Revista Retro Gamer: é de chorar

Outro dia, nas minhas andanças pela internet, fui parar no site da revista Retro Gamer. Pelo nome, você já deve ter sentido que é uma revista sobre jogos velhos, correto? E é isso mesmo. Trata-se de uma publicação européia vendida por um bom preço (uns 30 reais contando com o frete), então eu decidi fazer um test-drive e encomendei a edição 58 (a atual) da bendita.

Bom… o que dizer? A revista é fantástica! O papel é de alta qualidade, a parte gráfica idem. As seções são bem organizadas, os textos são escritos por gente que entende mesmo do riscado e há reportagens aprofundadas resgatando do limbo verdadeiras pérolas sobre clássicos do passado. A edição que adquiri traz uma reportagem bisonha sobre Shining Force, contando histórias sobre o desenvolvimento de todos os games da série e curiosidades curiosamente curiosas (sabia que Landstalker era para ser um Shining Force?).

Outra reportagem de destaque é a que fala sobre Panzer Dragoon Saga para o Sega Saturn, onde fiquei sabendo que o desenvolvimento do jogo levou mais de dois anos, contou com uma equipe enorme e custou uma fortuna! Há ainda uma excelente matéria contando a história da Activision, com direito a comentários de David Crane, criador do Pitfall. Aliás, vale destacar que as reportagens principais sempre trazem entrevistas com programadores envolvidos na produção do jogo. Com isso a revista passa longe do lugar comum e revela várias informações que você não encontra em lugar nenhum.

Impagável também a matéria especial sobre jogos com premissas esquisitas, alguns dos “crássicos” selecionados são de rolar de rir, como o jogo em que voce dirige um ônibus escolar pelo deserto de Nevada. O problema é que o deserto tem o tamanho do deserto verdadeiro, e você só pode dirigir a 35 Km/h! Dizem que leva umas oito horas para completar o percurso, e o jogo não tem “pause”!

Há também espaço para o leitor, não só na seção de cartas como na publicação de um “profile” de um jogo. Nesta edição um leitor lembrou do saudoso “Super Sprint”. Os profiles podem ser criados no site da revista. Vai lá, quem sabe o seu não é selecionado?

AVISO: a matéria de oito páginas sobre Shining Force pode matar os fãs do coração.

AVISO: a matéria de oito páginas sobre Shining Force pode matar os fãs do coração. Clique para ver maior.

A Retro Gamer é bem abrangente, cobrindo até aqueles jogos bem antigos, dos tempos do Commodore. Os fãs dos velhos jogos de computador vão adorar a matéria sobre a Microprose, o “revival” de Xenophobe e até um reviewzinho do saudoso Boulder Dash, que chegou ao Virtual Console do Wii. Também há espaço na revista para novas versões de games que marcaram época nos consoles clássicos, como Metal Slug 7 e Bomberman Blast.

Concluindo, eu realmente recomendo a todos vocês que assinem a revista, é um espetáculo. É possível comprar dois CDs que trazem todas as edições em PDF por um preço módico. Eu poderia comentar que ao dar uma busca no google por “retro gamer” e “goomba” vocês vão encontrar os PDFs para download gratuito, mas seria muita canalhice da minha parte. O fato é que, embora os PDFs sejam interessantes, a revista é tão atraente graficamente que simplesmente não é a mesma coisa. Você precisa ter a revista nas mãos para entender do que eu estou falando. Se não tiver grana para isso, obviamente, o PDF vai servir. Nota 10.

About Orakio Rob, "O Gagá"

Dono do império corporativo Gagá Games, o velho Gagá adora falar sobre si mesmo em terceira pessoa. E sim, é ele mesmo que está escrevendo este texto.