Perdoem o trocadilho no título do post, eu não resisti 😛

O GOG.com está fazendo uma promoção bacanérrima que só vai até amanhã. O “promovido” é Darkstone, um clone de Diablo absolutamente sensacional que eu tive a oportunidade de jogar e zerar há alguns meses. Eu a-d-o-r-e-i o jogo, fiquei viciado nele por semanas, e como sou um sujeito bacana doido para destruir a vida social dos amigos, vou contar qual é a do jogo e por que vocês devem aproveitar a promoção.

Darkstone saiu no meio de 1999. Isso situa seu lançamento uns dois anos e pouco após o primeiro Diablo, e um ano antes de Diablo II. Confesso que nunca joguei Diablo II; só terminei o primeiro (há poucas semanas, diga-se de passagem), então tenham isso em mente nos meus comentários sobre Darkstone.

Os gráficos são um meio termo entre Diablo e Torchlight em termos de “sinistrice”

Assim como em Diablo, seu objetivo é aventurar-se por catacumbas subterrâneas para derrotar o senhor do mal etc etc etc. Tanto a movimentação pelo mapa quanto os ataques são à base de cliques do mouse, com o teclado oferecendo atalhos para funções de emergência: uso rápido de itens no seu cinto, abertura do inventário, troca de magia ativa e coisas do gênero. Para quem nunca jogou diablo, isso significa que sua mãozinha direita vai metralhar o botão do mouse para atacar os inimigos enquanto a mãozinha esquerda vai “gerenciando” em ritmo frenético a troca de magias e a “bebeção” de poções para restaurar energia e mana. É uma fórmula viciante e totalmente infalível.

Em relação a Diablo, Darkstone tem dois diferenciais importantes: o primeiro, ele é todinho poligonal. Isso significa que você pode girar e dar zoom no cenário, o que torna a brincadeira imensamente divertida — e bem atmosférica se você jogar com o zoom bem próximo ao personagem.

Darkstone tem um overworld bacana e aleatório a ser explorado, com direito a emboscadas e tudo

O segundo diferencial é que você não controla apenas um personagem, mas sim dois. Obviamente, não dá para controlar os dois ao mesmo tempo: você vai controlando um e o outro vai atrás, ajudando a derrotar os inimigos, mas dá para alternar livremente de um personagem para o outro a qualquer momento. Isso é sensacional, porque você pode fazer como eu e jogar com um mago sem medo de ser feliz, já que pode escolher um guerreiro como companheiro para salvar sua pele nas horas de aperto.

Só por isso o jogo já valeria muito, mas tem mais. Em vez de apresentar apenas uma cidade onde nenhuma ação acontece, como é o caso no primeiro Diablo, Darkstone tem uma região bastante ampla a ser explorada, tipo um “overworld”. Não se iluda, não é nada incrivelmente complexo, mas é legal pra caramba de explorar, porque os pontos de interesse no mapa são aleatórios, e a cada jogatina você pode topar com coisas diferentes: uma pequena cidade arruinada, um acampamento…

Os chefes de Darkstone são maneiríssimos!

Os labirintos estão distribuídos em diferentes entradas pelo mapa, em vez de serem todos parte de um único labirinto como no primeiro Diablo. Cada grupo de labirintos traz um cenário diferente, inimigos diferentes e missões diferentes (tá, Diablo também faz isso a cada quatro níveis).

Não vou dizer que a atmosfera é tão boa quanto a de Diablo, porque não é: o jogo não é tão sinistro e assustador. Por outro lado, há muitas missões e inimigos interessantes (ah, a fase das aranhas…), e o level design é ainda mais engenhoso e merece altos elogios em alguns trechos. Achei o máximo quando tive que atravessar um longo corredor repleto de armadilhas mágicas, e tive que ir me escondendo entre as reentrâncias na parede. Outro bom momento foi quando, ao usar um elmo mágico, meu personagem conseguiu enxergar as armadilhas invisíveis e teve que andar cuidadosamente pelo estreito caminho livre em meio a elas.

Cliques tensos do mouse, pouco a pouco, para não tocar nas armadilhas invisíveis e se estrepar todo

Enfim, o jogo é coisa finíssima e eu recomendo muitíssimo a todos. As fotos aí de cima são todas da minha jogatina, e eu garanto que os fãs de Diablo vão adorar esse negócio. E quem comprar, por gentileza, não deixe de jogar umas moedinhas para os dois músicos que ficam no centro da cidade para ter uma surpresinha.

Eu gostei tanto do jogo que foi até difícil escolher as fotos que eu ia usar neste post. Por isso, segue abaixo uma galeria com várias fotos adicionais. Para quem quiser comprar, é só clicar no:

COMPRE AQUI

Por aproximadamente cinco reais, você leva o jogo completinho, sem DRM e com um monte de extras bacanas. Se nunca comprou no GOG, você pode conferir nosso tutorial que ensina a comprar no GOG.

E não venham me chamar de vendido, eu seria uma besta perdendo tempo preparando  um post deste tamanho só para faturar no máximo um ou dois reais… tô indicando porque é bom MESMO, sem enrolação! O Gagá não mente ^_^

UPDATE: esqueci de mencionar que Darkstone tem um modo multiplayer online. Não cheguei a testar e ninguém confirmou se funciona neste tópico do fórum do GOG, mas acredito que sim já que você pode estabelecer a conexão diretamente entre os PCs. Vale a pena tentar.

Darkstone: clone caprichado de Diablo em oferta infernal!
Tagged on:             

15 thoughts on “Darkstone: clone caprichado de Diablo em oferta infernal!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *