Diário de Bordo: Lufia II Rise of the Sinistrals, 31/5/2010

bnn-lufia

Como vão, caríssimos e pacientes leitores do Diário de Lufia 2 (se é que sobrou alguém aí)? Demorei mas voltei! Devido a diversos imprevistos, adiei por semanas a continuidade do Diário (não, dessa vez não perdi save nenhum), mas agora é hora de dar continuidade nisso, dessa vez sem paradas tão longas. Resolvi assumir os posts semanais, assim como Gagá faz com seu Diário do Phantasy Star. Com isso posso elaborar melhor os textos e me dedicar a outros trabalhos também, como o Illusion of Gaia e o The Immortal no SHUGAMES.

Bom, chega de desculpas, vamos trabalhar! Acabamos de destruir um dragão enorme que quase fez churrasquinho da turma, e ganhamos uma jóia que nos ajudará a encontrar Preamarl, a terra das Sereias! Uau! Vamos logo com isso então tio!

a passagem submersa e o carinha estranhando os nossos modos

A passagem submersa e o carinha estranhando os nossos modos

Velejei por alguns instantes, encontrei até um novo mascote pro time, Garbi, numa remota ilha a nordeste. Nessa mesma ilha, nas profundezas marinhas, há um buraco que me levou até um portão. Com a ajuda da jóia (acredito eu), abri o portão e cheguei até… PREAMARL, A CIDADE DAS SEREIAS! Mas pôxa, tudo aqui é alagado… e tem homens com rabo de peixe também… argh… Enfim, os moradores estranham a presença de humanos por ali, o que não é surpresa, afinal, a droga da cidade fica SUBMERSA em um BURACO D’ÁGUA DEBAIXO DE UMA ILHA REMOTA!

Comprei duas armas novas, pro Maxim e pro Guy, e fui direto pro palácio ao norte. Ali achei Marla, a rainha de Preamarl. Ela, naturalmente, estranha o fato de humanos terem chegado até ali e nos pergunta como conseguimos passar pelo portão no buraco submarino. Maxim então conta sobre a jóia que ganhamos do velhote em Chaed, o que acaba despertando o interesse da sereia em saber como o velhote anda. Com as pernas seria a resposta ideal, mas Maxim apenas diz que tá tudo bem com ele e logo empurra a questão sobre a Dual Blade. Marla então pergunta se somos nós que vamos enfrentar os Sinistrals…. Não, não, fazemos parte de um circo que acabou de chegar em Preamarl…. ¬¬ !

Maxim, sempre direto ao assunto!

Maxim, sempre direto ao assunto!

NATURALMENTE, Marla diz que ouviu que uma espada está em uma dungeon ao norte, cercada por três ilhas, só não tem certeza se é a Dual Blade. Aliás, qual item importante que não está em uma dungeon de difícil acesso, AO NORTE, cheia de puzzles mortais e cercado pelos seres mais abomináveis do mundo? Nesse instante aparece alguém correndo, suando (já repararam que esse script já se repetiu por umas quinze vezes no jogo?) dizendo que as correntes marítimas mudaram de direção, e que uma das sereias chamada Piara foi engolida pelas águas e levada à uma caverna onde um navio fantasma foi avistado. AHHH MAH GODE!!! Pior ainda: a mina é filha da rainha Marla!
Marla sai rasgando do palácio em busca de ajuda deixando a gente ali, com cara de bunda. No maior estilo “not my problem”, fui pro norte procurar a tal espada e achei as três ilhas que a Marla mencionou. Mergulhei ali e segui o caminho do buraco d’água até achar as duas sereias ilhadas no centro da passagem. Quando eu já estava pronto pra levá-las embora dali, apareceu o navio fantasma e tive que enfrentar o danado. Com Artea e Selan concentrei minhas melhores magias de FOGO no navio velho, pois o gelo aqui não fazia efeito nenhum. Com Maxim e Guy ia destruindo os inimigos que ele ia chamando eventualmente.

Lufia II - Rise of the Sinistrals 00166Afundando o navio fantasma, as correntes marítimas voltaram ao normal e Marla agradece a ajuda. Mas quando pensei que tudo estaria à salvo e finalmente eu poderia ir atrás da Dual Blade, surge outra corrente fortíssima e carrega as duas denovo! Segui pelo caminho atrás delas e as encontrei um templo nas profundezas. Maxim começa a sentir uma energia que logo reconhece como sendo um Sinistral que deve estar por ali. Os quatro soldados que tentaram salvar as duas sereias tentam abrir caminho pelo templo pra escapar e são PULVERIZADOS por alguma magia maligna! Surge uma voz provocando os que sobraram a entrar no templo, mas adverte que todos serão destruídos ali mesmo. Marla fica histérica e tenta se vingar entrando no templo, provando que peixes tem uma inteligência de um tijolo, mas é impedida à tempo por Selan, que casta a magia Drowsy, fazendo-a dormir. Selan pede para Piara levar sua mãe dali enquanto nós entramos no templo. Piara acha perigoso, mas Maxim diz que somente NÓS podemos entrar! Piara pergunta “por quê?” Porque somos os escolhidos, os mais fortes do universo, os mais lindos, ora bolas, menina chata!

Agora aconteceu algo muito bizarro! Não sei se foi a rom, ou o emulador, ou os dois juntos, mas a próxima sala apareceu TODA zuada! Tipo, os pixels da sala todos misturados, baús perdidos, paredes quebradas, aquelas coisas que lembram uma tela de DEBUG. Enfim, mesmo assim consegui achar o caminho até o norte e a história prosseguiu. Só espero no futuro não ter surpresas ruins e ter que parar o Diário por causa disso! Odeio quando essas coisas acontecem, mas estamos sujeitos à isso, fazer o quê.

Lufia-II-Rise-of-the-Sinistrals-00311

Olha a tela toda zuada, omg!

Cheguei até a espada Dual Blade, que ressoa na presença de Maxim, e a mesma voz surge dizendo que tais humanos não são merecedores dessa espada. Ele quer destruir o mundo por causa da Dual Blade, pois o fato dela ressoar significa que existem humanos capazes de enfrentar os Sinistrals. Sujeitinho egoísta esse em? O nome do carinha é Daos, líder dos Sinistrals, por isso o medo de levar o chute nas nádegas de Maxim e sua turma. Maxim não dá bola pro papo do cara e diz que vai comer o cara no jantar com Dual Blade e tudo, mas a espada desaparece, assim como Daos.

Fomos todos teleportados pra Chaed e eu descobri que o visual do jogo voltou ao normal… descobri também que Daos está sobre uma ilha voadora e descarrega um poder enorme que faz Chaed desaparecer por completo. Ou quase isso. O interessante é que Maxim e os outros nada sofreram. A próxima tela mostra o que sobrou da cidade com Maxim NO MEIO DELA lamentando. Ou eles todos são super sayajins ou eu estou jogando o jogo errado…

Daos não tá pra brincadeira mesmo!

Daos não tá pra brincadeira mesmo!

Daos desafia Maxim à subir até lá para tomarmos uma cervejinha enquanto conversamos feito homens de verdade, mas como é que vou subir até lá? A resposta talvez venha de Lexis e sua mente criativa, mas fica pra uma próxima parte, semana que vem tem mais!

About Cosmão, o "Velho Piadista"

Meu principal passatempo no asilo do Gagá é escrever livros e livros de Detonados de Diários de Bordo. Aos poucos vou postando no blog :D