Olá amigos leitores do Gagá Games! Aqui é o retrogamer André Breder para trazer até vocês mais uma edição do Recordar é envelhecer! Neste sabadão irei recordar um clássico game de corrida da geração 16 bits: trata-se do primeiro Top Gear, jogo lançado para o Super NES! Tenham todos uma boa leitura e até o próximo Sábado!

Introdução

Lançado em 1992 pela Kemco, numa época em que ainda não existiam os “Need for Speeds” de hoje, Top Gear levou os fãs de games de corrida à euforia! O Super NES ainda estava dando seus primeiros passos, mas já trazia jogos diferenciados e divertidos, e Top Gear facilmente entrou nesta lista, sendo que até os dias de hoje é muito lembrado (e ainda jogado) pelos gamers que vivenciaram a febre que foi este game. Nas locadoras de games era comum ver um ou mais consoles com dois jogadores se “degladiando” em Top Gear, dividindo o espaço com games de futebol e de luta.

Top Gear foi desenvolvido pela Gremlin Graphics, que já havia lançado outros títulos de corrida dentro da série Lotus, sendo que jogadores que tiveram contato com esta franquia antes de Top Gear, com certeza notaram as grandes semelhanças que ambas compartilham. Já para aqueles que só foram se viciar em jogos de corrida após Top Gear, a novidade trazida pelo título era um convite quase que obrigatório para partidas com dois jogadores: aqui além dos competidores normais, o jogador sempre tem um rival a ser batido, fazendo com que seja numa partida solo, seja numa partida multiplayer, a tela do game fique dividida em duas, mostrando na parte superior o carro do jogador, e na parte de baixo o veículo de seu oponente ou daquele seu amigo que sempre tinha que jogar com o segundo controle.

Sobre o game:

Top Gear dá várias opções para o jogador em seu início, como a possibilidade de entrar com seu nome, escolher entre quatro configurações diferentes de controles, decidir se vai jogar com as marchas automáticas ou manuais, e ainda escolher entre quatro tipos de carros (Cannibal, Sidewinder, Razor e Weasel), cada qual com suas características, sendo que todos os modelos tem seus pontos altos e baixos. Por exemplo o vermelho Cannibal é o mais veloz, mas em contrapartida é o que mais gasta combustível e a aderência dos seus pneus é muito baixa. E falando em combustível, Top Gear chamou a atenção na época por conta da necessidade de ter que reabastecer o carro durante certas provas de maior duração.

Cada carro possui ainda três “nitros” por corrida, que servem para aumentar a velocidade do automóvel de forma impressionante por um curto período de tempo, mas que muitas vezes é suficiente para ultrapassar muitos adversários ou para garantir aquela vitória difícil em um final de prova. Para resumir sobre a questão dos carros do jogo, o branco é para iniciantes, enquanto que o azul e o roxo para jogadores intermediários, e o possante vermelho é mais indicado para jogadores profissionais ou hardcore.

O game leva o jogador a participar de corridas que ocorrem em diversas partes do mundo, sendo que cada país ou região que esteja sediando uma competição traz quatro pistas diferentes. Ao todo são oito campeonatos que resultam num total de 32 pistas. Para se qualificar para uma próxima corrida, o jogador deve terminar no mínimo na quinta posição em uma prova, caso contrário é fim de jogo.

Apesar de ter sido lançado quando os criadores de games ainda não sabiam como utilizar de todo o potencial do Super NES, Top Gear traz gráficos muito bons. A foto digitalizada de uma pista de corrida que serve como tela de fundo do menu de opções do jogo, já serviu para chamar a atenção de todos na época. Durante o jogo os carros passam uma deliciosa sensação de velocidade, e o design tanto dos veículos, quanto dos cenários ficaram muito bem feitos, ainda mais nas cenas que rolam na tela durante os reabastecimentos. E a variedade dos cenários foi muito bem explorada, e até mesmo corridas durante a noite são possíveis, o que dá todo um charme para o game. O velocímetro está bem posicionado na tela, fazendo com que seja bem fácil sua visualização, o que permite que o jogador possa conferí-lo de forma rápida, sem perder o foco na corrida. Bacana também foi o uso de balões estilo “história em quadrinhos” para mostrar o que o piloto sobre o controle do jogador está falando, o que varia de acordo com a situação vivida na corrida.

A parte sonora de Top Gear, composta por Barry Leitch, é sem nenhum exagero, uma maravilha, sendo muito elogiada pelos gamers até hoje! Suas músicas extremamente empolgantes só fazem a adrenalina do jogador ir às alturas durante as corridas, e muitos temas possuem melodias tão grudentas que mesmo depois de anos muitos gamers não conseguiram esquecê-las. Apesar da trilha sonora ser um espetáculo, e muitos gamers terem a escutado pela primeira vez ao conhecerem Top Gear, muitas dos temas não eram inéditos: várias músicas são remixes de temas originalmente feitos para alguns jogos da série Lotus. Lógico que isso não tira os méritos da versões de Top Gear, muito pelo contrário, pois na opinião de jogadores mais veteranos que conheceram os games da franquia Lotus, as músicas ficaram ainda melhores no game lançado para o Super NES. Os efeitos sonoros, como o som dos motores dos carros, das derrapagens, batidas, etc, também ficaram muito bem feitos.

A jogabilidade também é ótima, e como já dito anteriormente, em Top Gear o jogador tem a sua disposição quatro tipos de configurações de controles, fazendo com que seja praticamente impossível que um jogador não encontre uma que seja mais ao seu gosto. Todos os comandos funcionam muito bem, com respostas precisas. Jogadores que já tenham uma certa prática em games de corrida não terão qualquer dificuldade com os controles de Top Gear, e mesmo jogadores de “primeira viagem”, ou melhor, primeira corrida, poderão se adaptar aos controles já nos primeiros minutos de jogo, pois tudo é realmente bem simples.

Em relação a dificuldade, Top Gear permite que o jogador escolha entre três níveis, sendo que cada nível mais alto de dificuldade terá carros adversários mais velozes e “ferozes” durante as competições, e também mais obstáculos nas pistas. O desafio é crescente, mas jogadores fanáticos por jogos de corrida não terão nenhum problema em terminar este game, seja qual for o nível escolhido. Tendo um bom domínio sobre os controles, e sabendo reabastecer o seu carro nos momentos corretos, o jogador poderá sempre conseguir se qualificar para uma próxima corrida, sem nenhum problema.

Conclusão

Top Gear é um dos melhores jogos do gênero corrida da geração 16 Bits, e por todas as suas qualidades e diversão que ele proporciona, acabou gerando uma franquia que visitou o Super NES mais duas vezes e também foi para outros consoles, como o concorrente Mega Drive. É um daqueles games que dificilmente um jogador enjoa, e por conta disso é até hoje jogado por muitos retrogamers mundo afora.

Recordar é envelhecer: Top Gear (Super NES)
Tagged on:                     

33 thoughts on “Recordar é envelhecer: Top Gear (Super NES)

  • 07/05/2011 at 12:21 am
    Permalink

    Nossa… dizer q top gear é o melhor jogo de corrida de todos os tempos nao é exagero, as musicas como comentada no texto sao sensacionais, muitas pessoas aceitam ela como desafio na guitarra, as corridas split-screen eram otimas, era um player fechando o outro o tempo inteiro, eu adorava o carro vermelho, e ficava indignado quando batia pois ele leva um tempo maior pra recuperar a velocidade, eu era bem viciado. Tem tambem um detalhe que quando um dos carros na tela ia ao boxe, o jogo acelerava, pura emoção. Bons tempos. Parabéns pelo texto

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 07/05/2011 at 12:28 am
    Permalink

    De fato Top Gear era um jogo fenomenal em sua época, uma combinação rara de gráficos bacanas, controle simples, som extraordinário e, especialmente jogabilidade fascinante – pra um ou dois jogadores.

    Cara, dá uma saudade dos tempos da locadora, onde a galera ficava disputando em tela divida com aquelas músicas ao fundo, para ver quem era o melhor nas partidas… Bons tempos mesmo.

    Fora que no modo singleplayer a cpu era extremamente trapaceira para ter tamanha perícia nas pistas – ainda hoje me recordo das vezes que perdi, na última volta, por causa do nitro que a cpu dava, pau a pau nos metros finais…

    Mas realmente concordo com o André Breder, Top Gear é um dos melhores jogos de corrida dos 16 bits. Pena que nunca saiu um remaque ou algo do gênero. Seria muito bom.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 07/05/2011 at 11:59 am
    Permalink

    Na minha sede de completar games, terminei Top Gear recentemente com cada um dos carros, em cada nível de dificuldade. Foram doze campeonatos terminados. Demorei quase um ano, pois eu parava de jogar por um tempo.

    Agora posso dormir tranquilo sabendo que terminei de verdade o jogo. Afinal, terminar o só o campeonato do Amateur com o carro branco é moleza.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 07/05/2011 at 2:01 pm
    Permalink

    top gear 1 é show de bola, o top gear 2 achei medriocre, o top gear 3000 tá na média e o top gear rally é uma bosta completa. na minha opinião o primeiro e o 3000 que foram os melhores da série.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 07/05/2011 at 6:43 pm
    Permalink

    ta ai um jogo bom mesmo…gráficos de primeira e som de qualidade em todos os sentidos. joguei muito e ainda jogo!!!!!clássico mesmo e saudades desta época de ouro snes da vida. valeu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 07/05/2011 at 6:53 pm
    Permalink

    André o seu poder se síntese neste post foi absurdo.Top Gear é um ultra-clássico do Super Nintendo que poderia render 80 páginas de texto com um blogueiro inexperiente e mesmo assim não falar muita coisa sobre o jogo.
    Você foi preciso,dissecou Top Gear em todas as suas principais características e trouxe informações novas.
    Eu nunca ouvi falar da série Lotus e fui verificar no Youtube a versão para Amiga e… caramba é impressionante a semelhança com Top Gear,a série Lotus um ótimo jogo.
    O universo dos jogos de computador sempre me fascina pela riqueza e pela forma como muitas vezes computador e videogame se comunicam com as mesmas franquias ou com jogos que acabam ganhando versões para outra plataforma,isso é mágico.Eu nunca fui um PCgamer e hoje em dia minhas melhores descobertas com jogos geralmente são de origem computador,e Lotus foi uma nova descoberta que associada a Top Gear ficou melhor ainda.
    Falar de um clássico sem cair na mesmice,sem escorregar no óbvio e trazer novas informações para quem está do “outro lado” lendo não é tarefa para qualquer um,obrigado pelo excelente post André.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 07/05/2011 at 9:41 pm
    Permalink

    Hoje em dia poucos jogos trazem a mesma emoção que top gear proporcionou, Eu diria que apenas Mario Kart e Sega All Star Racing conservam aquele jeito antigo de se fazer corridas em Arcade Racing Style (principalmente em se tratando de multiplayer). Hoje é tudo muito realista e menos insano. Da geração passada apenas o F-Zero GX merece ser mencionado.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 08/05/2011 at 10:15 am
    Permalink

    Sim, é clássico. Um classico totalmente inspirado no “Lotus Turbo Challenge” do fabuloso Amiga, sendo que no computador evidentemente os sons e gráficos são melhores, mas a sensação de velocidade é a mesma.

    Refiro-me ao Amiga, pois a softhouse e produtores são os mesmos, daí aproveitaram a excelente idéia.

    Um jogo singular na história dos video games

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 08/05/2011 at 3:27 pm
    Permalink

    concordo…esse foi um jogo que tinha bons traçados e jogabilidade de primeira….era sempre bom jogar com amigos e fazer um racha!!!!esse jogo mostra que nem sempre jogos atuais são sempre mais jogados do que os de antigamente.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 08/05/2011 at 8:25 pm
    Permalink

    sinceramente gosto muito dos jogos atuais mas nenhum deles chegam aos pés de top gear era demais jogar com aqueles carros no arcade e depois em casa .melhor jogo de corrida sem duvida junto com o mario kart e driver.need for speed ,gran turismo ,colin mcrae e outros me desculpem mas diversão é bem melhor do q gráficos .

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 09/05/2011 at 10:02 am
    Permalink

    Único lance é que tem corrida que é impossível de ganhar, porque fora tu e teu rival (seja CPU, seja o 2P), os outros carros NÃO PARAM.

    Mas é legal demais, curto muito.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 09/05/2011 at 11:45 am
    Permalink

    Que saudade do tempo que chegava sexta feira para ir correndo na locadora alugar esse game.
    Eu não tinha SNES, mas meus primos que moravam ao lado da minha cara tinham, e ficávamos jogando o fds inteiro.
    Lembro de uma pista mto foda, que quando começava ela, nõs falávamos um para o outro: “Essa é aquela” ! (era uma que tinha tipo uns cachos de uva no caonto de uma curva bem fechada) AhuhahuAhu bons tempos!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 09/05/2011 at 7:08 pm
    Permalink

    Barry Leitch para mim, foi melhor compositor de temas para os videogames. Suas músicas ficam gravadas na mente de quem joga.

    Eu fiquei estupefato de saber que foi ele quem compôs os temas de Rush 2049. Pois, foi um jogo que me levou a nostalgia dos jogos em 16 bits em que os temas faziam ferver o sangue ao ponto de apertar mais fundo o botão X.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 10/05/2011 at 12:08 pm
    Permalink

    Só não considero Top Gear como o melhor jogo de corrida da geração por que existe Top Gear 2 kkkk Rapaz, como era bom jogar isso! A maioria das vezes que eu pegava um SNES emprestado era pra jogar Top Gear, passava horas e horas à frente da TV!!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 10/05/2011 at 2:27 pm
    Permalink

    Top Gear um foi show… mais Top Gear 2 foi fantástico, você ralar e depois ficar pensando “que peça eu compro primeiro?” hehehehehhe
    Mais confesso que quando experimentei NFS 1 no 3DO… Nossa, que loucura era aquela, policia??? pegas??? carros de passeio…. auhuhuhuahuah Muito do mal, muito louco…
    No mais me faz sentir até os cheiros dos antigos fliperamas…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 16/12/2013 at 11:20 am
    Permalink

    Olá estou fazendo um TCC sobre Game Design,e nesse vou fazer umas análises gráficas de jogos clássicos do gênero, alguém poderia me informar artigos, sites ou monografias onde eu podesse ler sobre jogos tipo topgear, enduro, CTR… Desde já grato citações e agradecimentos ^^

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *