Vocês devem se lembrar de que na edição passada eu estava atravessando o deserto, e que havia prometido um baita chefe de fase para vocês, não foi? Então permitam-me cumprir a minha promessa…

A fase do deserto foi bem divertida, cheia de criaturas legais para enfrentar. Finalmente cheguei a algumas ruínas que são minha passagem para fora do deserto, só que a entrada subterrânea estava bloqueada pela areia. Foi só usar a lógica: se a entrada está bloqueada, é óbvio que temos que destruir dois objetos nas proximidades que invocarão um tornado capaz de varrer a areia toda. Eu adoro a lógica desses jogos.

Foi nas ruínas subterrâneas que entrou o uber-boss que eu prometi na semana passada. É claro que eu fiz um vídeo mostrando a situação toda para vocês, e é claro que vocês vão querer comprar um Saturn AGORA, mas por favor, não contem para suas esposas que a ideia foi minha. Da última vez em que isso aconteceu, fincaram um gato preto morto com uma máscara de borracha do Donkey Kong na porta da minha casa. É, as mulheres podem ser bastante assustadoras quando estão furiosas.

Perdoem as travadinhas no final do vídeo, foram problemas técnicos…

É difícil não dizer um palavrão enorme e sujo depois de ver cenas tão maravilhosas em um RPG, então vou me limitar a descrever os fatos: depois de chegar à caverna subterrânea, Edge se depara com um simpático e indefeso monstrinho de asas brilhantes, e como herói justo e cheio de compaixão que é, sai logo descendo a lenha nele. Só que quando o bichinho está quase morrendo, uma coisa ENORME começa a se aproximar por baixo da areia.

A tal coisa enorme ganha a superfície e DEVORA a pobre criaturinha de asas azuis. A última vez em que vi algo tão nojento foi no Silent Hill 2, quando o Pyramid Head… bom, se você jogou já sabe de qual cena estou falando. Aquela cena é MUITO nojenta!

Só mais uma foto para a gente se despedir do fantástico deserto de Panzer Dragoon Saga

Acontece que a criaturinha azul revela-se incrivelmente nutritiva, porque a tal coisa enorme começa a se transformar, e dá muito medo quando ela aparece toda enorme e se posiciona atrás de você. Faz você se sentir um inseto MESMO, é assustador. Rapaz, eu estou adorando esse negócio. Agora só falta surgir alguma criatura alienígena com três seios para Panzer Dragoon Saga virar meu jogo favorito.

O boss passa por alguns estágios diferentes de transformação, até atingir o último estágio (complete form), e esse dá medo de verdade. A impressão que você tem é a de que ele vai dar um “telefone” gigante no Edge. Eu finalmente consigo derrotá-lo, e ganho um monte de novas habilidades. Só que quando já estão servindo os brigadeiros, o boss volta querendo mais. Aí o meu dragão se transforma e lança um daqueles ataques por-que-você-não-fez-isso-antes: um monte de raios que mandam o boss para o inferno. Vendo que o bicho se transformou e deu aquele baita pití, Gash diz que o dragão deve ser “aquele dragão”… das duas uma: ou o  Gash é devoto de São Jorge ou a previsão que eu fiz na segunda edição do diário de bordo vai se concretizar: o  Edge é um típico “herói da profecia”.

Depois tem mais, criançada!

Diário de bordo Panzer Dragoon Saga (7/30)
Tags:         

Uma ideia sobre “Diário de bordo Panzer Dragoon Saga (7/30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *