Recordar é envelhecer: Legend of Illusion (Master System)

Olá amigos do Gagá Games! Aqui é o retrogamer André Breder para trazer até vocês mais uma edição do Recordar é envelhecer! Hoje vou relembrar um game do famoso Mickey Mouse que foi lançado para o Master System, só que somente no Brasil: trata-se de Legend of Illusion. Tenham todos uma boa leitura e até a próxima!

Introdução

O título Castle of Illusion, lançado em 1990, foi um dos games mais vendidos para o bom e velho Master System na época de ouro do console em terras brasileiras, e Land of Illusion, lançado em 1992, foi outra aventura do mascote da Disney a fazer um grande sucesso entre os donos de um Master System. Mas já na metade da decada de 90 o console de 8 Bits da SEGA já estava chegando ao seu fim, sendo que na época ele continuava sendo produzido apenas no Brasil e em algumas regiões da Europa.

Em 1995 a SEGA lançou mais um título com o personagem Mickey, chamado Legend of Illusion, que seguia um padrão similar aos outros dois games lançados da “série Illusion” para o Master System, só que como o console já não “andava bem das pernas”, este jogo acabou sendo lançado para o Game Gear. Mesmo sendo um game desenvolvido para um console portátil, Legend of Illusion tinha todos os requisitos básico para agradar aos fãs de Castle e Land of Illusion.

Então eis que entra em cena a Tec Toy, que de boba não tem nada, e consegue lançar ainda em 1995, com exclusividade, uma adaptação deste game para o Master System, fazendo a alegria de vários gamers que na época ainda jogavam e se divertiam com seu console de 8 Bits. Legend of Illusion seria um dos últimos lançamentos do Master que realmente mereciam ser jogados…

Sobre o game

Legend of Illusion coloca o jogador, e também alguns dos personagens da Disney, em um mundo totalmente medieval, onde Mickey é um simples ajudante da lavanderia do salafrário rei Pete (conhecido como Bafo de Onça aqui no Brasil). Certo dia densas nuvens tomam o céu do reino, fazendo com que os seus habitantes ficassem mergulhados em uma profunda tristeza. O conselheiro do rei Pete o avisa que “somente um rei em uma jornada real, conseguirá descobrir a solução deste problema, trazendo assim novamente a paz e a alegria para o reino”. Mas como Pete é mesmo um medroso, e temendo perder sua vida nesta “jornada real”, decide então enviar o seu servo Mickey para cumprir tal missão, nomeando como um “rei honorário”.

Inicialmente Mickey recusa a “proposta”, mas o covarde rei Pete o entrega sua coroa e sai de cena, não deixando uma segunda alternativa para o pobre rato. Mesmo não sendo um rei de verdade, Mickey decide então tentar ajudar os habitantes do seu reino, se dirigindo até o reino vizinho, que é governado pelo Rei Pateta, afim de pedir ajuda. Começa assim uma grande aventura para Mickey, onde ele mudará para sempre tanto a vida dos seus conterrâneos, como a própria!

Uma grande diferença que Legend of Illusion traz em relação aos dois jogos anteriores do Mickey lançados para o Master System, é que agora ele não tem mais como golpe principal a vergonhosa “bundada”. Como o rato trabalhava limpando a roupa suja do rei, ele agora utiliza como arma principal bolas feitas de sabão. Mickey continua também podendo utilizar alguns objetos para servir de “arma” contra seus inimigos, e no decorrer de sua aventura vai conseguindo a ajuda de outros personagens, que fazem com que seus pontos de vida aumentem e também que sua arma principal seja melhorada.

Outro diferencial em Legend of Illusion é a existência de uma espécie de cesta, onde Mickey pode guardar até 4 tipos de itens curativos, que no final da fase rendem muitos pontos. Para acumular estes itens, basta pegá-los nos baús que existem nas fases estando com a sua energia completa. O curioso é que estes itens “guardados” não podem ser usados por Mickey posteriormente, caso ele seja ferido, sendo que a única utilidade deles no jogo passa a ser em aumentar a pontuação mesmo.

Graficamente Legend of Illusion continua mostrando que a dobradinha SEGA e Disney realmente era matadora na hora de fazer games belíssimos! Os gráficos são muito bons, onde você sente até que está controlando um bem feito desenho animado! O design dos personagens no game ficou praticamente idêntico ao que pode ser visto nas revistas em quadrinhos e longas metragens da Disney! Os cenários de fundo são todos bem detalhados, a animação de tudo o que se move na tela é perfeita e tudo é muito bem colorido!

Alguns cenários trazem até um bacana efeito parallax, e já no primeiro estágio pode se notar o capricho que tiveram com o jogo, onde o jogador vai presenciando o amanhecer de um dia a medida que progride na fase. Algo que hoje pode ser visto como algo simples, mas que na época era realmente muito bacana! E o jogo ainda tem belas cutscenes, que ajudam a mostrar melhor o desenvolvimento da trama do game.

Os efeitos sonoros de Legend of Illusion são todos bem feitos, e totalmente dentro do clima do jogo, sendo que muitos efeitos já ouvidos nos games anteriores da “série Illusion” também aparecem aqui, o que dá uma gostosa sensação de “deja vu”. A trilha sonora é igualmente muito boa, com temas variados, que ajudam a passar todo o clima de aventura do game com êxito!

A jogabilidade é simples e eficiente: o botão direcional move o personagem e os dois botões um é separado para o ataque, e o outro para o pulo de Mickey. O destemido rato poderá ainda nadar com agilidade e se pendurar em algumas plataformas. Gamers que jogaram Castle e Land of Illusion podem de início confundir um pouco as coisas, por já estarem acostumados com a “bundada” que Mickey “aplicava” nestes dois títulos, mas basta alguns minutos de jogatina para se acostumar com a nova forma de atacar.

Em relação a dificuldade, se fizermos comparações com Castle e Land of Illusion, Legend é o mais fácil. Suas fases são no geral mais curtas que as destes outros dois games, e mesmo que existam em algumas delas puzzles e até a possibilidade de se escolher qual caminho seguir (alguns estágios mais avançados trazem duas rotas possíveis, sendo uma superior e a outra inferior), um jogador normalmente não gasta mais do que alguns minutos para concluir uma etapa do jogo. Apesar de ter um nível de dificuldade crescente, onde cada fase traz novos inimigos e obstáculos, Legend of Illusion é um daqueles games que podem ser terminados tranquilamente em bem pouco tempo.

As batalhas contra os chefes, no entanto, estão mais inteligentes do que as que foram vistas nos dois games anteriores da “série Illusion” que saíram para o Master System, onde em alguns casos não basta apenas acertar a cabeça do chefe, e sim descobrir uma forma realmente eficaz de eliminá-lo. Jogadores mais afoitos poderão até mesmo ficar perdidos em alguns confrontos, sem saber como acabar de vez com um chefe, portanto antes de partir para o ataque, é recomendável que antes o jogador raciocine e descubra o ponto fraco de seu adversário.

Conclusão

Legend of Illusion é um bom game de plataforma, mesmo que se comparado ao excelente Land of Illusion ele tenha até dado um “passo atrás” em relação as novidades que foram trazidas para a “série Illusion” por este último. Mesmo assim, ele é um game divertido, e cujo único defeito real, na minha opinião, é sua curta duração.

About André Breder

Um gamer que não tem preconceitos: curte tanto os games clássicos, quanto os novos, e nunca deu preferência para nenhum console ou empresa específica do mercado. Tanto que criou um blog sobre games de todas as épocas, chamado Blog do Breder.