Olá amigos leitores do Gagá Games! Aqui é o retrogamer André Breder para trazer até vocês mais uma edição do Recordar é envelhecer! Hoje vou voltar para 1984/85, e relembrar um game muito bacana que foi lançado para o console de 8 Bits da Nintendo: Balloon Fight. Tenham todos uma boa leitura e até a próxima!

Introdução

Lançado em 1984 no Famicom, e no ano seguinte no NES, Ballon Fight é um game simples, mas muito divertido. O game foi claramente inspirado no Arcade Joust, lançado em 1982 pela Williams Electronics, só que Ballon Fight acabou ficando mais popular.

Ballon Fight foi desenvolvido pelo designer Yoshio Sakamoto, que antes deste trabalho, já havia ajudado Shigeru Miyamoto no Arcade Donkey Kong Jr. Após mostrar seu talento, Sakamoto então trabalharia em outros grande games da Nintendo após Ballon Fight, como Kid Icarus e Metroid, onde ocuparia o cargo de diretor. E foi exatamente na série Metroid que Sakamoto mais mostrou sua genialidade, tendo dirigido também os títulos Super Metroid, Metroid Fusion, e Metroid: Zero Mission. Ele também supervisionou a produção da franquia Metroid Prime e mais recentemente assumiu mais uma vez o cargo de diretor em um novo jogo estrelado por Samus, que foi o título Metroid: Other M.

Mesmo que em Ballon Fight Sakamoto estava dando seus “primeiros passos” no mundo do desenvolvimento de games, e que este jogo não tenha a complexidade dos títulos da série Metroid que o tornaram famoso no mundo todo, este “joguinho” mostrou que simplicidade não é, e nunca será, sinônimo de falta de qualidade.

Sobre o game

Em Ballon Fight o jogador controla um “Balloon Fighter”, que possui dois balões cheios de gás hélio em suas costas. Apertando repetidamente os botões A ou B, o jogador fará com que seu personagem bata com seus braços, podendo assim voar. O objetivo do jogo é eliminar todos os inimigos existentes nas fases do game, que também farão uso de balões e irão tentar a qualquer custo estourar os balões do jogador. Ao perder um dos balões, o jogador terá uma maior dificuldade para voar, e ao ficar sem nenhum irá automaticamente perder uma vida.

Durante as diversas fases de Ballon Fight, o jogador deve ficar atento a todo o momento, pois para deixar tudo ainda mais desafiador, existem outras formas de se perder vidas no jogo, fora os ataques dos inimigos que também utilizam balões: ao cair na água, ser comido pelo peixe gigante ao passar pela superfície da água, ou ser atingido por um raio, o jogador também irá perder uma vida.

Ballon Fight já é um game muito divertido ao se jogar sozinho, mas jogando com um amigo, tudo se torna ainda mais bacana: no modo de dois jogadores, pode-se tanto ter um aliado para te ajudar a eliminar os inimigos, como um outro adversário, já que os dois jogadores poderão até mesmo “brigarem” entre si.

A eliminação dos inimigos é diferente de como ocorre em relação aos jogadores, pois quando os adversários perdem o seu balão (no caso dos inimigos eles tem um balão apenas) eles não são eliminados de imediato. Uma espécie de paraquedas irá se abrir nas costas dos inimigos, e caso eles consigam pousar em um local seguro, irão tentar encher outro balão para voltarem para o jogo. Então o jogador deve após estourar o balão do seu adversário, tocar nele novamente, fazendo com que ele perca seu paraquedas, e finalmente seja eliminado do jogo. Se o jogador for rápido, ele pode eliminar alguns inimigos antes mesmo deles conseguirem inflar os seus respectivos balões, e neste caso bastará um simples toque para derrotá-los.

Durante as fases o jogador poderá ganhar alguns pontos extras ao estourar bolhas que ficaram flutuando pela tela. Se fizer um dos inimigos cair de paraquedas justamente para dentro do lago que existe nas fases, faz com que o impiedoso peixe gigante o apanhe, o que também rende pontos adicionais ao jogador.

Graficamente Ballon Fight está dentro dos padrões de um game de sua época: tudo é bem simples, mas ao mesmo tempo nada é mal feito. A animação dos personagens, por exemplo, é muito boa, o que garante o ritmo alucinante que o game possui, e é o que o torna tão divertido. Ballon Fight é um game que mostra que não é preciso ter ótimos gráficos para que um game seja bom e agradável de se jogar.

A sonoridade do game ficou a cargo de Hirokazu Tanaka, que já havia trabalhado antes em outros games da Nintendo como Donkey Kong, Mario Bros. e Donkey Kong Junior. Tanaka não pode fazer uma trilha sonora bacana devido a falta de memória do jogo, mas então caprichou nos efeitos sonoros e usou de maneira criativa algumas mini-trilhas que surgem em momentos específicos do game. O único momento do jogo onde há uma trilha maior, é durante as fases bônus, que surgem a cada três fases normais do game. Nestas fases o objetivo é estourar o maior número de balões, ganhando assim muitos pontos.

A jogabilidade é simples e objetiva, com todos os comandos funcionando perfeitamente bem. Cada fase é um tela fixa, mas é possível “vazar” entre os dois lados da tela, fazendo com que o jogador possa utilizar essa possibilidade para fugir de um inimigo que esteja o perseguindo, ou mesmo atacar um inimigo que estaria posicionado bem distante e exatamente do lado contrário ao do jogador.

Apesar de ser um jogo simples, Ballon Fight está longe de ser um game fácil por conta disso, pelo contrário, traz um desafio bem alto! Tudo bem que no começo tudo é moleza, mas a medida que o jogador avança no game, as fases vão ficando cada vez mais difíceis e cheias de inimigos petulantes. As plataforma que ficam na tela, passam a ficar em posições que atrapalham o jogador, e em etapas mais avançadas, até mesmo plataformas móveis surgem, tornando tudo ainda mais complicado.

O jogador tem que ser rápido na eliminação dos inimigos, pois se demorar muito, raios começarão a sair das nuvens, e irão deixar tudo mais difícil do que já está! Cada jogador só possui três vidas, e não há continues, fazendo com que Ballon Fight seja um game realmente desafiante. Além do mordo normal de jogo, existe ainda a opção Balloon Trip, que só pode ser jogada por um jogador, e trata de um modo onde o objetivo é recolher o maior número de balões possíveis, ao mesmo tempo em que se desvia dos pontos de energia na tela. Em Ballon Trip o jogador só tem uma vida, o que torna este modo como algo muito difícil.

Conclusão

Em suma: Ballon Fight é um ótimo game para se passar o tempo. Altamente divertido, viciante e trazendo ainda um desafio bem alto, é um jogo que pode entreter jogadores de todas as idades, e pelo tempo que eles tiverem disponíveis para jogar.

Recordar é envelhecer: Balloon Fight (NES)
Tagged on:                 

14 thoughts on “Recordar é envelhecer: Balloon Fight (NES)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *