Saudações meninos e meninas! Eu não falei que não demorava? Temos muitas coisas a se falar sobre o deserto Camellia neste sétimo capítulo do diário de bordo:

Primeiramente este é um lugar extremamente perigoso, existem areias escorregadias (É isso mesmo que você leu) e monstros surgindo do solo desértico nos momentos em que menos se espera, há também cactos que lançam filhotinhos suicidas (Como será que eles se propagam…?), portanto, cuidado é imperativo neste lugar. Mas também há sacos de dinheiro, maçãs do deserto e até a palavra ATLUS escrita com blocos de areia. Encontrei algumas saídas/entradas extras do lugar, uma delas leva ao lago que será usada posteriormente, uma outra ao sul que leva à Torre Babel, é essa que eu devo encontrar.

Nossa! Cada bicho feio, me lembrou até Breath of Fire.
Nossa! Cada bicho feio, me lembrou até Breath of Fire.

Em outros caminhos eu encontro muito mais buracos, só que desta vez atrapalham o personagem mais do que ajudam, há também uma infinidade de areias escorregadias, e grandes barreiras que precisam ser desmanchadas.

Detone a barreira de areia conectando o bloco e batendo nele.
Detone a barreira de areia conectando o bloco e batendo nele.

Num dos caminhos eu encontro uma ruína muito antiga (Não é importante no momento) e, num outro, um pequeno Oasis com casas habitadas por animais. Na cabana à esquerda existe uma loja de animais onde encontramos Batty, um morcego que adora fazer negócios com quem tem dinheiro, quando usado, ele protegerá Corona por um determinado tempo.

Uma fala legal pra uma Anta. O que é aquilo? Um dinossauro na lagoa?!
Uma fala legal pra uma Anta. O que é aquilo? Um dinossauro na lagoa?!

Na cabana à direita, eu obtenho mais informações sobre a Torre Babel. Ela parece ter sido construída por humanos que queriam alcançar a ilha da Paz, um local encantado onde todas as criaturas da terra vivem em harmonia, mas que por alguma razão a construção da Torre Babel acabou sendo interrompida. Ao sul deste Oasis, esta a saída que leva para lá. Antes de prosseguir, porem, darei inicio a…

Conversando com os animais:

Voltamos em mais uma seção mentirosa (E cada vez mais rara) de “conversando com os animais”. Fazia tempo que eu não pregava uma peça num animal e bem ali tem uma Anta comendo, vou sacanear com ela um pouco.

-Ei! Anta! Você sabia que segundo um site muito importante de pesquisas acadêmicas a Anta é uma palavra proveniente do Latim Ântanus Tapirus Retardadus Tapadus Ridiculuns…?

-Naum… Naum sabia naum…

-E você sabia que uma Anta pode pesar até uma tonelada, tem seis dedos nos pés traseiros e um adicional no ânus…?

-Naum… Naum sabia naum…

-E que sua tromba parece com um órgão masculino humano que também é flexível, pulsante, peludo e que cresce de vez em quando…?

-Naum… Naum sabia naum…

-E que sua espécie vive no deserto do Saara tomando banhos de esterco e esperma para se livrar de carrapatos, moscas, ornitorrincos e outros parasitas…?

-Naum… Naum sabia naum…

-E que apesar de herbívoro, gosta de comer danoninho, yakult com nescau, brotos, plantas carnívoras, dinheiro e devora até plantações de arroz, pacu e pedra com  melão…?

-Naum… Naum sabia naum…

-E que também possui hábitos obscuros como esconde-se de dia saindo à noite para defecar?

-Naum… Naum sabia naum…

-E que apesar de ser um animal solitário, se encontrado em grupos durante churrascos e/ou amamentação?

-Naum… Naum sabia naum…

-E que a fêmea só faz sexo uma vez na vida porque o casal se separa logo após o acasalamento, e a gestação dura de 2 a 3 anos e que depois que dão a luz elas morrem.

-Naum… Naum sabia naum…

-E que os machos marcam território chorando sempre no mesmo lugar, e quando o fazem emite vários sons: um grito horrível que esteriliza a sí mesmo na época do acasalamento…?

-Naum… Naum sabia naum…

-E que o ranger de seus dentes indica eminente diarréia, e quando arrota é pra mostrar agressividade, mas quando arrotam em grupo é facilmente confundido com uma banda de pagode?

-Naum… Naum sabia naum…

-Caramba ô Anta! Mas tu não sabe de nada!

-Sei de uma coisa que você naum sabe.

-Aé?! O que?

-Você sabe por quê que a loira atende o celular na lavanderia?

-Não… Não sei não… Porque?

-É pra não sair da área de serviço.

-Há! Credo! Que piada safada! Agora eu sei porque ninguém gosta dessas piadas…

(Texto inspirado na matéria sobre “Anta” no site da Desciclopédia.)

Bem, deixando o off-tópico de lado, é melhor voltar ao Crusader antes que o dono do site me mande catar coquinho pros macacos mecânicos jogarem no Sonic…:

Na Torre Babel a coisa foi rápida, é subir pelo elevador expresso, enfrentar o chefe e voltar para o Oasis. Mas vamos por partes: Roxie é o chefe do lugar (Da Torre Babel), um dos que eu mais gosto de Crusader of Centy por ser bem estranho. Trata-se de uma espécie de criatura com um coração no meio de um contorno de forma humanóide em volta do mesmo. Ele possui quatro tipos de ataques sendo que dois é uma variação sutil, e eu levei certo tempo para descobrir que ele só se torna vulnerável após um de seus ataques mais “fulminantes”.

Ta bom, mas não se irrite!
Ta bom, mas não se irrite!

Depois de derrotado, ele faz aquele velho discurso de vilão tradicional dizendo que “eu o derrotei, mas que mesmo assim eu não vou encontrar o céu”. Em seguida Chilly (Chilly é o pingüim, se lembram?) me informa que para chegar ao céu eu primeiro preciso ir atrás de uma semente especial que pode ser encontrada em Freesia, cidade natal do Pingüim, ela esta localizada ao sul depois do oceano. Mas como traspassar as águas oceânicas do sul? A única pista que tenho em mente é o Dippy, o dinossauro aquático que vive na lagoa no Oasis, mas pelo que o coelho da cabana falou, ele é só tamanho, “mas é frouxo que nem presta”. Portanto, mesmo assim, decido retornar ao Oasis e tentar convencer o grandalhão a integrar ao grupo e me conduzir por sobre o oceano até Freesia.

Chegando ao Oasis, o pingüim convence o bichão a ir conosco mesmo que relutante, ele é lento “pacas” no solo, mas é rápido pra “caramba” em alagados.

Parece mais um dinossauro inflável.
Parece mais um dinossauro inflável.

-Anda cavalinho! Anda para o alto e avante!

-Em primeiro lugar, eu não sou um “cavalinho” muito menos o Super Homem pra ir “para o alto e avante”. Em segundo: Quer me fazer o favor de parar de bater com os calcanhares nos meus rins?!

O próximo passo é ir para Freesia. Mas isso fica para outra parte do diário de bordo, lá, se não me falhe a memória, é um lugar cheio de coisas bizarras.

Crusader of Centy – Fate of the World
Tagged on:             

2 thoughts on “Crusader of Centy – Fate of the World

  • 09/07/2009 at 8:17 am
    Permalink

    Igor, o Antediluviano não consegue postar do serviço dele, então vou postar o que ele me disse:

    “Um pouco difícil de responder se eu não sei bem o que ele já fez…

    Ainda por cima, a foto que ele postou não é da torre Babel…
    Ele postou a foto do templo da cidade desértica… Então fica a dúvida, ele não esta conseguindo entrar na torre babel ou na cidade desértica…?

    Se for a cidade desértica, isso é bem depois, quando acontecer aquele evento do tornado do tempo…

    Já na torre babel, precisa ir para o templo de gelo, para ir para o templo de gelo é necessário o dinossauro que fica no Oasis do deserto…”

    Ajudou?

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *