Diário de bordo: Ultima I, 31/08/2009

bann-ultima_i

Cara, esse eu tirei da tumba! Ultima I, lançado em 1981 para o Apple][, o computador que usava um ][ em vez de um II no nome só para bancar o engraçadinho!

Ultima I é clássico total, provavelmente o RPG eletrônico mais importante de todos os tempos. Aqui nasceram vários elementos que nós passaríamos a ver em praticamente todos os RPGs lançados depois. No início da década de 80 não tinha Famicom, Master System, nada disso. Os RPGs começavam a florescer nos computadores, e eram basicamente jogos com visão em primeira pessoa e um mecanismo rudimentar para a movimentação da tela. A impressão que se tinha era a de que o mundo inteiro era um enorme labirinto.

ultima1-box

A caixa da versão de Ultima I lançada em 1986. O original, de 1981, era vendido com um disquete dentro de um saquinho de plástico. E não, eu não estou fazendo piada, é sério.

Foi Ultima I que tirou os jogadores de RPG desses “labirintos” e os colocou pela primeira vez sobre um mapinha com a visão de cima, meio inclinada, mostrando as árvores, os rios e cidades, criando o que hoje conhecemos como “world map”.  A visão só mudava para primeira pessoa nos labirintos. Ter um quadradinho com umas casinhas desenhadas e que, quando atingido, abria uma nova tela mostrando a cidade por dentro? Ideia de Ultima I. This is the beginning of the dream, my friends… Final Fantasy, Phantasy Star, Star Ocean, tudo isso começou com Ultima I.

Disposto a resgatar as raízes do meu gênero favorito de game, decidi encarar Ultima I. Estou rodando o jogo pelo emulador Applewin, o único emulador decente que eu encontrei e consegui botar para funcionar no Linux (o MESS funciona, mas é um horror para jogos de Apple][). Tenho certeza de que vai ser uma jornada muito interessante, e espero que vocês curtam!

A versão que estou jogando é mais ou menos um remake da original. Na verdade, o jogo que era escrito em Basic foi reescrito em Assembly, o que aumentou a velocidade e permitiu pequenas melhorias e acréscimos. Nada que vá nos afastar do espírito do jogo original, que é basicamente o mesmo. Como um todo, essas modificações servem mais para eliminar os aspectos mais irritantes da jogabilidade do original de 1981, e não invalidam a nossa experiência.

Amanhã vamos ler juntos o manual do jogo!

About Orakio Rob, "O Gagá"

Dono do império corporativo Gagá Games, o velho Gagá adora falar sobre si mesmo em terceira pessoa. E sim, é ele mesmo que está escrevendo este texto.