Ora, ora, e não é que a Old!Gamer aparentemente está começando a se aproximar do seu cronograma oficial? Se você esperava que a próxima edição saísse só lá para maio… seguuuuura!

AAAAAAAAI! QUE SUSTO!!!

Para quem reclamava da falta de jogos do console de 8 bits da Nintendo na Old!Gamer, taí a capa com o bizarríssimo Sweet Home. Para quem não sabe, o jogo é o precursor do gênero Survival Horror, e uma verdadeira pérola perdida do NES. Nosso amigo Ancião Kid fez um post bacana sobre o jogo aqui, para quem estiver interessado.

A matéria sobre Sweet Home foi escrita pelo maestro Alexei Barros, do Hadouken. Eu tive a oportunidade de dar uma espiada na matéria editada no computador, e olha gente, tá MUITO legal. Além da matéria ser bem grande e detalhada, o Alexei encheu as páginas daqueles quadrinhos bacanas falando sobre os personagens e outros pontos de interesse do jogo, o que deixou a matéria com aquele jeitão agradável de ler. Coisa fina mesmo, o Alexei está de parabéns. A não ser que algum estagiário derrube milkshake de ovomaltine sobre as máquinas na gráfica, preparem-se para uma das matérias de organização e visual mais atraentes da Old. 

Outra matéria do Alexei que merece nossa atenção é a que fala sobre falsas exclusividades, aqueles títulos que a gente pensa que são exclusivos de certas fabricantes, mas não são. Quer saber como era o Out Run de PC Engine? Sabia que tem Altered Beast para o Famicom? Pois então confiram a matéria.

 Para fechar a trinca de matérias do Alexei (que pelo visto logo será presidente da Editora ^_^), uma BIG matéria sobre a série Turrican. Mas big MESMO, enorme, caprichadérrima. Eu confesso que nunca joguei Turrican na vida, só conheço de fama mesmo, mas depois de ler a matéria do Alexei não tem como não querer conhecer (e tenho uns dois cartuchinhos da franquia aqui na minha Pereba Collection). Ele deve ser fãzaço da série, porque ficou incrível mesmo.
A matéria da Vivi foi diagramada em forma de pergaminho, e ficou bem legal!

 

Mas o Alexei não escreveu a revista toda não, he he… a Viviane Werneck, do blog Girls of War, preparou uma matéria caprichada sobre Elder Scrolls: Arena. A matéria não poderia vir em melhor hora, dado o sucesso de Elder Scrolls V: Skyrim, e explica com muita competência como esse jogo funcionava e seus diferenciais em relação a Skyrim. É uma leitura interessantíssima, tanto para a turma “muderna” que está encarando o Skyrim quanto para os velhacos de plantão.

Não li ainda as matérias sobre telepatia no Atari e sobre meu querido Antarctic Adventure, então não posso falar sobre elas, mas estou curiosíssimo.

Ou seja, a revista está entupida de conteúdo de alta qualidade. Infelizmente o preço continua meio bizarro (quase vinte reais!), mas eu estaria sendo hipócrita se dissesse que não vale o dinheiro, porque vale. E não, eu não ganho comissão para dizer isso e não tem matéria minha nesta edição 😛

A revista já está em pre-venda via internet, onde custa “só” R$15,90, mas aí tem o frete… logo logo deve pintar nas bancas também.

COMPRE AQUI!

Old!Gamer 8 com retro-horror para a velharada gamer!
Tags:     

34 ideias sobre “Old!Gamer 8 com retro-horror para a velharada gamer!

  • 21/03/2012 em 1:55 pm
    Permalink

    Gagá, pode ser salgado o preço de capa, como o pessoal comentou, mas acho que vale a pena! As matérias estão apetitosas e sou da opinião de que devemos incentivar esse tipo de publicação 🙂

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 21/03/2012 em 2:20 pm
    Permalink

    As matérias estão ótimas (especialmente aa que fala sobre “Sweet Home” e a série “Turrican”, que sou fã incondicional, é uma das séries de jogos mais “underrated” existentes), e parece que, pelo menos por enquanto, a revista está tentando manter uma periodicidade. Agora é só esperar aparecer nas bancas.

    Quanto ao preço, apesar de estar caro, até entendo o (possível) motivo: apesar de acharmos que há um público para esse tipo de leitura, devemos considerar que o “mercado retrô” de revistas é diferente daquele para as revistas de videogames atuais. Ou seja: o risco é bem maior. Então, para compensar esse “fator”, o preço acaba sendo um pouco salgado demais.

    Assim como o Gagá, também não recebo comissão, mas tenho que reconhecer que essa questão de mercado é bem complicada.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 21/03/2012 em 8:02 pm
    Permalink

    Como é bom abrir o Gaga Games e ver uma nova edição da Old Gamer! Descobri Mega Turrican de Mega Drive no emulador e o jogo é divertidíssimo! Uma pérola escondida, achava que o jogo era so de Mega mas depois fui ver que a serie tem varios jogos para varias plataformas. A materia deve ter ficado uma maravilha com varias informaçoes sobre todos os jogos, é difícil achar informações sobre essa serie em sites brasileiros.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 21/03/2012 em 8:33 pm
    Permalink

    @bootsector
    Eu acho que continua menor e sem pôster, infelizmente 🙁

    Rafael Fernandes :

    Libera esse pdf aê!

    Quer PDF de quantas matérias? É três por dois real, é três por dois real!

    @Pedro Ivo
    Chegou a experimentar o Shadowrun do SNES? É legal pra caramba também, nem sei qual dos dois eu prefiro.

    @leo_jiraya
    E melhor ainda é ver que a revista não levou seis meses para sair. Fora que estou sentindo uma “vibe” positiva para a próxima edição, parece que a turma está engrenada legal no trabalho e ela não deve demorar. Vamos torcer!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 22/03/2012 em 4:51 pm
    Permalink

    Agradeço imensamente todos os comentários, Gagá!

    Curioso como a expectativa pela revista dos leitores do Gagá Games é basicamente diferente da que leio no Orkut, no qual algumas pessoas parecem não ter o menor interesse por jogos um pouco menos conhecidos e já acham que esta edição vai ser uma porcaria pela ausência de medalhões sem nem sequer abrir a revista. Vamos ver…

    Sobre Turrican, devo dizer que não era fã da série por não ter jogado mesmo. Motivado pelas trilhas sonoras, acabei virando fã depois de finalizar todos. Fico feliz ao saber de outros admiradores, como o Adney, leo_jiraya e o Jet Fidelis. Espero não desapontá-los caso decidam comprar a revista. :p

    Apesar de o Mega Turrican ser muito bom, para mim os melhores da série são o Turrican II de Amiga, pela trilha e foco na exploração, e o Super Turrican 2 de SNES, pelo visual impressionante e chefões animalescos.

    Ah, também fui o autor das outras matérias que você ainda não leu, Gagá.:p A do Antarctic Adventure está enxuta, mas possui duas curiosidades que, aparentemente, não são tão difundidas.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 22/03/2012 em 5:40 pm
    Permalink

    Alexei Barros :

    Ah, também fui o autor das outras matérias que você ainda não leu, Gagá.:p

    Nossa! Já posso chamá-lo de “Sr. Presidente”? 🙂

    Quanto à turma do Orkut, desde o início da comunidade tem a turma que posta que não vai mais comprar a revista, que está uma droga, que é um absurdo a revista não falar de jogo xyz, mas… note como no lançamento da edição seguinte todos estão de volta, jurando mais uma vez que não vão comprar ^_^

    O que quero dizer com isso é que esse caras gostam sim da Old. Se não gostassem, não frequentavam mais a comunidade e não saberiam dizer, por exemplo, que “as três últimas edições foram uma droga” (ou seja, eles compraram as três últimas edições, mesmo malhando).

    Acho que é mais aquela coisa de querer muito que a revista seja perfeita, e muitas vezes as pessoas pensam que a revista perfeita é aquela com matérias que agradariam a elas especificamente. Tipo, eu acho que uma edição inteira sobre Phantasy Star, Ys e Shin Megami Tensei seria fabulosa PARA MIM, mas entendo que PARA A REVISTA não seria, não posso querer que a Old faça isso. Acho que algumas pessoas não conseguem fazer essa distinção direito: o que faria da Old uma revista melhor e o que faria da Old uma revista melhor PARA MIM?

    Outra coisa: por mais que você faça um trabalho incrível, fabuloso, extraordinário, sempre vai ter quem desmereça e diga que ficou uma bosta pelos motivos mais esdrúxulos. Eu fiz aquela matéria enorme sobre Phantasy Star na edição 2, e um cara teve a coragem de dizer que a matéria estava uma bosta pura e simplesmente porque eu não citava o cartucho de Phantasy Star I lançado para o Mega Drive no Japão 0_0 Pô, pode dizer lá que o texto tava um saco, que a matéria estava mal organizada, o que seja, o cara tem o direito de não gostar, mas isso lá é argumento? Só rindo mesmo.

    A verdade é que quando a gente publica qualquer coisa, em qualquer mídia (blog, fórum, revista, whatever), tem que estar preparado não só para críticas pertinentes, mas também para malhações totalmente injustas. É a vida… o negócio é levar na esportiva e tentar peneirar as críticas que são realmente relevantes. Exemplo: teve gente que achou minha matéria sobre Out of this World um porre porque perdi muito tempo falando sobre a história. Relendo a matéria, percebi que era uma crítica que fazia sentido, anotei para não fazer mais isso.

    Quanto ao lance da turma pedir os medalhões, cito Steve Jobs, que por sua vez citava Henry Ford:

    “Henry Ford disse que, se tivesse questionado seus clientes sobre o que queriam, a resposta seria um cavalo mais rápido.”

    É ou não é? ^_^

    Portanto, vamos falar sim de franquias clássicas vez ou outra, não podemos ignorá-las, mas continuemos tratando amplamente de jogos mais exóticos, porque esse é um dos diferenciais da Old, mesmo que parte do público ainda não tenha percebido isso.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 22/03/2012 em 6:19 pm
    Permalink

    Aqui pra minha cidade o frete da revista fica por 16 reais, ou seja, 31 reais COM a promoção. Realmente fica difícil acompanhar.
    Acho que dava pra editora mandar algumas edições pras bancas aqui do Rio Grande do Sul, não?? 😛

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 22/03/2012 em 6:29 pm
    Permalink

    lucas :

    Aqui pra minha cidade o frete da revista fica por 16 reais, ou seja, 31 reais COM a promoção. Realmente fica difícil acompanhar.
    Acho que dava pra editora mandar algumas edições pras bancas aqui do Rio Grande do Sul, não?? :P

    Taí um exemplo de crítica construtiva ^_^

    De fato, 31 reais é complicado. Eu já acho que 20 pratas é um preço alto demais, ainda mais sem o pôster…

    Bom, quem sabe se a revista entrar nos eixos com a periodicidade o preço não acaba caindo e a distribuição melhora, né? Vamos torcer. Mas bem que eles podiam oferecer um desconto para a turma de estados cujas bancas não recebem a Old.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 23/03/2012 em 8:50 am
    Permalink

    Concordo com o Lucas, aqui para Blumenau (SC) o frete também inviabiliza a compra das edições pelo site da Editora Europa.
    Eu comprei até a edição 6, mas todas apareceram em quantidade mínimas nas bancas da cidade e com meses de atraso.
    Sempre fico com o receio de não conseguir alguma edição.
    Gosto e apóio a revista, as matérias são muito boas e bem escritas. Para quem viveu a época dos disquetes 5 1/4 e dos games de 8 e 16 bits ele é excelente para matar a saudade.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 23/03/2012 em 10:57 am
    Permalink

    @Orakio Rob, “O Gagá”

    Hahaha! Se for assim, logo vão querer fazer Impeachment! XD

    Concordo plenamente! Alguns comentários fogem completamente da realidade. Por exemplo, uma pessoa no Orkut disse recentemente que a revista tem 70 páginas, quando, na verdade, são 84. Outra vez um cara fez um post no site pessoal dele reclamando que o GoldenEye era recente demais para estar na OLD!, ao passo que a revista já havia publicado matérias de jogos do Dreamcast… Essa do Phantasy Star também foi dose, incrível como algumas pessoas têm tolerância zero e levam tudo a ferro e fogo. E, olha, perto do que já vi falarem da EGM-EGW na época que escrevia para a revista os comentários sobre a OLD! são fichinha. :p

    Evidente que as pessoas têm todo o direito e muitas reclamações são válidas (falta do pôster, diminuição de páginas, preço salgado etc.). No meu caso, uma crítica que li foi que a matéria do Kid Chameleon estava muito com cara de manual do jogo pelo excesso de descrições detalhadas dos poderes no meio do texto entre outras coisas. A matéria do Turrican fiz diferente para o texto não ficar tão maçante nas explicações de poderes e outras coisas. Agora, em relação à sua matéria do Out of this World, até fiquei de comentar no outro post. Eu reli e não achei que o texto ficou pesado, mesmo porque sei que você sempre tem a preocupação de deixar o texto leve e tal. Mas, talvez, quem jogou e conhece tenha usufruído melhor da matéria pelas lembranças visuais na cabeça.

    Também sou a favor da revista só de Ys, Phantasy Star e Shin Megami Tensei. O problema é que a galera que não curte RPGs certamente acenderia tochas e queimaria camisas em protesto. XD

    Sobre a citação do Ford, absolutamente perfeito. Se revista fala de um jogo exótico ou desconhecido, tem um motivo para estar ali, seja importância histórica, influência ou qualquer outra curiosidade.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *