Olá amigos do Gagá Games! Aqui é o retrogamer André Breder trazendo para vocês mais um Recordar é envelhecer! Como eu já havia falado sobre o excelente QuackShot do Mega Drive aqui no Gagá, nada mais natural do que relembrar agora o clássico The Lucky Dime Caper do Master System! Ambos os jogos são estrelados pelo pato mais rabugento e famoso do mundo: Donald, uma figura que até hoje faz sucesso junto das crianças (principalmente entre aquelas que jogam os games da série Kingdom Hearts). Bem, tenham todos uma boa leitura e até a próxima!

Agora é a vez do pato Donald!

Após o sucesso obtido com o jogo Castle of Illusion, estrelado por Mickey, que é simplesmente o rato mais famoso do planeta, não era necessário nem ser vidente para prever que novos jogos com personagens da Disney seriam lançados para os consoles da SEGA futuramente. E aproximadamente um ano após o jogo Castle of Illusion ter sido lançado para o Master System, o console de 8 Bits da SEGA ganharia outro jogo da Disney bem divertido, só que desta vez estrelado pelo rabugento Pato Donald!

Com o título de The Lucky Dime Caper, o jogo trazia uma grande aventura para os donos de um Master, com Donald tendo que enfrentar muitos perigos e desafios ao redor do mundo. Neste mesmo ano o Mega Drive receberia o jogo Quack Shot, também estrelado por Donald, que logo seria considerado como um dos melhores jogos de ação lançados para o poderoso console de 16 Bits da SEGA.

De maneira sábia, a SEGA preferiu criar um jogo totalmente novo para o Master, ao invés de tentar fazer uma versão 8 Bits de Quack Shot, bem diferente do que ocorreu no caso de Castle of Illusion, jogo que teve tanto uma versão lançada para o Mega quanto para o Master.Mesmo com toda a superioridade de Quack Shot, os donos de um Master System não tinham do que reclamar no final das contas, pois The Lucky Dime Caper é um jogo excelente também!

História

A história de The Lucky Dime Caper começa de maneira surpreendente para os fãs dos personagens da Disney. O pão duro do Tio Patinhas resolve presentear cada um dos seus três sobrinhos (os populares Huguinho, Zezinho e Luizinho) com uma “moeda da sorte”. Tudo bem que no final das contas cada moeda é de apenas 10 centavos, mas mesmo assim ver o velhote abrindo a mão é algo bem raro.

Tudo corria bem até que três capangas da invejosa e malvada Maga Patológica capturam os três sobrinhos juntamente com suas moedas, e para finalizar o dia da pior maneira possível, a própria pata “coisa ruim” ataca o Tio Patinhas e tira dele seu bem mais valioso: sua famosa moeda número 1! Tanto Maga Patológica quanto seus capangas fogem, deixando Tio Patinhas desesperado! O velho e rico pato pede então a Donald que recupere sua moeda da sorte, prometendo que dará a ele uma boa recompensa por isso! Donald que não é bobo aceita, mas diz que primeiro vai salvar seus três sobrinhos.

As armas de Donald

Para vencer os desafios que o esperam de maneira mais fácil, Donald vai poder utilizar duas armas: um grande martelo de madeira e um disco, sendo que só pode utilizar uma arma de cada vez. Enquanto que o martelo causa mais danos aos inimigos, o disco é útil para atingir os adversários à distância.

De início Donald começa com o martelo de madeira, mas perde o mesmo caso ele seja atingido por algum inimigo. Desarmado Donald terá que pular sobre os inimigos (bem no estilo Super Mario Bros) para vencê-los, até que consiga outra arma.

Caso Donald esteja desarmado e receba mais algum dano, o pobre e rabugento pato morre. Não há pontos de vida em The Lucky Dime Caper, por isso o jogador deve ter cuidado quando estiver sem nenhuma arma em sua posse.

As armas podem ser conseguidas na destruição dos nimigos, não sendo possível determinar qual tipo de arma irá aparecer, pois as mesmas surgem no jogo de forma aleatória.

Gráficos

Algo que logo iria se tornar uma marca registrada entre os jogos da Disney feitos em parceria com a SEGA, são os gráficos, sempre muito bem feitos chegando a passar até a sensação de estar jogando um desenho animado. E The Lucky Dime Caper veio para mostrar isso com gráficos bem coloridos e de encher os olhos!

As fases do jogo, por exemplo, possuem cenários bem construídos e cheios de detalhes interessantes para serem observados pelo jogador. Como Donald terá que viajar para várias localidades do planeta para poder cumprir sua missão, os cenários são bem diversificados, cada qual representando muito bem o local do mundo em que o pato rabugento está.

A animação de Donald e dos demais personagens ou criaturas que aparecem no jogo está perfeita! Se ficar muito tempo parado Donald irá olhar para a tela e bater os pés, mostrando que não tem tempo a perder! Outros detalhes interessantes que mostram que os produtores do jogo tiveram um cuidado todo especial em relação a animação de Donald, podem ser observados, por exemplo, quando o pato está se aventurando dentro de um vulcão. Caso o jogador deixe o pato sem se movimentar, Donald exibirá uma animação onde demonstra que o calor do local é realmente insuportável! Igualmente na fase onde a temperatura é abaixo de zero, Donald irá tremer de frio! Simplesmente sensacional!

Efeitos, Trilha Sonora e Jogabilidade

Os Efeitos Sonoros do jogo são bem simples, mas todos cumprem bem o seu papel no jogo. Todos seguem um tom bem infantil, algo mais do que natural de ser encontrado em um jogo com um personagem que adorado por tantas crianças no mundo todo. Não há nada de espetácular, mas também nenhum som que possa soar irritante ou desagradável ao ouvido de quem está se divertindo com The Lucky Dime Caper.

A Trilha Sonora é muito boa! Cada fase possui seu tema próprio e todos estão bem condizentes com os cenários que representam! A grande maioria dos temas são bem alegres e empolgantes, todos com um tom bem infantil. Mas o tema final do Castelo da Maga Patológica é ao mesmo tempo agitado e sombrio, chegando a passar bastante tensão para o jogador, assim como os temas de batalhas entre os chefes do jogo, que são sempre agitados, deixando a adrenalina do jogador a mil por hora!

Os controles do jogo são simples e eficazes. Com um dos botões de ação Donald pula e com o outro usa sua arma. A movimentação de Donald é tranquila durante o jogo, sendo o pato bem ágil e fácil de controlar. Todos os comandos funcionam de maneira rápida, sem nenhum atraso. The Lucky Dime Caper é um daqueles jogos que se pode dizer que possui uma jogabilidade nota 10!

Dificuldade

A dificuldade do jogo é crescente. No início estarão disponíveis três fases para serem escolhidas (na ordem que o jogador bem entender) no mapa, todas com uma grau de dificuldade bem próximos. Após vencer esta etapa inicial mais três fases aguardam o jogador, que desta vez estão mais complicadas do que as anteriores. Só após o jogador vencer as seis primeiras fases do jogo é que poderá ir para a fase final, no assombroso castelo da Maga Patológica.

As fases do jogo, cada qual possui suas particularidades e dificuldades, com inimigos e obstáculos variados. Muitos abismos existem na maiora das fases, e como já é de costume, fazem com que jogadores menos cuidadosos percam vidas.

Para facilitar um pouco a vida do jogador na sua atravessia pelas perigosas fases do jogo, existe a possibilidade de ganhar um item cujo símbolo é uma estrela após derrotar certos inimigos. Cada item deste tipo que é coletado pelo jogador faz aparecer um indicador vermelho no canto esquerdo da tela. Ao juntar cindo destes itens Donald então ficará invencível por um certo período de tempo. O jogador deve usar este curto período então com sabedoria, procurando passar pelos obtacúlos das fases com rapidez mas ao mesmo tempo deve tomar cuidado para que o poder de invencibilidade não acabe justamente em um momento inadequado.

Os chefes não são difíceis, mas é altamente necessário chegar até eles com alguma arma, sendo que dependendo do que estiver a disposição do jogador, a batalha contra um chefe pode ser muito, mas muito fácil. Até mesmo o último chefe, a infeliz da Maga Patológica, é moleza!

Conclusão

The Lucky Dime Caper entra fácil na lista (a minha pelo menos) de melhores jogos do Master System! Um jogo de plataforma bem feito e que é diversão garantida para quem o joga. Disney e SEGA… uma parceria que realmente brilhou na década de noventa e que produziu grandes jogos! Bons tempos que não voltam mais…infelizmente.

Recordar é envelhecer: The Lucky Dime Caper (Master System)

13 thoughts on “Recordar é envelhecer: The Lucky Dime Caper (Master System)

  • 19/06/2009 at 2:51 pm
    Permalink

    Aaahhh, só pq eu citei que iria fazer uma análise desse jogo, seu feio, bobo :p
    Zueira, ficou ótimo o texto, Lucky Dime Caper, pra mim, está no TOP 5 dos melhores jogos do Master System, sem dúvidas.
    Não destacando somente o quesito técnico, mas bem mais o fator nostalgia que esse jogo me proporciona.
    A fase da neve é uma das minhas preferidas de todos os tempos.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/06/2009 at 3:34 pm
    Permalink

    j4ckt :

    Aaahhh, só pq eu citei que iria fazer uma análise desse jogo, seu feio, bobo :p

    Esquenta não velho Jack! Aqui no Gagá não é proibido que duas pessoas falem sobre um mesmo jogo, portanto você ainda pode muito bem postar sua análise do The Lucky Dime Caper em um futuro próximo. E como nunca uma análise é igual a outra e é sempre bacana ver uma opinião diferente sobre um mesmo game, tenho certeza que tanto eu quanto os outros colegas que visitam o blog, iremos ficar esperando pela sua visão e opinião a respeito do The Lucky Dime Caper.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 19/06/2009 at 11:28 pm
    Permalink

    Cara, esse é o primeiro jogo que me fez virar a noite jogando. hehehe E eu era moleque, com uns cinco, seis anos acho… Muito bom! O Donald é um dos personagens da Disney com os melhores jogos para consoles. Quackshot e Lucky Dime Caper servem como excelentes exemplos disso.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 20/06/2009 at 3:38 pm
    Permalink

    Isso aí, J4ckt, esqueci de te dizer: depois de um mês, pode repetir o jogo, cada um tem o direito de dar sua opinião. Nesses casos, é interessante comparar o seu review ao anterior para dizer por que a sua opinião é diferente. Se não for diferente… bom, aí não há motivo para outro review 🙂

    Caduco, eu nunca joguei esse jogo, mas parece bom mesmo. Aliás, nos tempos dos 8 e 16 bits, os jogos da Disney que saíam para Mega Drive eram, de modo geral, excelentes.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 21/06/2009 at 12:29 pm
    Permalink

    Eu tinha até comentado sobre esse jogo no post anterior. Mas realmente esse jogo é clássico. Joguei por muito tempo ele. Ótimo post mesmo! Esse era um daqueles jogos no qual te levava para “dentro” da aventura. Coisa que realmente está difícil nos jogos atuais. Não sei se é pelo fato de ficarmos mais velhos ou simplesmente a magia nos atuais acabou. Ainda vou fazer um post sobre isso. Mas voltando … parabéns mesmo pelo post. Espero que um dia vocês façam do DYNAMITE DUX … hehehe !!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 21/06/2009 at 2:58 pm
    Permalink

    Ivo :

    Espero que um dia vocês façam do DYNAMITE DUX … hehehe !!

    Dynamite Dux é um jogo bacana, e eu joguei bastante a versão do Master System (também existe uma versão lançada para os Arcades). Acredito que algum dos velhotes aqui do Gagá Games acabará falando sobre ele qualquer dia.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 22/06/2009 at 10:38 am
    Permalink

    Os jogos da Disney são a prova viva que quem tinha um master não precisava de um nintendo, ao contrário do que os nintendistas roxos costumam dizer. Sou muito mais eles que os que a Capcom fazia para o outro console. Pra mim, os únicos jogos de plataforma do master melhor que esses da série Illusion e do Donald são Sonic 2 e o primeiro Asterix.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 22/06/2009 at 3:04 pm
    Permalink

    maxi2099 :

    Os jogos da Disney são a prova viva que quem tinha um master não precisava de um nintendo, ao contrário do que os nintendistas roxos costumam dizer.

    Realmente games como Castle of Illusion, Land of Illusion e The Lucky Dime Caper não ficavam devendo em nada para os games do Mario ou Mega Man! E como você mesmo citou, ainda tínhamos os games da franquia Sonic e o primeiro Asterix que é um excelente game de plataforma! Agora, sorte minha que tive ambos os consoles de 8 bits: tanto um Master, como um clone de NES, pois desta forma pude aproveitar o melhor de ambos os sistemas.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • Pingback: Gagá Games » Recordar é envelhecer: Aladdin (Mega Drive)

  • 25/11/2011 at 12:03 pm
    Permalink

    no meu ponto de vista todos os jogos da disney pro master são otimos exceto Ariel The Little Mermaid é Mickey’s Ultimate Challenge ate o Legend of Illusion ficou bom ñ tão bom quanto o castle eo land mais ficou bom no meu ponto de vista.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *