Finalmente Garett entra no castelo de Pythion, e algum programador que tem a mãe na zona espalha a equipe pelo cenário da pior maneira possível!

Capítulo 12 — O Castelo Twin

Garett e seu exército atravessam os muros do castelo Twin. Uma vez lá dentro, dividem-se em duas frentes, com cada grupo tentando alcançar o topo do castelo.

Para vencer: Derrotar o líder inimigo, Pythion
Para perder: Morte de Garett

Putz, como é que meu grupo foi parar aí?
Putz, como é que meu grupo foi parar aí?

Minha primeira tentativa de vencer a batalha 12 de Langrisser falhou tão miseravelmente que por um momento pensei que teria que cancelar prematuramente o diário de bordo. O massacre foi tão grande que achei que eu havia avançado poucos níveis nas batalhas anteriores e que a morte de Tiberon no capítulo 8 ia me custar caro.

Basicamente, seu grupo começa dividido em dois: quatro comandantes do lado esquerdo, em posição estratégica, e três comandantes totalmente encurralados, de quatro e com os fiofós pintados de vermelho no meio das tropas do Pythion, que incluem dois feiticeiros e dois baitas guerreiros, acompanhados de seus devidos exércitos. Felizmente Pythion e suas tropas ficam lá em cima esperando a gente chegar.

Com o grupo da esquerda não tive grandes problemas, mas com a turma da direita o bicho pegou, então vou me concentrar nela. Os dois comandantes guerreiros, que estão logo abaixo do grupo, são fortes e perigosos. Os magos de cima têm aquelas magias bizarras e um bocado de tropas, mas não são muito resistentes. Após minha primeira tentativa, percebi que valia a pena abrir mão de alguns pontos de experiência e aniquilar o mais rápido possível os dois feiticeiros — matando os infelizes, as tropas todas vão embora junto. Sendo assim, estabeleci como objetivo inicial destruir os dois feiticeiros no primeiro turno da batalha.

Garett liderando as tropas diante de Pythion. Confesso que perdi três turnos só para botar todo mundo em posição para uma foto épica
Garett liderando as tropas diante de Pythion. Confesso que perdi três turnos só para botar todo mundo em posição para uma foto épica

Calais mandou sua magia no grupo de tropas que envolvia o feiticeiro da esquerda. Depois mandei os soldados dela matarem as duas tropas inimigas que bloqueavam o acesso ao comandante metido a Mandrake. Aí Bayard subiu na toda e matou o primeiro feiticeiro, que já tinha perdido dois HPs com a magia da Calais. Na direita, Sabra e suas tropas tentaram fazer o mesmo, e quase que eu consegui repetir o feito. No segundo turno acabei o serviço e aí a turma desceu no pique para enfrentar os comandantes guerreiros. A batalha foi dura, mas deu tudo certo.

Enquanto isso, a turma lá na esquerda derrotava pilhas e mais pilhas de tropas, incluindo uns malditos arqueiros elfos que detonavam os meus soldados. Só mesmo as tropas da Mina para dar um jeito neles sem muitas baixas. Os dois grupos, então, se reuniram, restauraram seu HP e foram felizes e de mãos dadas enfrentar o imperador do mal.

Putz, que lapada o Pythion. Basta dizer que ele evitava TODOS os ataques físicos que eu desferia. Só magias funcionavam. Ele tem uma baita resistência e fica se restaurando em todos os turnos. Eu precisava de uma estratégia mágica-arrasa-quarteirão que desse cabo do sujeito em dois turnos, , quando o MP da Calais acabaria e tudo estaria perdido. Para minha enorme sorte, o Garett foi promovido a rei no meio da missão e ganhou uma magia de ataque. Os dois atacaram pesadamente Pythion. Mesmo assim, foram momentos de muita tensão.

langrisser_571Num dado momento o sujeito ficou com 1 HP. Eu não tinha mais magias. Garett já tinha tido seu turno, e seu MP havia acabado também. Eu sabia que se não matasse Pythion agora ele iria recuperar o HP no próximo turno, e sem magia eu jamais conseguiria vencê-lo. Tinha que ser agora.

Carleon se aproximou. Sim, ele, que acabou de entrar no grupo, com o nível mais baixo de todo o exército. O homem chegou, desferiu o golpe… e acertou. Putz, quase caí da cadeira. Levantei, fui até o banheiro limpar as calças e voltei para ver o rumo que a história ia tomar.

Sim, Garett recupera a espada Warsong e ainda encontra um Evil Axe. Pythion manda aquele lero-lero de vilão, e diz que vamos nos reencontrar… como eu não sei, porque ele morre logo depois. E agora, gafanhoto, o que falta fazer em Langrisser já que Pythion morreu? Veremos no próximo capítulo…

Diário de bordo: Langrisser, 25/03/2009
Tagged on:                     

5 thoughts on “Diário de bordo: Langrisser, 25/03/2009

  • 26/03/2009 at 11:35 am
    Permalink

    Parabéns!
    Se conseguiu passar desse, passa de qualquer um!
    É difícil mesmo, mesmo se você tivesse mais níveis!
    Esse é um caso em que um Knight poderia fazer diferença (Horsemen) mas mesmo assim, a graça do jogo é que você pode vencer (apenas fica mais ou menos difícil) com qualquer combinação de classes.

    Estarei esperando a próxima!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 09/06/2011 at 10:57 am
    Permalink

    e vocês dizendo que esse é uma das batalhas mais dificeis do game…pra mim foi mel na chupeta. como o Gagá falou ai no post, decidi cuidar do lado direito primeiro onde a parada tava braba para Calais,Thorne,Carleon e Sabra. dois grand knight inimigos e dois magos poderosos. primeiro mandei a Calais cuidar diretamente com um dos magos, ignorando os soldados e com Sabra fiz a mesma coisa com o outro mago. rapaz, foi ANIMAL!!! por um golpe duplo de sorte, as duas mataram os magos sem levar dano^^. perdi uma boa experiência, mas do jeito que a coisa ia andar se eu não tivesse feito isso, o time inteiro ia ser massacrado. aí mandei os “homi” do quarteto cuidarem do exercito dos grand knights em poucos turnos eles liquidaram o exercito inimigos e os generais.
    do outro lado foi mais fácil. vcs ficam judiando do Tiberion, mas no meu grupo é ele que segura as pontas quando o Garret tá ocupado cuidando dos inimigos mais fortes e não tem ninguém para proteger os feridos da equipe. Tiberion cuidou do mago inimigo verde e do exercito dele com um pé nas costas, Bayard ajudou um pouco e Mina pegava as sobras(carniciera) Garret nem sujou suas mãos de King nos soldados, esperando acertar as contas com o Cheif commander. contra o Cheif e seus soldados, Garret e Mina deram uma boa surra nele.só falta o Kaiser Phynton.
    já vim previnido e guardei as magias na hora de enfrentar o imperador. já que ele é quase imune a ataques fisicos, Garret, Mina e Calais cuidaram de dar cabo nele e foi fácil. joguim dirfirci, mar er bom dimais sô!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *