Gente, eu zerei Wolfenstein 3D! E só precisei de 25 anos! ^_^ 

Eu nem ia fazer o post, mas nosso amigo André “Caduco” Breder me lembrou que hoje o Gagá Games está fazendo nove anos, então resolvi escrever algumas asneiras aqui. Vamos ver que bicho vai dar.

Passei batido por Wolf 3D na época, acho que nunca tinha jogado. Lembro de ler sobre ele numa Ação Games, se não me engano foi uma materiazinha sobre a continuação Spear of Destiny (quem é rato de revista velha deve lembrar dessa edição). Infelizmente, meu tempo com PC era escasso (eu jogava na casa de amigos, só fui ter um PC aos 20 anos), então quando tinha a oportunidade de jogar, era Doom na cabeça.

Pacotão da alegria no Steam

 

Acontece que o Steam está fazendo um saldão de jogos da Bethesda/id neste fim de semana e eu não resisti: com 25 anos de atraso, finalmente comprei Wolfenstein 3D. Aliás, mais do que isso, comprei o Wolf Pack: Wolf 3D, Spear of Destiny e Return to Castle Wolfenstein. Baixei o Wolf 3D ontem à noite, botei para rodar e hoje de manhã já tinha zerado o primeiro episódio.

Não vou dizer que joguei com nostalgia zero, porque qualquer FPS daquela época vai me lembrar Doom, mas em termos práticos, Wolf 3D é inédito para mim, eu simplesmente estou 25 anos atrasado. Aqui eu deveria encaixar o papo sobre como o gênero evoluiu nesses 25 anos, mas fuck the world: eu me diverti horrores jogando esse negócio. Wolf 3D é uma delícia de jogo, que coisa maravilhosa! E olha que eu me fartei de jogar Halo, não fiquei parado no tempo não. Mesmo sendo um dos primeiros FPS da história, Wolf 3D continua funcionando incrivelmente bem, o que me surpreendeu demais. Se bem que não deveria: os caras da id eram verdadeiros gênios, né?

Os caras capricharam nas animações de morte

Já temos um superpost sobre Wolf 3D aqui no blog, feito pelo Cássio “Raposa”, então vou me limitar à minha experiência com o jogo. Li rapidinho sobre a trama no manual só para entrar no clima e fui matar os nazistas. Os controles eram o padrão da época: setinhas para andar, você segura o ALT para ativar o strafe (andar de lado), CTRL atira. Até dá para usar o mouse (não exatamente como usamos nos FPS de hoje, mas próximo a isso), mas fui no teclado total, que era como eu jogava Doom.

Pombas, os controles são PERFEITOS: você corre atirando; abre a porta, se joga para o lado para se proteger e atira na diagonal no guardinha que tá lá dentro; tem até uns momentos comédia em que o inimigo entra por uma porta e você sai pela outra. Incrível como tudo isso funciona tão bem com controles tão primitivos. Em nenhum momento eu xinguei os controles. Minto: teve uma vez em que apertei a tecla Windows sem querer e fui parar no desktop, mas aí é covardia: se me lembro bem, naquele tempo os teclados nem tinha essa tecla.

Kill ’em all! Kill ’em all!

Esses jogos que são pioneiros geralmente são muito interessantes, porém pouco divertidos. São muito antiquados, as ideias são ótimas mas mal-executadas, você sente que as mecânicas precisavam amadurecer. Nada disso se aplica a Wolf 3D, o jogo é um verdadeiro balé de game design, divertidíssimo, altamente viciante. Se não jogaram, experimentem que vocês vão curtir.

O primeiro episódio tem nove estágios. Você está fugindo de uma prisão nazista e há imagens de Hitler e suásticas por toda a parte. Não faltam passagens secretas, mas secretas mesmo, do tipo “teste todas as paredes”. Armas, são só quatro: faca, pistola e… sei lá, dois tipos de metralhadora, eu acho. As armas de fogo não têm lá grandes variações: todas usam a mesma munição, só o que muda é a taxa de disparo, que vai de “pew pew” a “ra-ta-ta-ta-ta”. E precisa de mais? Não precisa, gente, não precisa. Jogo elegante, você logo domina o funcionamento e começa a se divertir sem complicações. O próprio manual esclarece que a simplicidade é proposital; o desafio está no jogo em si, nas fases e inimigos.

Que prazer matar uns nazistas, hein?

Aliás, os inimigos também têm pouca variedade, pelo menos no primeiro episódio: guardas, cachorros, soldados da SS e o chefão. Joguei no penúltimo nível de dificuldade e achei o jogo até bem fácil, mas tem que ficar esperto, uns dois tiros de perto já podem te estraçalhar. O lance é ser cuidadoso e não entrar correndo em salas potencialmente cheias de nazistas. Se bem que, para ser honesto, perto do final do jogo eu fui ficando mais corajoso e volta e meia equipava a metralhadora, entrava num salão correndo e girava atirando para matar aquela gente toda. Arriscado? Sim, mas muito libertador.

O chefão é um soldado fortão com duas metralhadoras. Fiz um gif animado do encontro para vocês, vamos ver se essa bagaça funciona aqui no WordPress:

Simples e brutal, esse é Wolfenstein 3D

Quando zerei o jogo, fiquei muito feliz por ter comprado o pacotão: além de ter mais cinco episódios de Wolf 3D para jogar, ainda tenho o Spear of Destiny e o Return to Castle Wolfenstein (mais moderninho) para encarar. Sinto que terei semanas muito felizes por aqui. De repente faço mais uns posts sobre Wolf se vocês curtirem. Se não curtirem… dane-se, eu vou fazer assim mesmo 😛

E vocês, jogavam esses FPS velhacos? Wolf, Doom, Heretic, Quake?

Wolfenstein 3D e Gagá Games: não somos velhos, somos clássicos!

9 thoughts on “Wolfenstein 3D e Gagá Games: não somos velhos, somos clássicos!

  • 28/08/2017 at 12:17 am
    Permalink

    Acho um baita jogo! Infelizmente, desde a época, nunca consegui jogar por muito tempo porque me dava “motion sickness”. Wolf3D causava mais tontura do que Doom, pois o movimento é em linha reta, sem movimento vertical.

    Tenho este problema até hoje com FPS e alguns outros jogos em 3D 🙁

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 28/08/2017 at 12:45 am
    Permalink

    Daniel Paes Cuter “Talude”,

    Eu tô interessado em conhecer a franquia inteira agora, mas vou precisar de um PC melhor para pegar os jogos mais recentes (tenho um note “marromenos” que não vai segurar). De qualquer jeito, vai demorar para eu chegar nesses jogos, porque ainda tenho um monte de coisa para jogar nesse Wolf Pack. Comecei o episódio 2 do Wolf 3D agora e já vi que o jogo ficou mais desafiador…

    Diogo,

    Ah, eu sempre sofri com motion sickness também. Jogo uma fase, talvez duas forçando um pouco, aí tenho que dar um tempo. Tenho problema até jogando The Witness, que é um puzzle superparadão em primeira pessoa.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 29/08/2017 at 7:44 pm
    Permalink

    Putz Gagá…. acabei de ficar mais pobre e mais Feliz …. jogando e relembrando Wolf 3D … rsrsrs
    Que venha o próximo POST do “Return to Castle Wolfenstein”, to no aguardo!!!
    Ah lembrei de um jogo FPS das antigas que joguei muito chamado DESCENT …

    Grande Abraço.
    Marcelo Palmieri

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 01/09/2017 at 4:31 pm
    Permalink

    Eita que o gaga voltou com coisa boa agora!!!
    Sou apaixonado pela franquia Wolfenstein (cheguei a fazer um post no meu falecido blog Nostalgia && Tecnologia sobre o Wolf3D)

    Recentemente terminei o Wolfenstein The New Order e te garanto que o feeling será o mesmo desse aí, só deslizando um pouco na dificuldade mas nada insuportável. Praticamente todos os jogos da franquia estão disponíveis para o Xbox 360 (Você não tinha um ,gagá? )

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 01/09/2017 at 7:02 pm
    Permalink

    LordHeizel,

    Eu tinha um X360 sim, mas vendi 🙁

    No momento, estou jogando num note meio mais ou menos, mas pretendo comprar um computador bacana no ano que vem, aí vou poder jogar The New Order também. Sem pressa, porque até lá ainda tenho o Spear of Destiny e o Castle Wolfenstein para jogar ^_^

    O The New Order é muito fácil ou muito difícil? Eu geralmente curto quando esses jogos são mais difíceis. O próprio Wolf3D eu tô jogando na penúltima dificuldade e tô meio que tirando de letra até agora.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 05/09/2017 at 4:39 am
    Permalink

    os jogos de hoje são baseados em Wolfenstein e DOOM!!!! E a geração atual fala mal desses jogos mais antigos e não para pra pensar sobre isso. Antigamente a galera do Pc at386 compartilhava disquetes e nesses disquetes tilnha essas pérolas citadas acima!!!! Bons tempos foram estes!!!! Saudades!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *