E aí, velharada, como vão todos?

Queria aproveitar que ainda estamos no início do ano para anunciar algumas pequenas mudanças aqui no Gagá Games. Não é nada que vá mudar muito a vida de ninguém, mas é bom avisar logo para que depois ninguém diga “Gagá cadê a continuação da série de posts XYZ aqui no Gagá Games”…

Sendo bem direto: o velhote aqui vai diminuir o ritmo de postagens neste ano. O trabalho (sempre ele) obviamente é em grande parte o responsável por isso, mas tem uma outra coisinha mais positiva motivando essa diminuída de marcha por aqui.

Acredito que todos vocês saibam que eu sou irremediavelmente apaixonado pela série Phantasy Star. Há mais ou menos dez anos eu toco um site dedicado ao jogo, a Gazeta de Algol, e já faz algum tempo que comecei com alguns amigos valiosíssimos um ambicioso projeto de tradução para o português de Phantasy Star Generation:1, remake para o Playstation 2 do primeiro Phantasy Star. Ousado porque o jogo só saiu no Japão, e de japonês eu só entendo “obrigado” e “bom dia” 🙂

Eu estou REALMENTE empolgado com essa tradução. Praticamente todos os obstáculos técnicos foram superados pelos nossos vitaminados romhackers Rodolfo RG e Ignitz, e agora tudo depende mais de mim do que de qualquer outro envolvido no projeto. Estou reescrevendo o texto traduzido pelo Jorge (o meu inestimável amigo que mora no Japão), e adaptando tudo para o formato próprio para a inclusão na ISO. Não é algo rápido, vai levar alguns meses com certeza, mas eu não quero que esse trabalho se arraste. Eu quero que 2011 seja o ano da tradução do PSG1, e por isso vou diminuir o ritmo aqui no Gagá Games: para me dedicar à tradução do jogo.

Estou inaugurando hoje a seção sobre a tradução de PSG 1 na Gazeta de Algol. Vou subir gradualmente o script traduzido do jogo para lá, e todos poderão acompanhar e dar seus pitacos no texto. No momento só tem um arquivo pequeno online, mas logo logo chega o segundo, bem grandão com o texto de abertura e com os diálogos da cidade inicial, Camineet.

E o que isso tudo significa para o visitante do Gagá Games? Eu vou continuar fazendo posts eventuais sobre jogos e temas específicos: F-Zero X (N64), King’s Quest (DOS) e Comix Zone (Mega Drive) são alguns jogos sobre os quais estou escrevendo no momento. Mas esses posts devem pintar em períodos mais espaçados, para eu ter tempo de respirar.

As seções fixas vão sofrer mais mudanças: a Cruzada NES continua, mas não vai ser mais toda segunda, e sim quando der na telha. Não tem graça jogar tudo correndo para conseguir “entregar” o post toda segunda: vou jogando com calma, quando render um post eu faço.

Diário de Fallout: morreu, I’m sorry. Eu já deveria saber que não tenho mais como fazer diário de bordo. E para ser franco, o Fallout não fez muito a minha praia. Peraí, não me batam, não estou malhando Fallout não! O jogo é bom, só não é meu tipo de jogo: tem tantas possibilidades que eu, que acabo jogando correndo, me sinto um pouco perdido. Para quem tem tempo de jogar com calma é uma beleza.

Retro-rápidas: o post de sexta resumindo as retronotícias mais relevantes da semana vai morrer… ou não? A melhor fonte de retro-rápidas é o meu Twitter, eu posto tudo por lá. Mas para quem não tem Twitter, estou testando um plugin que talvez consiga “montar” um retro-rápidas automaticamente aqui no blog com base em alguns twites meus. Se funcionar, as retro-rápidas de sexta estarão salvas.

De resto, as coisas não vão mudar tanto assim por aqui, e acredito que os meus companheiros de blog vão continuar postando como sempre. Digo “acredito” porque eles não são meus empregados; são meus amigos, e assim como eu, postam quando der na telha, mas tudo indica que continuaremos tendo Academia Gamer do Thiago Senil toda terça-feira, por exemplo.

E é isso. O sonho não acabou e o Gagá Games continua firme. Ninguém precisa pular da ponte nem abrir o gás: vou continuar postando, só vou maneirar no ritmo. E é por uma boa retrocausa!

Um abraço a todos e vamos nessa!

Freando no Gagá Games, acelerando em Phantasy Star

28 ideias sobre “Freando no Gagá Games, acelerando em Phantasy Star

  • 24/01/2011 em 7:09 am
    Permalink

    hey gagá, para qual idioma será traduzido o PSG1? inglês ou português? caso seja o português, não acha que uma versão em inglês abrangeria mais fãs de PS espalhados pelo mundo? seria um grande feito e muitos ficariam gratos com certeza! na verdade ando por fora e não sei se ja existe alguma em inglês atualmente.. mas fica aí meu comentário.
    abraço e boa sorte no trabalho.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • Pingback:Blog de Algol » 2011 vai ser o ano de Algol!

  • 24/01/2011 em 7:14 am
    Permalink

    Legal, boa sorte na tradução, tio! Na verdade, desde que fiquei sabendo do projeto de vocês, dei uma segurada e me impedi de jogar o PS original de Master, justamente para poder conferir essa versão traduzida. Será que no final do ano sai?

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/01/2011 em 9:29 am
    Permalink

    Boa sorte na tradução, Gagá! E blog é assim mesmo: por mais que adoramos escrever para eles, não dá para abandonar totalmente os nossos outros afazeres, por isso temos sempre que diminuir o ritmo de vez em quando, até para dar uma renovada (eu que o diga com o meu Relíquias do MAME, hehehe… =D).

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/01/2011 em 9:34 am
    Permalink

    Muito bom Gagá, mal posso esperar pra poder jogar essa versão (sou mais um dentre tantos).

    Fiquei triste pelo fim do diário visual de Fallout, mas a notícia do Generation compensa!

    E mesmo que diminua o ritmo um pouquinho, tem tanto material aqui no Gagá Games que dá pra descobrir muita coisa boa que não foi lida. Posts velhos no Gagá, retrô do retrô 🙂

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/01/2011 em 10:03 am
    Permalink

    Tenho acompanhado este projeto de tradução do PSG1, que está muito bem encaminhado e apoio a iniciativa do Gagá em reservar um tempo para se dedicar quase que exclusivamente ao lançamento da ROM traduzida.

    Consegui zerar este jogo, mesmo em japonês, com as dicas do Diário de Bordo do Gagá e do Jorge, que foi também foi muito bem feito. 😉

    Espero que o Gagá inclua em seus planos um Diário de Bordo para o PSG2, não neste ano, mas quem sabe em 2012?

    Boa sorte e sucesso no projeto, Gagá!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/01/2011 em 10:54 am
    Permalink

    Prezado Gagá,
    É um feito e tanto. Joguei o primeiro Phantasy Star do Master no início dos anos 90. Um admirável mundo novo se abriu para mim! Parabéns pela iniciativa! Agora mesmo é que não vendo meu PS2 slim! Abraço!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/01/2011 em 11:49 am
    Permalink

    Putzs, Estou tendo terminar a versão do Master talvez essa semana chegue ao fim, acabei de percorrer o planeta frio, cara que parte difícil, é labirinto para todos os lados HEHEHEHE!!!!! Obviamente terei que refazer todo o trajeto quando sair a tradução para Play Satation. Venho acompanhando a evolução da tradução do jogo já faz algum tempo. Muito bacana mesmmo sua iniciativa, trazendo um pouco de prazer gamístico para nós, simples mortais.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/01/2011 em 3:38 pm
    Permalink

    @Adriano
    Vou tentar explicar sem dar muitas voltas…

    Eu tinho o texto, extraído da ISO, mas não no formato certo (leia-se: não tinha ponteiros e outras “tretas”). Fui traduzindo num programa de tradução que tenho aqui, que armazena as frases traduzidas. Como eu não sabia ao certo o quanto poderia mexer na estrutura das frases, algumas partes ficaram pouco idiomáticas.

    Depois de passar o texto quase todo, pintou o programa de extração “mesmo”, com tudo o que tem direito. Isso mudou um pouco algumas frases, mas o programa de tradução que eu uso se encarrega de encaixar as frases nos lugares certos, eu só preciso distribuir os comandos de pular linha, apertar botão e coisa e tal (bolei um script com sed que troca os códigos desses comandos para tags HTML, tipo . Facilita muito na hora de traduzir.

    Agora que tenho mais liberdade para deslocar essas tags e mudar um pouco a estrutura das frases, estou juntando frases e melhorando o texto. É complicado explicar sem mostrar como funciona o meu programa de memória de tradução, mas fique tranquilo que o texto que eu já traduzi está sendo reaproveitado numa boa.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/01/2011 em 9:08 pm
    Permalink

    [i]Pô, abandonar os Diários?? Noooooooooooooooooo….[/i]2

    É uma pena a maneirada nos posts. Acho que já li cada palavra neste site, e olha que conheço ele há pouco mais de um ano. Entre as influências do site posso dizer que não fosse o gagagames eu não teria comprado meu Dingoo nem o Gamebox (que já foi enviado da China, a propósito). Os posts retrôs no site recente que eu e alguns amigos mantemos há pouco tempo são inspirados pelo ótimo trabalho do gaga e da retrosfera.

    Diários de Bordo são algo tão tradicional do nosso país 😀 Reviews dá pra achar em facil em inglês, mas os diários de bordo nunca vi na língua do Tio Sam ^^ E é bom que quem lê pega intimidade com o jogo, mesmo sem nunca ter jogado. Nós temos diários tão competentes quanto os seus em outros blogs, mas menos é menos de qualquer jeito 😀

    Boa sorte na sua jornada pela tradução de Phantasy Star, e se precisar de beta testers me disponho a zerar o jogo de trás pra frente se for preciso ^^

    Divirta-se e aproveite as merecidas férias.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/01/2011 em 10:48 am
    Permalink

    @Iceman
    O PSG1 é excelente. Gráficos melhorados, modo de batalha totalmente novo e com a aparição dos personagens, recursos de RPGs mais atuais foram incluídos nesta versão, combinação de ataques com cristais e muito mais.

    O remake ficou perfeito. Na minha opinião, o único contra foi porque só lançaram esta versão em japonês. E aí, entra em cena o trabalho do Gagá. rs 😀

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/01/2011 em 12:48 pm
    Permalink

    Caramba, que grata surpresa! Faz pouco tempo que leio os artigos do Gagá Games, tinha passado por cima desse post despercebido.

    PS foi o meu primeiro RPG e se hoje sou viciado em Final Fantasy e Fallout, devo muito ao clássico RPG de 4MB que saiu pro Master System.

    Sucesso Gagá!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *