Olá amigos leitores do Gagá Games! Aqui é o retrogamer André Breder trazendo para vocês mais uma edição do Recordar é envelhecer! Hoje vou relembrar aquele que é considerado por muitos, como um dos melhores games de corrida da geração 16 Bits: Ayrton Senna’s Super Monaco GP II. Já que amanhã é dia de corrida no estiloso circuito de Mônaco, nada melhor do que relembrar este grande clássico do Mega Drive bem nesta data. Bem, tenham todos uma boa leitura e até o próximo Sábado!

Introdução:

Lembro que em meados de 1992, quando o game Ayrton Senna’s Super Monaco GP II foi lançado, eu não fiquei nem um pouco espantado por conta da existência de um título de corrida tendo um piloto brasileiro na capa. Na época Senna já era tricampeão de Fórmula 1 (tendo conquistado os campeonatos de 1988, 1990 e 1991), e estampar a capa justo de Super Monaco GP II, para mim soou bem natural, e nada mais justo, visto que ele era na época o piloto vivo que havia ganhado mais vezes no famoso circuito de Mônaco (sendo que em 1993 Senna quebrou o recorde de Graham Hill, passando a ter seis vitórias nesta pista).

Apesar de eu adorar assistir corridas (muito por conta da influência do meu pai), principalmente a F1, onde torcia sempre pelo Senna, claro; no campo dos games, eu sempre fui uma “negação” no gênero corrida. Desde o clássico Enduro do Atari 2600, eu logo percebi que nunca seria um grande “piloto” de carros de corrida. Mas Ayrton Senna’s Super Monaco GP II é um título tão bem feito, e gostoso de se jogar, que eu não poderia deixar este game passar em branco. E demorou um pouco para que eu viesse a jogar este título, já que nunca tive um Mega Drive, só vindo a fazê-lo mesmo quando descobri o maravilhoso mundo da emulação. Lembro que na época até tive bastante contato com este game por conta de amigos que tinham o console de 16 Bits da SEGA, mas como era (e ainda sou) muito ruim em games de corrida, acabei que nunca “ousei” pedir para dar uma jogadinha, preferindo assistir os amigos viciados jogando do que dar um “vexame”. Mas nunca é tarde para criar “coragem”, e conhecer um grande game!

Sobre o game:

Quando Ayrton Senna’s Super Monaco GP II saiu no ano de 1992, realmente eu não me espantei em ver um game de corrida com o melhor piloto de F1 de todos os tempos, e até achei que fosse a própria SEGA que havia tido a ideia de criar uma versão de seu game de corrida com Senna na capa. Mas para minha surpresa, tudo começou por meio de uma proposta feita pela Tec Toy (que tinha a licença de comercializar os produtos da SEGA no Brasil e que até hoje fabrica alguns consoles genéricos com os nomes de Master System e Mega Drive) ao departamento japonês da SEGA. Fora o Brasil, o Japão é o país que mais idolatrava Ayrton Senna, não só por conta do piloto excelente que era e por suas vitórias históricas em território japonês, mas também por fazer questão de usar os motores Honda, desde a época em que ele integrava a equipe Lotus. Então é claro que os japoneses da SEGA receberam com certo entusiasmo a oportunidade de se fazer um game com Senna, e que pudesse contar com a ajuda e dicas fundamentais do piloto para colocar no mercado um dos melhores games de corrida da época. Perfeccionista como era, a presença de Senna na parte de desenvolvimento do game foi fundamental para que o resultado fosse o melhor possível.

Ayrton Senna’s Super Monaco GP II nos faz voltar no tempo, para o ano de 1991, onde Senna conquistaria seu merecido tricampeonato na F1. O game traz as 16 pistas desta temporada, dando a oportunidade dos fãs de automobilismo reviverem algumas pistas que já não fazem mais parte do calendário de provas da F1 atual, além é claro, da oportunidade única de correr ao lado do próprio Ayrton Senna, mesmo que virtualmente. A SEGA não teve o direito de usar os nomes dos outros pilotos da época, nem mesmo o nome das equipes, mas é fácil notar a presença de algumas lendas do automobilismo no game, como o leão Nigel Mansell, que no jogo recebeu o nome de “N. Jones”; e do lendário Michael Schumacher com o nome de “M. Blume”. No campo dos nomes das equipes, a criatividade da SEGA também falou alto, com adaptações como “Losel” para Lotus, “Firenze” para Ferrai e “Madonna” para McLaren.

Ainda em relação as pistas disponíveis no game, algo muito bacana foi a presença de três circuitos bem especiais, pois ambos foram desenhados pelo próprio Ayrton Senna, sendo que uma destas pistas é a reprodução fiel da pista de Kart que existe na fazenda que o piloto possuía no interior de São Paulo, na cidade de Tatuí. Local onde Senna se reunia com amigos e parentes em seus períodos de férias, e continuava fazendo aquilo que ele mais gostava. Estes circuitos especiais podem ser acessados no jogo por meio do modo “Senna GP”. As pistas tradicionais da F1 da época estão disponíveis por meio do modo “World Championship”, onde o jogador disputa o campeonato mundial, claro; e também no modo “Free Practice”, sendo que neste último é possível treinar em todas as 16 pistas do jogo, além de poder conferir na tela descrições de cada uma das pistas, descrições estas elaboradas por ninguém menos que o próprio Senna. Preste atenção nas dicas do campeão para obter o melhor resultado nas corridas!

Na modalidade “World Championship”, há a opção de escolher entre dois modos de dificuldade, Beginner e Master. No modo mais fácil o carro do jogador é visivelmente um pouco melhor que os seus adversários, o que dá uma grande vantagem para que um bom “piloto” possa fazer a diferença, e chegar sem tantos problemas nas primeiras posições ao término de uma corrida. Já no modo mais difícil, nota-se que o jogador tem que “suar” mesmo para ser capaz de ultrapassar os adversários, algo bem próximo do que ocorre na realidade da F1. Para aqueles que são “bons de volante”, o modo Master reserva um “bônus”: antes de começar cada corrida o jogador deve determinar um rival para si, onde caso consiga superá-lo quatro vezes seguidas, ganha o carro do oponente, tendo então a oportunidade de estar em uma equipe melhor. Tomar o lugar de Senna na excelente equipe “Madonna” é possível, só que como não podia deixar de ser, trata-se de uma tarefa bem árdua, onde somente os jogadores mais “hardcores” conseguirão cumprir tal feito.

Na parte técnica, Super Monaco GP II não deixava a desejar, muito pelo contrário. Quanto a sua concepção gráfica o game continuou bem similar ao jogo anterior da série, onde cada pista traz seus detalhes peculiares (como é bacana atravessar, a mais de 300 Km/hora, o popular túnel da pista de Mônaco); e a presença de informações úteis na tela durante a jogatina (como retrovisor, indicação de qual posição se está, quantas voltas ainda faltam para completar, marcador de velocidade,etc). Como exclusivo graficamente nesta versão, temos telas e mais telas com fotos digitalizadas de Senna, que ficaram muito boas, mesmo com toda a limitação de cores do Mega Drive. A parte sonora do game também seguia bem o padrão de qualidade do game anterior, só que com um “bônus”: a voz de Senna. Inicialmente a SEGA pretendia colocar o piloto fazendo comentários a respeito das pistas (sendo que o áudio chegou mesmo a ser gravado por Senna durante a produção do game), mas por conta da falta de espaço do cartucho, isto teve que ser abolido do produto final. Mas mesmo assim a voz do campeão pode ser ouvida durante o jogo, mesmo que sejam palavras curtas, como “Go!”, “Final Lap!” e “Congratulations!”.

Ainda na parte sonora algo que notei foi uma pequena, mas satisfatória melhora dos efeitos deste jogo se fizermos uma comparação com o game anterior. No Super Monaco GP original, por exemplo, o som da derrapada do carro na pista é extremamente irritante na minha opinião, e o mesmo felizmente já não acontece em Ayrton Senna’s Super Monaco GP II, pois colocaram um efeito sonoro menos estridente para estes momentos do game. O barulho dos motores do carros também está mais agradável na versão com Senna. Em relação as músicas elas são todas bem curtas, e a grande maioria bem enjoativa, mas ainda bem que elas aparecem muito pouco durante o game, se restringindo aos momentos que alternam uma corrida e outra. Durante a jogatina propriamente dita, não há músicas, somente os sons dos carros na pista e outros poucos efeitos sonoros ocasionais. Melhor assim!

Na parte da jogabilidade se nota também uma substancial melhora, muito devido as alterações que foram feitas a pedido de Senna. Por exemplo, no primeiro game o carro perdia velocidade se o jogador tentasse usar as zebras das pistas como apoio, tal como os pilotos de Fórmula 1 normalmente fazem. Senna pediu que isto fosse alterado no novo game, deixando tudo mais parecido com a realidade que ele e os fãs de automobilismo estavam acostumados. Por conta desse detalhe Super Monaco GP II ficou mais difícil que o anterior, pois agora é muito fácil o jogador mais afoito bater em uma placa indicativa fora da pista e “jogar fora” sua corrida por não controlar bem a velocidade de seu carro em uma curva fechada. É preciso saber os momentos certos das freadas, e também quando pisar fundo no acelerador para conseguir atingir o melhor resultado nas corridas. Tudo que um pouco de treino não resolva, pois os controles do jogo funcionam perfeitamente bem, e um jogador mais dedicado, ou mesmo já habituado com games de corrida, não terá nenhuma dificuldade em conduzir seu carro de Fórmula 1 nas diversas pistas de Ayrton Senna’s Super Monaco GP II.

Conclusão:

Ayrton Senna’s Super Monaco GP II pode até não ser o melhor game de corrida de sua geração, mas com certeza, graças ao empenho de Senna no projeto, consegue figurar entre os melhores. Mesmo que a falta de um modo de dois jogadores tenha sido sentida por muitos na época, é visível (mesmo para mim que só fui efetivamente jogá-lo bem mais tarde) que foi um game feito com muito cuidado e capricho. Se você é um jogador mais “pato” como eu em games do gênero corrida, o modo Beginner permite que você se divirta bastante, e possa até tirar onda em conseguir ficar na frente de Senna nas pistas; agora se você é um jogador mais veterano em games do tipo, vai achar o modo Master um desafio bem divertido. Resumindo: Ayrton Senna’s Super Monaco GP II é um game que pode ser apreciado por todos os tipos de jogadores, e se você é um que até hoje não tenha jogado este clássico, aconselho que não perca mais tempo. Ayrton Senna’s Super Monaco GP II não é um game para ficar de fora do curriculum de nenhum gamer que se preze.

Recordar é envelhecer: Ayrton Senna’s Super Monaco GP II (Mega Drive)

31 thoughts on “Recordar é envelhecer: Ayrton Senna’s Super Monaco GP II (Mega Drive)

  • 26/05/2012 at 12:23 am
    Permalink

    Grande Jogo! Grande Ayrton! Do tempo que os pilotos brasileiros nao se contentavam em ser apenas coadjuvantes nas equipes!
    Quanto ao jogo, melhor F1 pra Mega.Mas tem um jogo de SNES, chamado F1 Grand Prix Part III que oferece a possibilidade de correr como Senna, ou montar uma equipe e ter ele como companheiro. Acho esse jogo o melhor de F1, mas nunca vi ninguem falar dele.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/05/2012 at 8:19 am
    Permalink

    um dos grandes games de corrida para o Mega que ainda vou terminar ainda esse ano. gostaria que o Ayrton ainda estivesse vivo, precisamos de heroís brasileiros na F-1 atualmente. excelente post André

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/05/2012 at 8:46 am
    Permalink

    Eu nunca tive muito contato com os Super Monaco GP. Naquela época eu era mais fissurado em jogos de plataforma e não dava muito atenção aos jogos de corrida. Brinquei um pouco com ele no Mega usando um cartucho de um amigo meu.

    Espero que o Bruno Senna um dia faça só 1/4 do que seu tio fez. Já iria tá de bom tamanho. Infelizmente pelo andar da carruagem, Felipe Massa e o Rubens Barrichello não vaão fazer mais do que já fizeram.

    Saldades da época da briga Ayrton VS Mansell VS Prost.

    Falow! 🙂

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/05/2012 at 11:16 am
    Permalink

    ““Madonna” para McLaren.” Eu ri.
    Embora eu adore jogos de corrida, sou sincero ao dizer que os de F1 são o meu ponto fraco. O Super Monaco GP II, talvez seja um dos poucos que eu consigo jogar razoavelmente bem. Excelente post, Breder.

    [OFF] Foi uma pena que o Massa não tenha conseguido ser pole, estava bem no Q1 e Q2. Mas como eu tenho simpatia pela escuderia Lotus vou torcer amanhã para que Grosjean fique entre os três primeiros, e quem sabe, o Kimi consiga boas colocações para compensar os erros de hoje.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/05/2012 at 11:21 am
    Permalink

    um grande clássico de corrida…lembro da época desse jogo,,,Ayrton fez grande participação na engine e disse que queria algo mais real e não um carro correndo a mais de 406 km/h,,,sem lógica para ele,,,então a sega atendeu a todos os seus pedidos e alterações na versão beta desse jogo,,,lembro também de ter saido um jogo do Senna estilo kart para Sega Saturn também. O único problema do jogo Ayrton Senna super monaco gp II é mesmo o som,,,aquela famosa ronquidão no qual o snes é superior no quesito sound future now!!!como não existe jogo perfeito,,,com o tempo agente se acostuma com a ronquidão e é correr para vencer!!!!bons gráficos, músicas clássicas e na minha opinião a Sega deveria ter convertido para Sega CD,,seria um bom jogo com video e animações adequado para qualquer console com cd da vida,,,bons tempos de mega!!!!!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/05/2012 at 3:33 pm
    Permalink

    @Mario

    Cara, nunca tinha ouvido falar deste game que você citou do Super NES. Fiquei curioso agora, depois vou dar uma procurada numa ROM deste jogo para ver de qual que é…

    @leandro(leon belmont)alves

    Ainda bem que não sou nacionalista quando se trata de F1, então nem me importo se os brasileiros estão hoje em uma fase ruim (temos o Massa tomando uma surra do seu companheiro de equipe, e o Bruno Senna que é muito irregular nas corridas, e definitivamente prova que talento não é genético). Gosto de pilotos que possuem um estilo de pilotar que me agradam, sem esquentar com a questão de qual país eles nasceram. Atualmente tenho como ídolo o Hamilton, que possui um estilo de pilotar que me lembra muito o Ayrton Senna (claro, tudo nas devidas proporções). Torço sempre pelo inglês!

    Confesso que é legal quando um brasileiro ganha uma corrida ou pelo menos tem um desempenho bacana durante um GP, mas não vejo F1 por conta dos pilotos do meu país. Mas quem sabe no futuro não aparece um piloto brasileiro com mais “sorte” na F1? Tem o Felipe Nasr que parece promissor… vamos ver se ele chega na F1 um dia, e mostra que possui talento suficiente para ser campeão.

    @piga

    Duvido muito que o Bruno Senna consiga fazer um 1/4 do que fez o seu tio na F1. O cara teve sua carreira prejudicada ao ficar muitos anos sem correr (tanto por conta da morte do Ayrton, quanto por causa da morte de seu pai em um acidente de carro), e hoje está aí tentando correr atrás do prejuízo. Torço para ele fazer o melhor que puder na F1, mas duvido que um dia ele chegue a ser campeão na categoria.

    @Mateus LW

    Achei bacana o fato do Massa ter conseguido um bom resultado no treino classificatório para o GP de Mônaco. Ele precisa mesmo mostrar serviço, pois na Ferrari duvido que ele continue no ano que vem… e se continuar fazendo corridas medíocres, só mesmo times pequenos irão querê-lo como piloto, ou mesmo nem isso…

    Como disse acima, sou fã do Hamilton então torço por ele neste GP.

    @helisonbsb

    Imagina se este game tivesse saído para o SEGA CD? As falas gravadas pelo Senna poderiam ser utilizadas no jogo, além de toda melhoria sonora e gráfica que uma mídia maior poderia proporcionar. Seria demais!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/05/2012 at 7:13 pm
    Permalink

    Ayrton Senna’s Super Monaco GP 2 (SMGP2), em minha opinião, não é apenas um dos melhores em 16 bits, mas um dos melhores de todos os tempos. Esta segunda versão, com o toques que Senna deus aos programadores da Sega, fez com que ficasse muuuito mais difícil e real que o game anterior.
    No primeiro Monaco, era possível fazer o que eu chamo de “Pulo do Gato”. Você começa na Minarae e já pode escolher um carro do Grupo B, desafiá seu piloto, vencê-lo e ficar em seu lugar na equipe. E, se quiser, pode ficar nesta mesma até o fim da temporada que dá para ser campeão numa boa. Agora, vai tentar o mesmo no Monaco 2? Não tem como.
    Como na vida real, o desempenho dos carros de time mais modestos não superam as grandes e é preciso galgar posições aos poucos… eu só consegui desafiar duas equipes acima da minha por vez, ou seja, não dá para dar um “salto maior que a perna” porque, simplesmente, o carro não andará suficiente para tanto.
    E, por conta disto, sua carreira no “Circo da F-1” será maior, assim como ocorre com os pilotos de verdade onde, é raro, vermos os que entram na categoria e logo são campeões. Em Super Monaco GP, será obrigado à jogar muito mais em relação ao título anterior, onde, dá para concluí-lo em duas temporadas consecutivas (de campeão e de defesa do título).
    Em suma… SMGP2 2 é um jogaço que ainda vale à pena ser conferido. E não se surpreenda quando se ver passando horas e mais horas jogando, pois é extremamente viciante.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/05/2012 at 10:25 pm
    Permalink

    @Dirley

    E se eu não estou enganado, você tem o primeiro SMGP também não é? Dois clássicos do Mega Drive!

    @Douglas Deiró

    Pelo visto você é fera em games de corrida, bem ao contrário de mim. Muito legal sua experiência com o game.

    @Ricardo (FisherDs)

    Lembro que eu conseguia jogar bem o F1 1997 do PlayStation, mas depois peguei o 2000 e já apanhei bastante para jogar. Parece mesmo que os games de F1 foram ficando cada vez mais reais e difíceis de jogar. O recente F1 2010 então, joguei um pouco e logo vi que a coisa não era para mim… sou muito pato! Já meu irmão mais novo é fera em games de corrida… dá até inveja.. uahuahuahua…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 26/05/2012 at 11:27 pm
    Permalink

    o nosso amigo mario acima citou o jogo F1 Grand Prix Part III do snes…tenha essa rom aqui e é tanto jogo, falta de tempo que nem lembrava mais desse jogo…F1 Grand Prix Part III lembra muito o clássico do mega drive F1 grand prix – nakajima satoru(clássico),,,sem contar que exite o famoso nigel mansel snes convertido para ayrton senna snes,,,é o jogo do nigel mansel com o ayrton senna no lugar,,,escroto!!!!!toda homenagem é bem vinda!!!!!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/05/2012 at 12:34 am
    Permalink

    Bom artigo, mas eu não curti esse jogo… Prefiro o primeiro Super Monaco.

    Aliás, prefiro o concorrente direto dele no SNES: Nigel Mansell´s F-1 Challenge, bem melhor para jogar.

    Uma outra coisa a se lembrar: foi um dos primeiros jogos da Sega com trava de região, juntamente com o Streets Of Rage 2. Muita gente caiu do burro nessa história… E quem tem Mega asiático (como eu) pensando que tem a mesma compatibilidade do Mega japonês, se deu mal se tivesse comprado a versão japonesa do jogo.

    A sorte é que tenho também um Mega Tec Toy chaveado…

    São iguais na aparência, mas o Mega asiático não funciona com alguns jogos japoneses com trava de região, mesmo chaveado. Nesse caso, o chaveamento alterna as regiões EUA e Ásia.

    Os Genesis/Mega Tec Toy/Mega japonês chaveados, alternam as regiões EUA e Japão…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/05/2012 at 1:10 am
    Permalink

    @André Breder
    Hehehe!
    Então…
    Não diria que sou fera, até porque, me considero um gamer mediano. Mas, jogos de corrida são os segundos em minha preferência, depois dos de porrada!
    Antes do Mega Drive, devido à simplicidade dos videogames (hoje, penso que tenha sido assim), não conseguia curtir games de esporte num modo geral. Mas, com o Mega Drive, e com o realismo maior que estes passaram à ter (bem mais próximos aos arcades também), o vício em corridas tomou conta.
    No 16 bits da Sega, joguei muito os dois Monacos além de Virtua Racing. Neste último, cheguei num ponto onde eu “travava” o tempo por volta… não me lembro a contagem, mas achava ter encontrado o tempo mais rápido possível de cada circuito.
    Também gosto muito dos OutRuns (menos o Turbo, pois não curto), Top Gear 2 e o Lotus Turbo Challenger. Todos estes que citei, vez ou outra, ainda os jogo para matar a saudade… entretanto, sem “radicalismos”, pois não tenho tanta gana mais.
    Passei um hiato sem videogames “Top de Linha” para, em 2000, comprar um Dreamcast e consegui reviver os bons tempos de “vício em velocidade digital” com Daytona USA. Até então, não havia jogado nada com um controle tão parecido com um volante de verdade num videogame… o analógico responde com perfeição ao menor toque na direção, com diferenciações para cada tipo de carro escolhido. Mesmo em games de hoje, muitos ainda ficam devendo se comparando à este Daytona do Dream.
    Por fim, uma coisa que havia esquecido de dizer sobre o Super Monaco GP 2. Um tempo atrás, um primo mais novo meu me viu jogando. Como ele não pegou a geração Mega Drive, e seu primeiro console já foi um Playtation, já estava me preparando para a gozação por estar jogando algo tão velho.
    Para minha surpresa, ele disse: “Primo… que jogo legal! Este é o Super Monaco que você tanto fala?”. Em suma, ver um moleque acostumado com Need For Speed se interessando por um game de uma época que ele nem era nascido, experimentando e gostando, foi muito interessante de ver…. ainda mais quando fiquei sabendo que ele baixou o emulador depois para jogar mais na casa dele.
    Coisas que, só a magia dos games clássicos são capazes de fazer. Hehehe!
    Até mais!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/05/2012 at 4:20 am
    Permalink

    Ia falar que tinha jogado e muito esse jogo até termina-lo ficando em primeiro lugar mas agora estou em dúvida se era esse ou o primeiro jogo, na verdade provavelmente deva ser o primeiro porque ele vinha em uma fita que continha acho que 8 jogos em 1, ou 10 em 1, não lembro bem, só recordo que tinha esse de fórmula 1, Flicky, Sonic 1, Super Hang-on, California Games, putz esqueci mais o que vinha, mas tinha mais coisa.
    O fórmula 1 era muito bom, no início era bem sofrido mas com habilidade e um pouco de sorte se mudava de equipe a partir desse momento facilitava pois os carros corriam bastante e dobravam melhor ainda. Grandes lembranças.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/05/2012 at 8:20 am
    Permalink

    @Man On The Edge

    Esse lance de preferência é tudo uma questão de gosto. Normal.

    @Douglas Deiró

    Acontece casos de gamers mais jovens se interessarem por jogos clássicos, mas são casos raros. Seu primo foi exceção mesmo. Gamers de hoje em dia primeiramente olham os gráficos de um jogo, e quando se deparam com algo feito em 1980/90, cheio de pixels estourados na tela, logo taxam o game como ruim, mesmo sem experimentá-lo. Acabam perdendo, pois estão deixando de jogar muitos games bons.

    @Juliano

    Ambos os games (SMGP I e II) são bem similares visualmente, então é fácil mesmo fazer uma confusão entre eles.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/05/2012 at 9:59 pm
    Permalink

    Os jogos de corridas são os meus favoritos, e este em especial faz parte da minha vida, tenho otimas lembranças deste clássico, e querocompartilhar com vcs. Meu saudoso que ja esta em outra, era fanatico por corridas, mas não era muito ligado em games, até que um dia descobrir a maneira de ele se enteressar, fui na locadora de costume e aluguei, lembro que meu pai sempre acordava eu e meus irmãos para assistir a corrida do Japão, e na coisidencia eu aluguei o game bem no dito dia da corrida, ai mostrei o game para o meu pai e foi quado descobri uma das maiores emoções que os games pode nos proporcionar, que é divertir e unir a familha, começamos a jogatina por vouta da 18 hrs e so paramos na madrugada na hora de ver a corrida, mas os mais legal, é que o meu pai so quis ver a largada, então voutamos a jogar ate quase o dia amanhecer, e foi asim por meses até que enjoamos do game, esta epoca concerteza foi uma das melhores, varar noites jogando o game do Ayrton foi sensasional ao lado do meu pai. Nunca consegui agradecer ele por nunca ter me criticado de gostar de games, e infelismente não pude agradecer pelos momentos que jogamos juntos e pela paichão que tenho pelo mundo da velocidade. AH ja ia me esquecendo, por coisa do destino hoje moro em frente a um autodromo de velocidade na terra, e uma pista de kart croos.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 29/05/2012 at 2:03 pm
    Permalink

    O lance de você desafiar um “rival” é a grande sacada desse jogo, pois você fica ansioso para experimentar uma máquina melhor. Sem falar das pistas, pois o jogo é da época em que a F1 tinha pista que preste, e não esses traçados “Mickey Mouse” de hoje.

    Sempre fico muito em dúvida se gosto mais desse ou do primeiro. O primeiro realmente é um pouco mais fácil, tirando a parte em que você enfrenta o G. Ceará. O segundo é mais legal de fazer ultrapassagens, mas os adversários batem muito em você. Mas são dois grandes jogos, sem dúvida.

    Tem uns jogos obscuros que são bons também. Tem o Mario Andretti, para Mega e Snes. E para este último, ainda tem a série F1 Circus (muito bom!) e o jogo Super IndyCar que valem a pena serem jogados.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 29/05/2012 at 2:33 pm
    Permalink

    @Onyas

    Uma coisa que me deixa “puto” em relação a F1 são as pistas que não possuem pontos para ultrapassagem. No passado tinha algumas pistas fodas e que hoje não foram substituídas no mesmo nível. Felizmente com a adição da asa móvel e também com o uso de pneus que se desgastam muito mais rápido do que os utilizados no passado, a F1 voltou a ter muitas ultrapassagens.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 29/05/2012 at 3:24 pm
    Permalink

    A culpa não é só das pistas, é do conjunto todo. A asa móvel e o pneu feito de maionese (não dura dez voltas!) foi o jeito que encontraram para proporcionar ultrapassagens.

    As corridas da Hungria da década de 80 eram muito emocionantes. Teve aquele ultrapassagem épica do Piquet sobre o Senna, e em 89 o Mansell ganhou largando em 12º! Hoje em dia a corrida lá é mais chata do que em Mônaco – que pelo menos tem charme.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 29/05/2012 at 4:31 pm
    Permalink

    @Onyas

    O circuito de Mônaco é mesmo charmoso (e como não poderia), mas é a pista que eu menos me empolgo atualmente. Vejo o GP mais para acompanhar os resultados. Na época do Senna ainda tinha alguma emoção para mim, pois o cara era fera nessa pista e sempre tinha grandes chances de ganhar nela… ainda mais se chovesse.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 02/06/2012 at 12:20 pm
    Permalink

    Quando eu ia na casa de um amigo na infância eu jogava muito SMGP2 mas eu nÃo era muito bom… nunca fui campeão…. Já esse meu amigo conseguia ser campeão logo na primeira temporada sem estar com a melhor equipe/carro. Aliás, algo que eu acho interessante no SMGP1 é que quando você consegue entrar na melhor equipe aparece um cara e te desafia mas é impossível de você venc%e-lo e você acaba indo para uma equipe pior(se eu não me engano o nome do piloto é “Zé” alguma coisa… ou pelo menos é assim como nós o chamavamos). Algo parecido acontecia no primeiro Ridge Racer(psone) onde tinha um carro negro que era muuuuito difícil de se vencer.
    Existe algum jogo mais atual com a mesma mecânica de evolução de equipes do SMGP(ir para uma equipe melhor conforme a sua performance nas corridas)?

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/06/2012 at 8:44 pm
    Permalink

    @André Breder
    Vou dar uma olhada nesses F1 2010/2011. Valeu pela dica.
    @Onyas
    Então, o amigo que eu citei até conseguia ficar uma volta na frente do G. Ceará, fechando ele sempre, mas nunca passou disso.
    @Paulo Matheus
    É verdade. Eu até tentei assistir outras temporadas após a morte do Senna mas… não era mais a mesma coisa.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 06/08/2012 at 1:39 pm
    Permalink

    Joguei muito. O segredo do jogo era aprender a jogar com o câmbio de 7 marchas, o carro andava muito mais rápido e vc só precisava decorar em qual marcha a curva precisava ser feita, ao reduzir a marcha a velocidade já caía drasticamente. Outra coisa é q só precisava ganhar duas vezes seguida pra ganhar o carro do adversário. Dava pra pegar a Madonna já no terceiro GP, era só no 2º não desafiar o Senna pois no 2º GP era impossível ganhar dele pois nas retas ele disparava.

    jogo épico !

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *