Olá amigos que acompanham o blog Gagá Games! Aqui é o retrogamer André Breder trazendo mais uma edição do Recordar é envelhecer, onde você pode fazer uma viagem no tempo sem precisar de um capacitor de fluxo, e muito menos de uma carga de plutônio. O game que recordo hoje foi lançado para o NES durante o ano de 1990: Chip´n Dale: Rescue Rangers! Tenham todos uma boa leitura e até a próxima pessoal!

Introdução:

Chip´n Dale: Rescue Rangers é um desenho animado estrelado pelos esquilos Tico e Teco, que fez bastante sucesso mundo afora, inclusive no Brasil, onde foi exibido na TV Globo (por aqui o desenho ficou conhecido como Tico e Teco e os Defensores da Lei).

No desenho Tico e Teco abriram uma agência de detetives chamada “Conexão Salva-Ação” (Rescue Rangers no original), onde contam com a ajuda de alguns amigos como a ratinha Geninha, o ratão viciado em queijo Monterey Jack e a mosquinha verde Zipper.

A agência é especializada em revolver crimes que, geralmente, são muito “pequenos” para os policiais de verdade, sendo que seus clientes também são animais. Um detalhe curioso que merece nota é o fato de que, ao contrário de outros desenhos da Disney onde Tico e Teco se fazem presentes, nessa série estrelado pela dupla existe o convívio entre personagens humanos. Os principais vilões do desenho são o ganancioso Gatão, líder de uma máfia de gatos que controla também outros animais, e o cientista malvado e maluco chamado Norton Nimnul.

O game lançado para o NES:

No game lançado para o NES em 1990 baseado no desenho, a trama começa quando os Defensores da Lei são chamados para resolver mais um de seus casos costumeiros, mas logo eles irão descobrir que algo muito maior e mais problemático estará esperando por eles no decorrer do jogo.

Chip´n Dale: Rescue Rangers segue o mesmo esquema de outros jogos de ação/plataforma que fizeram sucesso no NES, ou seja, nada de muito original, mas ainda assim conseguindo trazer novidades para o gênero, e principalmente, proporcionando muito diversão aos jogadores.

Um dos pontos bacanas de Chip´n Dale: Rescue Rangers é que o mesmo pode ser jogado em dupla, onde os dois jogadores assumem o papel dos irmãos esquilos e jogam de forma simultânea. Durante a aventura as fases são divididas no meio por duas plataformas, uma superior e outra inferior, permitindo assim que os jogadores escolham onde ficar. Os jogadores podem também, claro, ficar alternando entre estas duas plataformas, de acordo com suas vontades ou mesmo necessidades durante a jogatina.

A forma de ataque dos esquilos no jogo é uma só: atirar em seus inimigos alguns tipos de objetos, como caixotes de madeira (que são encontrados aos montes durante a aventura), maçãs, bombas, bolas vermelhas (estas que aparecem quando ocorrem as batalhas contra os chefes do jogo), etc. Os caixotes de madeira são bem úteis mesmo quando não são arremessados contra os inimigos, pois os esquilos podem se esconder neles (apertando o botão direcional para baixo). Escondidos, os esquilos podem atingir os inimigos distraídos que venham até o seu encontro do forma automática. Ainda em relação aos objetos que podem ser usados como armas tenha cuidado: alguns podem podem ferí-lo se estes voltarem a te encostar após serem arremessados.

As fases do jogo possuem obstáculos interessantes que podem ferir os jogadores mais desatentos, tais como plantas espinhosas, fios desemcapados, torneiras abertas, panelas quentes por estarem em um fogão, etc. Após vencer a primeira fase do game (que é representada pela letra A) haverá a possibilidade do jogador escolher em qual fase jogar, de acordo com as opções que irão aparecer em um mapa (o jogador poderá escolher se continua a aventura na fase B ou C). Desta forma é possível chegar no final do game sem ter que obrigatoriamente passar por todas as fases existentes. Agora vale lembrar que sempre haverá um estágio bônus após cada fase do game ser completada. Esta é uma forma de incentivo para o jogador explorar todo o jogo.

Durante as fases o jogador poderá pegar alguns itens que o ajudarão, como alguns que restauram sua energia perdida. Ao pegar 100 itens que possuem uma flor como símbolo, por exemplo, uma estrelha brilhante ficará voando pela tela. O jogador que pegá-la ganhará então uma vida extra!

Alguns amigos também dão uma força aos heróis esquilos durante a aventura: a mosca Zipper pode ser encontrada durante as fases e fará com que os jogadores fiquem invencíveis por um determinado limite de tempo; e o ratão Monterey Jack abrirá caminho em certas fases graças ao seu vício pelo saboroso queijo.

Gráficos, Sonoridade, Jogabilidade e Dificuldade:

Graficamente Chip´n Dale: Rescue Rangers é um game muito bonito. As fases são bem diversificadas e todas possuem cenários de fundo com detalhes interessantes de serem obsservados. O design dos personagens lembra muito o que é visto no desenho animado, onde se destaca o chefe final “Gato Gordo”, que é enorme tal como na série animada.

A trilha sonora é bem agitada e animada, algo bem típico dos jogos do gênero. Todos os efeitos sonoros possuem um tom bem infantil, e são bem gostosos de se ouvir (nada de sons irritantes aqui). A jogabilidade é simples e precisa, e segue bem o padrão de outros jogos do gênero ação/plataforma que foram lançados anteriormente para o NES.

Chip´n Dale: Rescue Rangers não chega a ser um jogo difícil, mas também não é fácil como aparenta ser de início. As fases finais trazem bons desafios para os jogadores: seja com obstáculos inteligentes para serem passados, seja com inimigos pentelhos que ficam no seu caminho ou que literalmente partem para cima de você. Os chefões de fases são todos bem fáceis no entanto, mas mesmo assim os jogadores devem manter o seu foco quando estiver travando estas batalhas, para não acabar perdendo vidas de bobeira.

Conclusão:

Chip´n Dale: Rescue Rangers é mais um ótimo jogo de ação/plataforma lançado para o NES. Um game bacana que pode proporcionar horas de diversão, seja para jogadores solitários, seja para aqueles que curtem uma jogatina em dupla. Em 1994 saiu uma continuação, mas que não conseguiu fazer o mesmo sucesso do jogo original: infelizmente (ou não) nesta época os consoles de 16 Bits já comandavam o mercado, fazendo com que este jogo recebesse pouca (ou praticamente nenhuma) atenção por parte dos jogadores.

Recordar é envelhecer: Chip´n Dale – Rescue Rangers (NES)
Tags:             

14 ideias sobre “Recordar é envelhecer: Chip´n Dale – Rescue Rangers (NES)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.