Ora, ora, senhoras e senhores… e não é que a sexta edição da Old!Gamer saiu mesmo dois meses após a quinta?

Que beleza, caiu um raio na cabeça dos editores da Old!Gamer e ela saiu rapidinho!

É, pela primeira vez a nossa prezadíssima revista retrô Old!Gamer cumpriu o prazo prometido e foi lançada dois meses após a edição anterior! Tudo bem, tecnicamente bate em três meses, já que ela entrou em pré-venda e só vai ser enviada mesmo a partir do dia 16, mas eu anunciei a pré-venda da edição anterior em junho, então a “vibe positiva” até que se sustenta. Vamos torcer, pessoal!

A capa traz o amadíssimo Ghost n’ Goblins, o primeiro arcade que vi na vida que me fez dizer “eu quero um desses em casa”. A matéria foi escrita pelo Daniel “Eremita” Govoni, que preparou aquela ótima matéria sobre  Flame of Recca Summer Carnival ’92 – Recca (update: viajei na maionese, troquei o nome do jogo, sorry…) na edição quatro (ele também é colecionador e já foi entrevistado pelo Breder). Confesso que a capa do Senna na edição passada não me atraiu muito não, mas essa aí… tô bem curioso.

Temos ainda uma matéria sobre controles, um tema sempre interessante, preparada pelo André Forte, que geralmente cuida da bacanérrima seção Old News da revista. E Snatcher, a melhor obra de Hideo Kojima? Calma, gente, foi o próprio Kojima quem disse isso! A matéria sobre Myst também me interessa, o jogo é fantástico! Eu cheguei mais ou menos na metade e parei. Agora tenho a obrigação de zerar para dizer para todo mundo que sou um gênio, he he…

Matéria sobre Pier Solar, o novo RPG de Mega Drive feito por um brasileiro (e traduzido por mim… quero dizer, mais ou menos). E ainda tem Mario Kart, Mortal Kombat e sei lá mais o que aí dentro. Tudo isso por “apenas” 15 pratas, mais o frete de “apenas” oito reais aqui para a minha humilde residência no Rio de Janeiro. No prob, nós retrogamers não jogamos jogos velhos porque somos pobres: somos todos ricos excêntricos ^_^

Ah, confiram também a Old!Gamer no Facebook.

>> COMPRE A OLD!GAMER AQUI <<

ATENÇÃO: até onde eu sei, a revista ainda não tem distribuição nacional. Ela é distribuída nas bancas do Rio de Janeiro e São Paulo, e parece que também dá as caras de forma irregular em alguns outros estados. Dependendo de onde você morar, a encomenda via internet pode ser sua única opção.

Old!Gamer #6… mas já? ^_^

40 ideias sobre “Old!Gamer #6… mas já? ^_^

  • 23/08/2011 em 5:56 pm
    Permalink

    POMBAS!! ESSA É A NOTICIA MAIS FODÁSTICA DESSE MÊS!!!

    ainda bem que chegou mais uma old gamer. a minha que eu tenho aqui em casa não me separo dela nem na hora da janta. mas vou ter esperar um mês para chegar no meu estado. e parece que vamos conhecer esse famoso Pier Solar que o Gagá penou para abrir a embalagem. espero que chegue cada vez mais cedo as old gamers ^^.

    mais um bom investimento ao meu rico dinheirinho desse mês.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 23/08/2011 em 6:27 pm
    Permalink

    Poxa, não sabia que cobravam um frete tão caro para uma revista que já não é barata. Aqui em SP sempre compro na banca. Por um total de 23 reais, fica quase o mesmo que comprar a Retro Gamer direto da Inglaterra. Custou-me 16,75 dólares no total e demora exato um mês para chegar. Recomendo! Comprem as duas!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 23/08/2011 em 8:03 pm
    Permalink

    Compra certa, adoro a revista (em Brasília é possível encontrar em algumas bancas) e me divirto mais com minhas velharias que com jogos de PS360… E G&G merece, jogão, tem pouco tempo terminei no meu SFC. Sofrimento delicioso…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 23/08/2011 em 9:03 pm
    Permalink

    Opa só tem um detalhe, a capa não é do Ghost´n´Goblins (Makaimura), mas sim de sua sequência Ghouls´n´Ghosts (Daimakaimura). Gastei muita grana no “fliperama” com o primeiro, e levei quase 2 anos pra chegar ao final de verdade, joguinho muito difícil, mas técnicamente perfeito (gráficos, sons, jogabilidade, temática), ele foi muito impactante na época, chego a dizer um divisor de águas, lembro que o melhor até então era o City Connection que também é muito bom.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/08/2011 em 6:05 am
    Permalink

    @Augusto
    e NUNCA MAIS zero um game ghost in goblins de novo. eita joguinho dificil do capeta! Battletoads é brincadeira de criança comparado a ele, só na próxima reincarnação retrôgamer que me atrevo a desafiar esse jogo de novo.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/08/2011 em 11:02 am
    Permalink

    Gênio nada, não vejo a hora de pegar meu exemplar pra saber porque dessa coisa de só gênios terminam este jogo, to achando isso sem pé nem cabeça. Alguns quebra-cabeças são doentes e chatos, mas gênio? Talvez eu tenha tido sorte.

    Forte abraço!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/08/2011 em 11:23 am
    Permalink

    Opa, Old!Gamer cumprindo o prazo? Será mais um sinal do apocalipse? =D

    Brincadeiras a parte, essa será mais uma que com certeza comprarei, ainda mais por me parecer bem mais recheada que a anterior (que, apesar de muitos reclamarem dela, eu gostei.).

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/08/2011 em 2:48 pm
    Permalink

    Tirando a matéria sobre a franquia Breath of Fire, achei o conteúdo da quinta edição da Old Gamer bem meia boca. Mas vamos ver se desta vez a coisa volta ser do mesmo nível das primeiras edições.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 25/08/2011 em 9:15 am
    Permalink

    A proposta inicial da revista era 100 páginas, papel de ótima qualidade, sem propagandas e poster em todas as edições…foi cumprido até a edição 4…já na edição 5 veio com menos páginas(80), papel de qualidade inferior, com propagandas e sem poster…espero que corrijam isso nessa edição…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 25/08/2011 em 2:49 pm
    Permalink

    Quem vence Myst é gênio?

    Se a explicação for pelos seus puzzles, convido a todos a jogarem um game de Psx chamado Enigma – um clone de Tomb Raider com jogabilidade e gráficos de Resident Evil. Esse sim tem puzzles absolutamente insanos.

    Ah sim, claro, venci Enigma. 🙂
    A versão japonesa. 😛

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 25/08/2011 em 8:22 pm
    Permalink

    @mcs
    já ouvi falar nesse Enigma há muito tempo quando era moleque. e pela matéria da revista, diziam que era um otimo jogo. e os desafios não era para qualquer um…

    quando tiver menos jogos da série Megaten para eu zerar, eu prometo zerar o Myst do Saturn e dar uma de gênio também :). e parabéns por ter zerado.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 28/08/2011 em 12:27 pm
    Permalink

    Vou comprar,mas torço para que esteja melhor que a anterior. Os textos tinham um tom mais divertido,e a edição passada foi um tédio nesse sentido. Descrições intermináveis de cada fase de um jogo não me atraem…particularmente, eu prefiro artigos sobre a história/curiosidades dos sistema e jogos. A matéria sobre o último jogo de cada console (edição #3,eu acho) foi espetacular. Aquela sobre os consoles portáteis (edição #5) também foi muito bacana. Acho que se a revista for nessa linha e ainda fizer “conexões” com o cenário atual, vai ser bem bacana.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 06/09/2011 em 9:45 am
    Permalink

    Eu quase tive uma parada cardiaca quando passei em frente a banca e vi essa edição nova!
    Sinceramente eu nem sabia que já tinha uma nova edição. Depois que comprei a Nº5 eu já me preparei para uma longa jornada até a incerta próxima edição.

    Quanto à dificuldade de encontrar a Old Gamer na banca, aqui em SP não é qualquer banca que tem mesmo, precisa penar bastante pra encontrar, tanto que as 4 primeiras edições eu comprei tudo pelo Site.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 12/09/2011 em 3:48 pm
    Permalink

    Comprei a minha hoje, em uma banca em Divinópolis, Minas Gerais. Veio com algumas páginas pregando e uns pequenos borrões, nada que incomode muito, mas ainda assim são problemas. Não li a edição inteira ainda, mas é a que tem as matérias que menos me interessaram. Estou saturado de ler sobre algumas coisas, é questão pessoal mesmo ^^ A matéria sobre Snatcher está muito bacana. Ghost & Ghols eu vou deixar pra ler daqui a um mês, porque faz pouco tempo que li o artigo do HardcoreGaming101 sobre a franquia. O mapa da evolução dos controles eu achei estranho. A matéria sobre Mortal vai alegrar bastante aos fãs da série, tem curiosidades que não se acha fácil por aí Nem terminei a número 6 e já estou ansioso pela 7, hehehe 😀 Vida longa à OLD!Gamer

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 09/12/2011 em 7:04 pm
    Permalink

    ACABEI DE COMPRAR A MINHA OLD GAMER 6!! HEE-HOO ^___^

    vou ler cada matéria aos poucos para apreciar mais a revista. e a matéria que acabei de ler foi a do game MYST, que faz mais de 18 que frita a nuvem cinzenta de quem joga.

    estou jogando ele há alguns dias antes de comprar essa maravilhosa revista de games retrô que amo tanto. e cara logo de cara já senti o vazio e a solidão do jogo, nenhum viva alma a vista, exceto os pássaros piando. explorei a ilha toda e até estranhei porque apesar de não haver ninguém o local parecia habitado, pois nenhum lugar estava empoeirado. eu passei 2 horas para solucionar o enigma das docas. mas também é sacanagem, ninguém ia achar que o botão para fazer a maquina funcionar ficava num papel preso por um botão que lembra um parafuso na parede da sala. nenhuma pessoa comum naquela situação ia sacar isso de cara, já mostra que o game vai ser osso para zerar…

    eu já passei da fase da ilha e da era mecânica, entrando na era dos navios(stoneship) e a cada era que avanço, as coisas se complicam. eu fritei todos os meus neurônios para rotacionar a ilha na era mecânica para colocar os simbolos no lugar certo. o lugar e os cenários são intrigantes.

    adorei a matéria, o unico porém é vocês poderiam ter posto mais páginas sobre o jogo, ou até mesmo a capa. quem sabe quando vocês falarem da próxima edição, não verei Riven, a sequência de Myst na capa. he,he,he. até vocês tiraram a minha duvida de como nós entramos naquela ilha. só uma coisa me encuca aqui: Atrus aparenta ter entre 40 e 45 anos e seus filhos Sirrius e Achenar parecem não ser tão novos assim. Sirrius, o cara engravatado,metido e arrogante parece ter 30 ou 40 anos e Achenar também. e esse cara parece ser meio pirado das ideias quando eu encontrei com ele pela primeira vez no livro azul. e Catherine, a esposa de Atrus que apenas vi em fotos na net parece ter entre 25 e 30 anos. será que eles ficaram imortais de alguma maneira? já que estão num livro…

    e como a família do Atrus fora parar lá e para quê?……mistério 0_0

    e saquei a parada de verificar os livros da biblioteca da ilha, lá possui algumas dicas, principalmente na parte do piano..vou até anotar os tópicos de cada livros. fico imaginando que mistério faz as pessoas virem para D´ni…a ilha tem algum tesouro ou um poder antigo a ser despertado??? to curioso para saber, já que em Riven pelo que ouvi falar, tem até soldados e um general maluco armado até os dentes…parece que o nome dele é Genh…..seria alemão?

    depois de zerar esse game, sou quase obrigado a baixar os outros games da série. fiquei fascinado e curioso para ver o que me espera nos 5 jogos da série. mas preciso arrumar tempo para jogar os jogos de Myst. e com certeza zerarei pelo menos três games, isso se o meu crânio aguentar…

    GIVE ME THE BLANK PAGE NOW, YOUR FOOL!!! 🙂

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *