Depois de muito enrolar, aqui vai minha análise do retroportátil chinês YDPG18. Não vai ser em vídeo como eu tinha prometido, porque dá muito trabalho e eu ando entupido de serviço por aqui, sorry… Além disso, parece que esse portátil já ganhou uma versão nova com algumas melhorias no hardware, o que faz com que este review seja instantaneamente obsoleto.

Eu nem ia publicar mais, mas como sei que tem gente querendo ter uma ideia de como o bichinho funciona, aí vai. Deve dar ao menos uma ideia geral do que esperar. O portátil me foi gentilmente cedido pela finada loja Dingoo Imports, e veio em uma caixinha bem resistente, que deve aguentar as chacoalhadas do correio brasileiro numa boa. Ele roda o sistema operacional Android 2.2, e além de contar com emuladores também acessa a internet via Wi-Fi, tem tela sensível ao toque… enfim, faz um pouco de tudo. 

Portátil? Nem tanto!

O bichinho é um bichão! Grande pra caramba. Só a tela já já tem a largura do Dingoo A320 inteiro, e você vai precisar de bolsos bem fundos para levar o YDPG18 para a rua. Dado seu volume, acho que ele é mais viável para quem quer jogar em casa mesmo, ou para quem anda com pasta ou mochila.

E  como o aparelho não aceita 3G, só wi-fi, acaba não sendo muito vantajoso levá-lo com você para acessar a internet na rua, a não ser que você esteja indo para um lugar com ponto de acesso. Para quem vai usar em casa, beleza, não é grande o suficiente para ser desconfortável. Na verdade, cabe muito bem na mão: eu tenho dedos grandes, e o YDPG18 acaba casando melhor com a minha mão do que o Dingoo.

Tela, botões e saídas

O YDPG18 cabe bem na mão, não é muito pesado e tem botões… razoáveis. O direcional não é lá muito sensacional, e pode acontecer do controle não responder direito às vezes. É comum você acabar pressionando duas direções opostas ao mesmo tempo, dado o estilo do direcional. Nada tão grave quanto aquele controle hediondo do Cybergame, mas atrapalha.

Quem preferir pode usar a alavanca analógica, que na verdade não é analógica (pelo que me disseram o Android 2.2 tem uma limitação com esse tipo de alavanca, e só reconhece mesmo oito direções). Ou seja, não espere controles fabulosos, mas eles funcionam relativamente bem. Sempre existe a opção de usar os botões exibidos na própria tela, aquele overlay de joystick sensível ao toque típico do iPhone, por exemplo. O problema é que a tela não é multitoques, então não dá para apertar o direcional exibido na parte esquerda da tela e um dos botões exibidos à direita ao mesmo tempo 🙁 Ou seja, você vai ter que usar os controles físicos mesmos. Mas honestamente, tendo controles físicos no aparelho, quem vai querer o controle virtual?

A tela é uma delícia: 5”, com boas cores. Ela é sensível ao toque, e apesar de obviamente não ser tão sensível quanto a de um aparelho de marca, até que cumpre bem seu papel. Forçando um pouco a amizade dá para usar “no dedo” mesmo, sem caneta, mas volta e meia você vai errar toques, então acaba sendo melhor usar uma caneta para não se aborrecer. Há duas saídas para fone de ouvido, uma saída mini-HDMI para ligar o aparelho à TV e os habituais botões home e menu do Android (não manjo de Android, mas quem manja já entendeu quais são os botões). Há entrada para cartão Micro-SD e para ligar o carregador que acompanha a unidade, aém da saída mini-USB. O portátil ainda tem duas câmeras, uma frontal e outra posterior.

Internet, multimídia

Passando rapidamente por essa parte: a internet funciona direitinho. Consegui assistir a vídeos no YouTube, acessar meu email e navegar por vários sites. O programa de email é legal e avisa quando chega email novo. O único senão é que o teclado virtual não tem acentos, então não dá para escrever nada muito sério. Alguém sabe se tem como mudar isso? Eu sou uma besta quadrada quando o assunto é Android (Orakio burraldo! O Fernando deu a resposta nos comentários, tem acentos sim).

O teclado virtual do YDPG18.

Consegui rodar filmes em 1080p numa boa. Não testei mil formatos diferentes, mas o aparelho promete meio que rodar tudo. Por outro lado, não fiquei muito satisfeito com a reprodução de áudio: eu estava fazendo um curso de legendagem na época, e todo dia saía com o aparelho para ouvir música no ônibus pelo caminho. Sem exagero, em TODAS as músicas que eu escutava o aparelho dava uma leve engasgada pelo menos uma vez. Era coisa pequena, mas você nota que está acontecendo direto, né? Talvez seja culpa do programa, vale a pena testar outros.

Quanto às câmeras, funcionam bem dentro de casa e para filmar de perto. Mas se você pretende fotografar algo na rua em um dia de sol forte, esqueça: as fotos ficam totalmente brancas. Ao menos no meu teste, sob um sol de 40 graus aqui no Rio de Janeiro, foi o que aconteceu.

Mercadão de programas

Quem já usa Android deve conhecer o Android Market (agora Google Play), onde o usuário desse sistema operacional pode baixar e comprar programas. Felizmente, o YDPG18 trabalha direitinho com o Market, mas você vai ter instalar o programa do Market por fora.

Eu recomendo logo a instalação do firmware personalizado que já resolve isso e melhora um pouco o desempenho do aparelho. Fiz um vídeo documentando o processo e também mostrando a compra de um emulador no Market, mas ainda não editei… se vocês quiserem, avisem que eu acrescento aqui depois.

O Market está cheio de emuladores, mas a maioria é paga. Não que custem caro, e obviamente você pode ser pilantrex e baixar versões piratex dos emuladorex. Mas o Market não vive só de emuladores: há muitos outros programas por lá, para todo tipo de coisa. Essa é uma coisa muito bacana do aparelho: ele não fica estacionado, tem sempre algo novo que você pode instalar nele.

Vale lembrar que sem instalar o firmware personalizado você não tem como baixar emuladores “por fora” e instalar no aparelho. Ou seja, instale logo o firmware personalizado e seja uma formiguinha feliz.

Jogos e emuladores

Vamos ao que interessa, não é?

O YDPG18 vem com alguns emuladores instalados, mas o ideal mesmo é baixar pirat… digo, entrar no Market para comprar emuladores. Há emuladores gratuitos bons, mas pela minha pesquisa, parece que os melhores são mesmo os pagos. Eu recomendo a série de emuladores do Robert Broglia. Eles são vendidos por bons preços e têm ótimo desempenho, porém com um pequeno delay nas respostas.

  • Master System/Mega Drive: o emulador de Mega Drive que acompanha o aparelho é o Gensoid, que quebra um bom galho emulando jogos de Mega Drive com ótima velocidade, mas o som fica meio prejudicado. Prefiro o MD.emu, de mr. Broglia, que roda Mega Drive e Master System, mas ele é pago e também não é perfeito: tem um pequeno delay nos controles que pode atrapalhar nos momentos mais críticos. O desenvolvedor promete suporte a jogos de SEGA CD para breve. Resumindo: temos emuladores que, ainda que não sejam perfeitos, são muito bons.
  • NES: o NESoid, que veio instalado, não me deixou na mão. Rodou os jogos direitinho, com ótimos gráficos, música e jogabilidade. Não tenho do que reclamar.
  • Super Nintendo: o SNESoid rodou bem os jogos que testei; o Snes9x EX também. Porém, o som fica melhor no Snes9x EX, que também rodou StarFox (embora a velocidade tenha oscilado um pouco, acelerando demais em alguns momentos). Enfim, not perfect, mas quase lá nos testes que eu fiz.
  • Nintendo 64: sério que o aparelho roda Nintendo64? Sim, é sério. Testei o N64oid e o Mupen64, que não são perfeitos, dão umas engasgadas e a velocidade não é 100%, mas quebram um galho bonito em alguns jogos. Mesmo com uns probleminhas de velocidade, eu me diverti pra caramba com o resultado mais do que razoável que tive com Mario Kart 64. Tentei rodar Ocarina of Time, mas esse já ficou meio impraticável, com problemas de velocidade que tornam a jogatina um martírio. Ou seja, o desempenho vai depender do jogo escolhido.
  • Playstation One: não testei muito coisa, mas o que testei no emulador FPSE rodou bem legal: Final Fantasy VII, Gran Turismo e Nightmare Creatures rodaram surpreendentemente bem. Não roda lisinho, perfeito, mas o resultado é quase 100%, ao menos nesses jogos aí que eu mencionei. Sim, com música e tudo, embora o som dê umas “gaguejadas” no FFVII. Vou logo avisando que a alavanca analógica rendeu péssimos resultados por aqui, e acabei voltando ao direcional tradicional mesmo.
Vale destacar que esses emuladores todos contam com extensas opções para a configuração de controles, filtros gráficos, som e outras coisas. São bem mais detalhistas e configuráveis do que os emuladores que encontramos no Dingoo, por exemplo.
Além desses emuladores, o YDPG18 tem muitos outros… o chato é que a maioria é paga, mas os preços não são ruins. O aparelho também vem com Angry Birds instalado e rodou bem o R-Type lançado para o sistema.

Conclusão

E então, vale a pena gastar mais de duzentas pratas comprando esse aparelho na Deal Extreme?

Se você quer muito jogar PSX e N64 num portátil, sabendo que alguns jogos não vão rodar e que o desempenho é bom, mas não 100%, vale a pena sim. Se a tela grandona é importante para você, vale a pena. Se ter internet é importante para você, vale a pena. Ou seja, eu daria uma nota nove para esse aparelho, e se essas coisas todas que falei aí em cima forem importantes para você, pode comprar sem medo. É bacana mesmo, ele faz de tudo e com bastante eficiência.

Por outro lado, nenhum emulador que testei apresentou resultados totalmente perfeitos, e como o YDPG18 é bem mais caro e poderoso que seus concorrentes, minhas expectativas são mais altas. O Dingoo A320, por exemplo, custa metade do preço e, embora seja menos poderoso em termos de hardware, não tenha nenhuma função de acesso à internet e não rode PSX e N64, tem emuladores que me pareceram mais eficientes.

O Dingoo continua sendo o meu xodó

Eis alguns dos outros motivos que me levam a continuar jogando no meu Dingoo, e não no YDPG18:

  • Não preciso esperar o Dingoo bootar o sistema operacional. É só ligar e jogar, sem esperar.
  • Prefiro o tamanho realmente portátil do Dingoo. É inviável levar o YDPG18 no bolso, especialmente se você tiver que sentar.
  • O direcional do Dingoo me agrada muito mais.
  • É mais fácil abrir os emuladores, não tenho que ficar usando uma interface de toque que volta e meia não responde como eu quero.
  • A bateria do Dingoo dura MUITO mais. A do YDPG18 só dura em torno de três horas de jogo.
  • … por incrível que pareça, vários emuladores são melhores.

A última afirmação aí em cima é um pouco relativa. Na verdade, me parece que alguns emuladores como o MD.EMU não apresentam os problemas de delay que eu relatei quando usados em outros aparelhos com o Android. Ou seja, o YDPG18 é que daria uma encrencadinha, embora seja algo bem discreto.

É a velha questão… o fato do Playstation 3 rodar Blu-ray contou para que você o comprasse? Eu sou meio reacionário nesse ponto. Quando compro um console, quero jogar. Acho legal ter internet, áudio, vídeo, mas eu quero jogar. Nesse sentido, a única vantagem do YDPG18 sobre o Dingoo é a tela e o lance de rodar PSX e N64 (consoles que eu quase não jogo).

Isso não é uma crítica ao YDPG18; eu só estou dizendo que esse tipo de aparelho não foi feito para mim, e se você for como eu pode gastar bem menos no Dingoo A320 e ser igualmente feliz (talvez até mais). Mas se você curte o lance multimídia, de ter tudo num aparelho só, e a tela do Dingoo não te satisfaz, aí não tem nem o que pensar: pode comprar o YDPG18 sem medo.

YDPG18, o portátil Android para os retrogamers
Tags:     

38 ideias sobre “YDPG18, o portátil Android para os retrogamers

  • 19/03/2012 em 10:25 am
    Permalink

    O Dingoo sempre vai ser meu favorito, mas poder jogar novos jogos para Android com um controle físico é sempre bom.

    Quanto as atualizações, pra falar a verdade, até onde eu sei, é só atualização do Android para 2.3, e mudou pouca coisa. Acho até que é possível fazer o root no aparelho e atualizar, isso, se não rolar de ter uma rom personalizada (o que seria ótimo).

    Quanto a acentos, é fácil de resolver, é só segurar a tecla com a vogal, que aparecem as opções de acentuação. Pra isso, o teclado virtual tem que estar configuradinho, mas é easy.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 11:31 am
    Permalink

    Também gosto muito do Dingoo, mas adquiri um JXD S601 (por ser mais barato que o Yinlips) e estou gostando muito. Comprei só por causa do N64 e do PSX, então ta valendo. Porém o resultado dos outros emuladores me agradou bastante, foi tudo praticamente perfeito. Talvez ele seja melhor que o Ynlips, não sei.
    Belo Review Gagá, parabéns!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 1:21 pm
    Permalink

    Apesar de não ser a videoanalise, eu gostei, é muito detalhado, poderia colocar algumas imagens tbm para completar a analise, mas como vc @Orakio Rob, “O Gagá” falou que não tem tempo, tudo bem!

    Eu tenho tenho o dingoo a320, e gosto muito dele, e tbm tenho o n64(com bastante jogos), porém eu ainda iria querer compra o YDPG13, porque tem muitos jogos de Playstaton 1 que ainda não joguei e seria bom ter o portatil para isso, eu gosto muito de filmes (não precisam ser de melhor qualidade) e uma tela de 5″ contra uma de 2,8″ faz direfença, o dingoo não tem camera e seria bom ter uma, os aplicativos do android devem ser melhores do que o do dingoo (eu coloquei um livro em pdf no dingoo ficou ruim para ler por causa da tela pequena), etc…

    Ou seja, tem “N” motivos para se adquirir o YDPG18, mas ele iria ser para outras coisas, meu dingoo mais para outros consoles (como mega drive, nes, master, snes, pc engine, gb/gbc/gba etc), e o YDPG18 para o “play”…

    (comentário “meio” grande)

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 2:52 pm
    Permalink

    era bom com vídeo, assim podia ver os jogos rodando. mas esse post deu para ter noção da coisa toda. queria que pudesse rodar o N64. pois achar roms de World Driver Champhionship,Banjo-Tooie,Star Wars Rogue Squadron,Top Gear Overdrive por exemplo, é um suplício. mas fazer o que?

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 5:25 pm
    Permalink

    O review está ótimo, entendi os prós e contras do aparelho.

    Agora, quanto tempo a bateria deste dura, dura mais ou menos que em comparação ao Dingo?

    Sinto me tentado a comprar um Dingo, e gostaria de saber se a execução de jogos para Neo Geo, CPS I e II são 100% ou tem engasgos.

    Obrigado pela matéria.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 5:40 pm
    Permalink

    @Unknownuser2
    Putz, esqueci de falar da bateria!

    Aliás, eu ia deixar os dois aparelhos rodando direto para comparar a bateria com a do Dingoo mas esqueci : P Pior que acabei de vender o aparelho.

    Mas posso te dizer o seguinte, a bateria do Dingoo aguenta bem mais tempo. A do YDPG18 dura mais ou menos três horas em atividade gamística intensa, o que eu acho bem fraquinho.

    CPSII eu testei só Street Fighter II e rodou bem, mas era um inferno fazer hadoukens nesse direcional. Na alavanquinha, então, totalmente inviável. Mas a minha análise ficou meio rasinha pela mais completa falta de tempo. De repente a análise do Fernando vai ficar mais bacana, vale a pena ficar de olho. Fernando, avise aí quando sair, ok?

    @leandro(leon belmont) alves
    Acho que rolam uns vídeos no youtube, dá uma busca lá para conferir, Leandro.

    @Xlralex
    É, eu já tentei ler PDFs no Dingoo também e ficou um horror, he he…

    Para quem está interessado nas funções de tablet o aparelho é bacaninha sim. É que eu tava mais interessado na parte de games, e sei lá, jogar Playstation no portátil não foi tão legal quanto eu esperava. Não só pelo desempenho não ser perfeito, mas também porque… sei lá, esses jogos poligonais eu realmente acho que devem ser jogados na TV da sala.

    @MDA Games
    Se postar uma análise mande o link para a gente conferir, ok? Abração!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 5:53 pm
    Permalink

    Salve, salve! Estive um pouco ausente nos comentários, faculdade acaba com a vida social de qualquer um. Muito bom o post camarada, era o que eu precisava para comprar um desse aí, já que meu Gemei emprestei para a minha namorada e ela misteriosamente o deixou cair e partiu a tela ao meio.¬¬

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 6:55 pm
    Permalink

    Ótimo review como sempre gagá, a emulação que era minha principal dúvida sobre este aparelho, muita gente se empolgou por causa do android, touch e pelo fato de rodar psx e n64, mas como vc mesmo disse até o dingoo rodou melhor os emuladores básicos que cá entre nós é o que nos interessa, passar por delay num jogo de master system é o fim, vlw pelas dicas fico com meu dingoo mesmo, e devo pegar o novo dingoo o gemei 330 pelo fato do processador ser melhor e pelo preço que está bem em conta na deal 🙂

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 6:57 pm
    Permalink

    Sou mais os portáteis consagrados mesmo.A gente se ilude gasta 200 aqui, 150 lá,depois trezentão em outra coisa…no final das contas tá no vermelho…
    O melhor é focar na melhor opção e se segurar pra não gastar com aparelhos duvidosos.
    Nenhum portátil é perfeito pra emular,por isso é preciso calma e comprar a melhor opção na hora certa.Esse YDPG18 até empolga,mas não convence.

    E pra quem curte Android e tela de toque eu aconselho os Tablets consagrados também com tela capacitiva,é mais caro,é!E quem disse que se pode ter tudo?A experiência do Android com esses chineses genéricos deve ser um pesadelo. 😉

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/03/2012 em 11:10 pm
    Permalink

    Gagá, sincera e honestamente prefiro os reviews em texto mesmo, em vídeos costumo viajar e nem sempre tenho paciência pra ver quando estão longos.
    De qualquer forma, legal o review, mas por tudo que vc disse acho que prefiro o bom e velho Dingoo mesmo!
    Mas é legal que comecem a aparecer portáteis assim, espero que com o tempo eles evoluam mais e a gente tenha a possibilidade de emular boa parte dos sistemas que surgiram ao longo dos tempos.
    Agradecemos pelas dicas! 😀

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/03/2012 em 12:58 am
    Permalink

    Então Gagá, já ouviu falar do JDX s601? Acho que com base no seu gosto, ele seria um hibrido entre o dingoo e esse YDPG18, e ainda vem de fabrica com android 2.3. Tamanho médio, bom desempenho, opções de tela capacitiva e resistiva etc etc e é bem mais barato, 67 dollars. E dizem que a qualidade é acima da média.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/03/2012 em 8:26 am
    Permalink

    Eu pelo menos acredito que 200 reais é um valor meio alto para um portátil desse nível. Lá na DX já vende PSP rebuild por um valor bem legal, e acredito que em termos de emulação de PSX ele é sem duvida nenhuma o melhor, não sei em N64 se evoluiu alguma coisa, mas deve ser bem mediócre mesmo. Ainda fico com meu dingoo velho de guerra que já está a muito tempo comigo e ainda está rendendo bons frutos gamisticos na minha mão, enquanto não chega o PSP que encomendei dos USA pelas mãos de uma amiga, ou alguma coisa mais recente né. Mas acho que para quem quer uma emulação mais clássica e com mais fidelidade e preço mais acessível para baixa renda, melhor ficar com o A320 mesmo, até porque os emuladores lançados pelos russos para NES e SNES para o OFW ficaram muito bons mesmo.

    []´

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/03/2012 em 10:28 am
    Permalink

    Belo review Gagá mesmo sendo em texto mesmo,eu comprei um Yinlips G18,mesmo já tendo um Dingoo,Caanoo e PSP 3001 e posso dizer que a emulação é superior á esses em relação a GBA (roda os jogos pesados em 3D de boa),Snes,Mame,PS1 (no PSP é melhor por ser uma mistura de emulação e hardware),CPS 1 e 2 (principalmente em relação ao Dingoo o G18 é muito superior) e em relação ao Mega eu achei os emuladores para Android fraco,no Caanoo eu rodo Virtua Racing full speed no Android roda mas não é aquelas coisas não e como você falou a tela de 5″ é muito boa pra jogar.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/03/2012 em 8:30 pm
    Permalink

    Nossa, pensei que o carinha tinha mais potência que isso =/… Não que eu queria comprar, por não ter a grana (damn), mas achava que por ele ser algo mais sofisticado tinha que apresentar algo bem melhor na parte mais simples… E sobre a parte do Android, acho que é melhor usa-lo mesmo em dispositivos originais. As coisas nele não são caras e a maioria é muito bem feita. Sai mais caro, mas evita qualquer dor de cabeça futura.
    E valeu pelo review! Esclareceu muitas coisas, gostei mesmo.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/03/2012 em 10:18 pm
    Permalink

    @Fernando Fenero
    Como diz o mestre Eric Fraga, o importante é o conteúdo! Se for bom, a produção é só um detalhe.

    @†Yciero†
    Seu comentário me deixou traumatizado. Vou comprar amanhã mesmo uma correntinha para prender o Dingoo à minha mesa e evitar que minha esposa vire uma panela de água quente “acidentalmente” em nele.

    @cis_negro
    Cuidado com esses outros Dingoos, hein? Há meio que um consenso de que o A320 é o melhor mesmo.

    @Dactar
    Pois é, o YDPG18 é bacana, mas não me convenceu muito também porque as minhas expectativas eram altas. Já o Dingoo custa baratinho e é cheio de boas surpresas.

    @Walter Leal
    Conheço só de nome, não vi em ação ainda…

    @Vinicius
    Só de nome também… quantos modelos de JDX existem? Todo dia alguém me diz essas três letrinhas com um número diferente depois, rs… aliás, que diabos é “JDX”? João Detesta Xilofone? Jogos Destroem Xavecos?

    mauricio :

    eu comprei um Yinlips G18,mesmo já tendo um Dingoo,Caanoo e PSP 3001

    … desculpe a pergunta, mas quantas mãos você tem? ^_^

    @Pedro Ivo
    Beleza, mas já te adianto que é moleza: você baixa o update.zip (pacotão com o firmware personalizado), coloca na raiz do cartão SD, liga o console segurando a tecla HOME (ou seria a MENU, não lembro agora) e vai aparecer uma telinha com umas opções. Você escolhe lá as três opções que existem para apagar tudo, depois escolhe a opção de instalar o update.zip. É bem mais fácil do que parece.

    @Dark Classic
    Obrigado pelo comentário e volte sempre!!!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 21/03/2012 em 12:39 am
    Permalink

    … desculpe a pergunta, mas quantas mãos você tem? ^_^

    eu tenho uma mão em cada braço,mas eu tenho oito braços…kkkkkkkkkk!!
    é que a parada é o seguinte o PSP eu comprei pra jogos próprios,o Dingoo para emulação,ai eu queria uma emulação melhor comprei o Caanoo e agora vou de Yinlips,e eu não quis me desfazer de nenhum deles,agora vou esperar um ano pra ver como que vai tar a cena do PSVita (entenda-se desbloqueado e com muitos homebrews) pra mem pegar um.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/03/2012 em 12:02 pm
    Permalink

    Eu possuo atualmente um Dingoo, um PSP e um DS,em termos de emulação o PSP está MUITO acima dos demais (tirando o N64 que emula de forma precária)e a biblioteca de títulos do DS é absurda de tão farta (o PSP também possui uns bons jogos) mas ainda assim o Dingoo é o meu portátil favorito, porque?
    .
    simples ele realmente é portátil, é pequeno, leve, DISCRETO (importante no trem / buzão), tem uma ótima bateria, save state (fundamental para mim)e mesmo não sendo perfeito emula de forma satisfatória títulos que eu gosto.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/03/2012 em 12:11 pm
    Permalink

    há sim, sobre o YDPG18 vejo nele tres pontos fatais:
    .
    – Não possui bluetooth (nada de Joystick ou fone sem fio)
    .
    – Não possui um 2º analógico (fatal em games 3D)… se bem que não possui nem o 1º analógico.
    .
    – Não possui tela capacitiva multi touch, acredite faz MUITA falta em jogos Android.
    .
    .
    Aparentemente o jxd-s7100 é superior a ele em tudo, mesmo não possuindo botões L e R que podem facilmente reconfigurados.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 24/03/2012 em 12:39 pm
    Permalink

    Sei lá, pra mim são portáteis com propostas tão diferentes. Gosto muito do Dingoo, mas ainda sim , estou usando bastante o Yinlips, o CPU dele é mais forte do meu tablet (nem sei se vou voltar a usar…) e que o do meu smartphone, fica muito mais fácil assim acompanhar e-mails, pacotes, e os messengers.

    Os jogos para Android são diferenciais também, existem alguns muito bons.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 25/03/2012 em 11:37 pm
    Permalink

    Orakio, por falar no Dingoo, alguma atualização importante pra ele ultimamente? Pelo q eu sei não surgiram novas versões de emuladores para o Dingux, mas no nativo estou curtindo a versão do PC Engine (DingooHugo) – achei este melhor q o do Dingux – e MAME (ambos via menu 3Dgame) e o emulador PocketSNES, abraço!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/03/2012 em 3:31 am
    Permalink

    Então @Orakio Rob, “O Gagá” , tem muitos modelos, mas com android se não me engano só tem o que eu citei mesmo, o resto é tudo firmeware proprio e emulador de psx etc.
    e @Dalton, ta chovendo atualizações pro dingoo, acho que o gaga até deveria fazer um post (mostrando os lançamentos e como o dingoo dele está, depois de taaaanto tempo). Tem emu novo de snes que roda jogos que não rodam no Pocketsnes, tem mais um monte de outros emus otimizados, etc etc. Da uma olhanda na Dingoonity. O cara que fez esse milagre em forma de emulador pretende fazer um de mega drive e um de pce tbm.
    Quanto ao emulador DingooHugo, lançou atualização dele.
    O mame ta morto acho, ninguem mais se interessou.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 27/03/2012 em 10:32 am
    Permalink

    @Dalton
    @Vinicius

    Isso aí, o Dingoo está num pique infernal! Dá uma olhada na Dingoonity, como o Vinícius disse, Dalton. Não para de sair emulador para o bichinho. Vou acabar comprando outro só para ter na reserva aqui, caso meu Dingoo pife.

    Eu penso mesmo em fazer um post, Vinícius, mas tô correndo atrás para me atualizar primeiro. Tem tanta novidade saindo que é difícil acompanhar! Acho que vou esperar sair a versão final do OpenDingux para fazer um post bacana.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *