bann-cruzada_nesE eis que após meses e mais meses de xingamentos pessoais e ofensas dirigidas à ilustríssima senhora minha mãe, motivados pelo suposto “seguismo” que faria da série Phantasy Star a minha favorita, que me faria encarar uma cruzada com todos os jogos de Master System e que seria a razão de eu usar essa bandana com a inscrição “Sega 92” (ora, de onde essa gente tirou essa ideia de que eu sou seguista?) , decidi tomar vergonha e me dedicar a uma missão secreta no QG da Nintendo… sim, eu vou encarar todos os jogos de NES. Todos mesmo, até os de Famicom. É, crianças, o Gaǵa é ninja.

A princípio rolou um medinho, do tipo “pô, mas são uns setecentos jogos lançados para o NES, melhor eu me limitar a eles”, mas depois eu pensei “ah, calça de veludo ou cavidade retrofuricular de fora” (não é o máximo o duplo sentido da palavra “retro”?) e decidi jogar os jogos de Famicom também, o que lança o número de jogos lá na casa dos MIL!

Coisa de louco. Vou jogar tudo por ordem de lançamento no Japão. Tenho uma lista de jogos que saíram no Japão e outra com os que saíram nos EUA. Vou mesclar as duas listas, dando sempre prioridade à data de lançamento no Japão.

Vocês podem achar que eu mal conheço o 8 bits da Nintendo, mas estão enganados. Eu joguei muito NES na casa de um colega quando eu era moleque. O pai dele tinha grana, e deu para ele o primeiro Zelda originalzão, com mapa, manual… bons tempos. Lá eu joguei muitos clássicos, muitos mesmo, mas curiosamente alguns passaram em branco por mim, como eu já confessei por aqui. A ideia desta cruzada não é a de zerar todos os jogos, mas sim de jogar o suficiente de cada um para dizer que conheço esses jogos razoavelmente bem (nada de jogadinhas de dois minutos apenas). Mas por ocasião desta cruzada, pretendo me redimir de alguns pecados, zerando uns jogos da série Mega Man e pelo menos um Dragon Quest.

donkeykongjr-nes
Putz, eu joguei muito Donkey Kong Jr. quando era moleque...

Mas vamos lá, vamos começar esta bagaça pelo ano de 1983, quando o Famicom foi lançado no Japão e a Nintendo começava a tornar nossas vidas dez vezes mais felizes e interessantes. Era o dia 15 de julho, e três jogos foram lançados no mercado japa: Donkey Kong, Donkey Kong Jr. e Popeye. Como hoje eu já fiz esse histórico enorme aí em cima, vou falar só desses três jogos.

Donkey Kong… bom, o que dizer de Donkey Kong, né? Um estouro de jogo. Imagino como os japoneses se sentiram ao colocar o cartucho no console. DK é divertidíssimo, um exemplo perfeito da genialidade de Myamoto-san. O port para o NES é excelente, tem duas dificuldades selecionáveis e várias telas diferentes. Os gráficos são simples e charmosos, o som é muito adequado, e já dava para notar que o NES ia dar uma coça bonita no Atari.

Donkey Kong Jr. também é uma delícia de jogo. Eu tinha um Game&Watch desse negócio, jogava incessantemente. O lance de se mover pelos cipós, desviando dos inimigos, é outro exemplo de jogabilidade genial. O vício é instantâneo, a Nintendo realmente entrou com os dois pés e com força no mercado. O mais hilário é ver o Mario fazendo papel de mau, mantendo Donkey Kong refém enquanto seu pobre filhotinho tenta desesperadamente salvá-lo… bad, Mario!

O terceiro jogo era Popeye. Esse eu tinha no ODYSSEY! Putz, sou muito velho mesmo! Popeye é divertidão: você controla o Popeye, e tem que pegar os corações que a Olívia lança lá de cima, enquanto Brutus atrapalha tudo. Já notaram que nesses três jogos você tem alguém lá em cima jogando coisas em quem está embaixo? Será que a turma da Nintendo curtia ficar na varanda jogando ovos nos transeuntes? O fato é que o jogo do Popeye também é muito bacana, e a versão do Famicom é bilhões de vezes melhor do que a do Odyssey, obviamente.

popeye-odysseypopeye-nes

No Popeye do Odyssey (à esquerda, é claro) o Brutus parecia o incrível Hulk 🙂

Em seus primeiros momentos, o NES já tinha jogos extremamente viciantes, mas nem de longe as pessoas poderiam imaginar que seus jogos evoluiriam ao nível de complexidade de um Ninja Gaiden da vida. Vai ser muito interessante acompanhar essa história e ver como o NES virou o que virou. Espero que curtam a cruzada. Sexta que vem tem mais!

Cruzada NES: eu vou me divertir MUITO com esse negócio…
Tags:     

35 ideias sobre “Cruzada NES: eu vou me divertir MUITO com esse negócio…

  • 19/03/2010 em 8:38 am
    Permalink

    Essa cruzada gaga vai dar mais ibope do que o BBB 32, (ops me perdi nas somas)… Essa idéia de acompanhar os games por ordem cronológica foi ótima. É claro que isso não quer dizer que o transcorrer dos anos tenha como consequência a melhora exponencial dos jogos, mas vai dar pra ver a forma como a nintendo tratou seu filhote.
    Mas com os post só nas sextas você vai ter que durar 200 anos para terminar a jornada gagá…
    Aguardo total…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 9:00 am
    Permalink

    Gagá,
    muito bom hein? Essa cruzada eu quero acompanhar bem de pertinho. Eu tenho tanto o master quanto o NES, mas joguei beeeeeem mais o nintendinho – até por ter ficado mais tempo com ele.

    Vc falou do Zelda e eu me lembrei que aluguei esse cartucho sem sequer saber do que era, apenas por 2 motivos:
    1º – o cartucho era dourado! hahaha
    2º – a sra da locadora falou que ele vinha com bateria.

    Tem popeye no atari? Parece que me lembro de ter jogado ele por la.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 9:05 am
    Permalink

    Uma pergunta, meu velho:

    Vais colocar pelo menos uma imagem de TODOS os jogos…?

    É que estou louco para reencontrar um cartucho japonês, que joguei na casa de um amigo meu, era um samurai que se movimentava num mapa enorme, e entrava nas fases, para passar para “o outro lado” (se você entrasse na fase pelo outro lado, a movimentação invertia…) E tinha umas cavernas parecidas com o Phantasy Star… Não tenho a mínima noção do nome do jogo, e espero reencontrá-lo na sua jornada… E se alguém que nos lê souber de qual jogo estou falando, agradeço a ajuda!

    Boa sorte na cruzada, Gagá… E não se preocupe, serão vários Graals no meio do caminho, para compensar verdadeiras bombas…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 9:16 am
    Permalink

    Muito bom!

    O NES foi o meu primeiro video game, lembro que ele veio com o cartucho Super Mario Bros. 3. Infelizmente era muito difícil achar nas locadoras cartuchos para ele (só encontrava os japoneses).

    Essa jornada com certeza será a mais longa, pois a quantidade de jogos é imensa, mas a idéia de mostrar a evolução pelo tempo é fantástica!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 9:19 am
    Permalink

    @Oráculo
    hehe. Eu logo comprei um adaptador pra acabar com esses problemas. O chato era que tinha cartucho que travava em alguma versão, dai nao rodava de modo algum! O meu NES era o hi top game e veio com o cartucho pyramid. Eu lembro q queria a versao q vinha com um jogo de caça – acho que era F15. Veio esse e o videogame veio com problema num cristal, que levou meses pra arrumar! Trauma! hahha

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 10:05 am
    Permalink

    @Cledson
    O meu NES era o original da Nintendo, não sei se tinha adaptador pra ele já que os cartuchos ficavam na parte interna do console.

    O curioso é que eu não conheço quase ninguém que tenha tido esse console. A Nintendo não tinha representante oficial no Brasil por muito tempo, por isso dezenas de empresas fizeram seus clones. Eu como sempre fui duro só pude ter o NES em plena febre do SNES quando a Playtronic já lançava os produtos da Nintendo no Brasil.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 11:07 am
    Permalink

    Essa cruzada vai demora muito. Você se lembra que tinha dito que faríamos um acordo póstumo? Então, se você for embora antes de mim por favor deixa esse arquivo com alguém de confiança para gente continuar com o projeto. Valeu?

    Desse jeito acabarei fazendo uma cruzada dessas. É muito interessante esse negócio.

    Me arrependo amargamente de ter vendido os meus jogos originais de NeS quando meu último Turbo Game estragou. Tinha Zelda I, Zelda II e Final Fantasy. AHHHH! Que ódio de mim!

    Eu tinha esse Popeye. Jogava horrores. Nem gostava assim, mas jogava muito.

    Arrasa Nem no Cruzadamento de Nes!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 11:21 am
    Permalink

    Tae uma saga que vou acompanhar de perto, assim como a do Master. Ótima a estratégia de rever os jogos pela ordem de lançamento, assim acompanhamos a evolução dos jogos… Genial Gagá! Desse jeito vou ter q reforçar a dosagem dos remédios cardíacos… abs!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 12:08 pm
    Permalink

    Dos três o único que joguei na época do NES (não em 83) foi o Popeye, que estava no meu antológico Múltiplo 42. Os outros dois conferi muito tempo depois. Curioso notar como a Nintendo fazia jogos licenciados nos primórdios, o que depois aconteceu com frequência muito menor (bom, teve o GoldenEye 007 depois, claro), já que a força das marcas da Nintendo é suficiente por assim dizer.

    “Em seus primeiros momentos, o NES já tinha jogos extremamente viciantes, mas nem de longe as pessoas poderiam imaginar que seus jogos evoluiriam ao nível de complexidade de um Ninja Gaiden da vida”.

    Não sei se em outro console houve uma evolução tão colossal (talvez no SNES). Você pegar também um Super Mario 3 e comparar com esses primeiros jogos do NES realmente há um progresso incrível. Ou talvez porque o SMB3 estava muito à frente de seu tempo.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 2:18 pm
    Permalink

    Vaca Velha :
    Mas com os post só nas sextas você vai ter que durar 200 anos para terminar a jornada gagá…

    Sem problemas. Pretendo encomendar um herdeiro em breve, se eu pifar no meio do caminho ele continua 🙂

    Cledson :

    Tem popeye no atari? Parece que me lembro de ter jogado ele por la.

    Tem para atari 2600 e 5200, olha aí:
    http://www.mobygames.com/game/atari-2600/popeye/screenshots

    Papaxibé :

    Uma pergunta, meu velho:

    Vais colocar pelo menos uma imagem de TODOS os jogos…?

    Na verdade, eu nem pretendo mencionar todos, só vou destacar os mais interessantes. Se for falar de jogo por jogo, quando eu acabar o Gagá Games já vai estar até cobrindo jogos de Playstation 3 🙂 Mas sempre que passar por um jogo de samurai eu vou anotar o nome aqui para ver se te ajuda.

    Cledson :

    @Oráculo
    hehe. Eu logo comprei um adaptador pra acabar com esses problemas.

    Lembram do TopGame que aceitava cartuchos japoneses e americanos? Eu adorava aquele videogame.

    Nesbitt :

    Não curto cruzadas nem retronados. Sim sou bem mais chato que imaginam. Boa sorte.

    =)

    Nós também te amamos 🙂

    Alexei Barros :

    Não sei se em outro console houve uma evolução tão colossal (talvez no SNES).

    É, isso também aconteceu com o SNES, mas foi tão surpreendente porque com o NES ficou claro que os jogos poderiam ir bem além do que se imaginava até então. Os jogos de SNES evoluíram terrivelmente com o tempo, mas acho que a gente meio que já esperava que isso fosse acabar acontecendo. Ainda assim, foi um progresso impressionante.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 2:20 pm
    Permalink

    Lembro do popeye num arcade aqui perto, há muito tempo atrás. Era febre. Isso de cruzada é genial, porque eu nunca fui com a cara do Nes devido as cores, a maioria dos jogos pareciam legais,só que lançavam tanto que embora o Nes tinha mais capacidade, as empresas não. Ou era pressa em lançar. Portanto, agora vou poder aproveitar e ler sobre os jogos.

    Alguém sabe a resposta à pergunta do Papaxibé? Bateu a curiosidade.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 2:21 pm
    Permalink

    Valeu Gagá! Era esse mesmo!!!
    Me lembro sim desse videogame. Minha amiga tinha um, mas era dificílimo de achar em minha cidade(ela tinha comprado fora). O que eu mais gostava no meu era que ele tinha saida RCA, dai eu podia gravar os finais dos jogos em VHS hehe

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 3:42 pm
    Permalink

    @Papaxibé
    Existe um jogo de samurai estilo zelda criado pela própria Nintendo e que ficou só no japão, mas não sei se seria esse o jogo que vc está falando…tem o Ganbare Goemon também, que possui uns labirintos estilo Phantasy Star e você tem que percorrer um vilarejo.

    Essa cruzada promete hein? Vai ser muito show ver os clássicos e pérolas do nintendinho. Esse console era mto bom, pena que eu fiquei só com o Master System (que é um excelente console, mas acabei perdendo muitos clássicos do NES). Agora essa questão de ter alguém atirando coisas do alto…dizem que o Miyamoto se inspira nos hobbys para criar novos jogos. Pelo visto ele curtia jogar ovos e tomates podres do topo da nintendo nos pobres japas que passavam por lá rsrsrs.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2010 em 5:50 pm
    Permalink

    @Papaxibé
    @Adinan

    Esse jogo de samurai que só saiu no Japão que vocês se referem não seria o Nazo no Murasamejou?
    http://en.wikipedia.org/wiki/Nazo_no_Murasamej%C5%8D

    @Oráculo
    @Orakio Rob, “O Gagá”

    Bem por aí mesmo. Só não sei se no caso do SNES a evolução maior foi técnica (compare o FFIV com o FFVI, por exemplo) e no NES foi mais em relação à complexidade (olha a diferença entre aquele Mario Bros. velhão, não o Super, e o SMB3).

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/03/2010 em 2:51 pm
    Permalink

    @Papaxibé

    Papaxibé :
    Uma pergunta, meu velho:
    Vais colocar pelo menos uma imagem de TODOS os jogos…?
    É que estou louco para reencontrar um cartucho japonês, que joguei na casa de um amigo meu, era um samurai que se movimentava num mapa enorme, e entrava nas fases, para passar para “o outro lado” (se você entrasse na fase pelo outro lado, a movimentação invertia…) E tinha umas cavernas parecidas com o Phantasy Star… Não tenho a mínima noção do nome do jogo, e espero reencontrá-lo na sua jornada… E se alguém que nos lê souber de qual jogo estou falando, agradeço a ajuda!
    Boa sorte na cruzada, Gagá… E não se preocupe, serão vários Graals no meio do caminho, para compensar verdadeiras bombas…

    O único que conheço que tem cavernas estilo Phantasy Star é Fester’s Quest.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/03/2010 em 10:19 pm
    Permalink

    Como disse em minhas confissões, NES passou batido em minha infância. E até hoje tenho uma reserva com esse console (por não conhecer? Pela paleta de cores? Por trauma psicológico 😛 ?) Ler essa cruzada vai, com certeza, contribuir para conhecer mais o console e, quem sabe, tirar um pouco dessa minha birra…
    Gagá, uma dica ou sugestão: quando houverem títulos que também foram lançados para o Master, faça uma “comparaçãozinha” entre eles (Master vai ganhar sempree :P).
    Bora pra Cruzada que nós estamos com vc!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/03/2010 em 10:24 pm
    Permalink

    @Zolini

    Cara, eu tenho tanto o NES quanto o MASTER e amo os 2, mas também tinha a impressão que o master era bem mais parrudinho que o NES. Digo isso pq a paleta do master era bemm mais bonita. As cores mais vivas e tal(compara double dragon, alladin, jungle book entre outros pra ver).

    Agora…Battletoads é imbatível no NES. Fora outros q as versões dele sao bem melhores.

    Outro com gráfico foda no NEST é o Batman 2 – return of the joker – que nem parece um 8 bits!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 22/03/2010 em 7:47 pm
    Permalink

    @Orakio Rob, “O Gagá”

    Um não, traduzi DOZE. As três versões originais de NES, mais outros nove hacks existentes, e também uma das duas versões de PC Engine, estava pensando em traduzir a outra versão de PC Engine (Battle Lode Runner) e de alguns outros sistemas, mas essas preciso estar mais aprofundado no ROMHack, mas ainda não desisti de um dia traduzí-las.

    Por que você não aproveita que está fazendo a Cruzada NES e não dá uma olhada nas traduções lançadas? Tem muita coisa boa, o movimento B.R.O.N.S.O.N. está mandando ver nas traduções de NES.

    Ah, caso você não conheça o movimento B.R.O.N.S.O.N., dê uma olhada aqui:
    http://www.romhacking.trd.br/index.php?topic=5673.0

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 11/05/2012 em 12:19 pm
    Permalink

    começando essa cruzada…sinceramente tenho vontade de sair jogando todos os jogos do nes, famicom da vida…estou sem tempo mesmo,,,praticamente sempre acabo jogando os mesmo jogos de sempre,,,hoje tenho poucos cartuchos de nes,,,mas o importante mesmo é nunca esquecer desses clássicos!!!legal!!!!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.