamer_boy!

Ps2: O jogo tem um bug estranho, se você tentar comprar uma arma na loja e tentar selecionar um espaço vazio, o jogo simplesmente trava!!!

Diário de Bordo: Super Mario RPG(5)
Tags:                             

10 ideias sobre “Diário de Bordo: Super Mario RPG(5)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *