Na semana passada eu anunciei aqui no Gagá Games o meu mais novo e ambicioso projeto: a SEGA Pereba Collection. O objetivo? Fazer uma coleção de jogos de Mega Drive de acordo com a minha realidade financeira e a de tantos outros brasileiros, ou seja: uma coleção de pobre.

Jogos sem caixa, sem manual, com label rasgado e até piratões: vale tudo na SEGA Pereba Collection, desde que a placa de circuitos do cartucho esteja lá de alguma maneira. Mas os meus dois primeiros títulos não eram nada perebentos: um Starflight original completo que o leitor Washington me deu de presente há vários meses e um Pier Solar em edição de luxo, limitadíssima, que eu ganhei por ter traduzido o jogo para o português. Sim, eu estava muito envergonhado de ter jogos tão “mainstream” e nariz em pé na minha humilde coleção perebenta; eu me sentia imundo, elitista, odiado por todos os gamers humildes do Brasil e com o ego inflado. Não conseguia nem dormir por causa disso.

Felizmente meu amigo Eric Fraga veio ao meu resgate e me colocou na direção certa: mandou um cartucho SEGA Top 10 loose, com label escurecido e com o nome MANOEL escrito com caneta para retroprojetor no verso. Veio dentro de uma caixa de cotonetes. E não, eu não estou brincando com o lance da caixa de cotonetes.

Mas a coisa ficou realmente muito louca quando pedi à turma que tivesse jogos piratas ou em mau estado que entrasse em contato comigo, pois eu pagaria um valor módico pelos cartuchos. Para minha surpresa, recebi dois emails de pessoas que queriam me DOAR seus cartuchos! 

O Carmelo me mandou esses jogos todos aí de presente. Thanks a lot!

O primeiro foi o Carmelo, leitor do Gagá Games (e freguês da minha patroa, comprou aquele quadro bacana de Castle of Illusion que ela fez). Ele me disse que queria doar seus dez cartuchos piratas de Mega Drive, incluindo ToeJam & Earl, Taz in Escape from Mars, Mega Turrican e Pirates of Dark Water. De quebra, ainda me vendeu o Game Boy Pocket dele por um preço bem camarada e incluiu de brinde até uns joguinhos de Game Boy Advance!

Talvez minha memória esteja me traindo, mas eu amava esse desenho quando era moleque, e lembro que me diverti um bocado com o jogo também

O segundo foi o Leandro Vallina, que publica uma coluna sobre retrogaming no Nós Geeks. Mas aqui a coisa tomou proporções insanas: ele me mandou mais de SESSENTA JOGOS!

O Leandro chutou o balde e me deu sessenta jogos de uma vez só! Se eu não tiver filhos, juro que deixo algo para ele no meu testamento.

Sim, tudo de graça! Tem de tudo no pacotão do Leandro:  clássicos (Streets of Rage 2, Castle of Illusion), jogos bacanudos e pouco lembrados (Midnight Resistance, Fighting Masters) e vários títulos que todo mundo diz que são ótimos mas eu nunca joguei (Alisia Dragoon, Hellfire).

Fighting Masters foi um jogo super badalado na época em que saiu, mas hoje quase ninguém lembra dele

Alisia Dragoon é um daqueles jogos que sempre geram um “tá de sacanagem que você nunca jogou esse jogo?”

Os jogos que o Carmelo e o Leandro me mandaram são quase todos piratas. Há alguns originais no meio, mas está tudo sem caixa, sem manual e exigindo várias assopradas para funcionar, o que já os qualifica como autênticos perebentos.

Puuuuuutz, Midnight Resistance é uma beleza de jogo…

A parte mais divertida é ver os labels dos jogos piratas, tem cada coisa inacreditável, então estou distribuindo as imagens pelos posts para vocês se deliciarem com essas pérolas.

Mas não são só os labels que são bizarros não: há também alguns cartuchos com vários jogos, e até um inusitado cartucho de… Pokémon? No Mega Drive?

… de qual círculo do inferno saiu esse negócio?

Não se animem muito não, é só um joguinho de plataforma. Os gráficos são bons, então deve ser um port amador de um título pré-existente. Alguém aí saberia dizer?

Para o próximo cartucho, vamos fazer uma brincadeira: olhem rápido para a foto, fechem os olhos e digam que jogo é este. Preparados? Aí vai:

WTF? Quem são esses caras? ^_^

Alguém por favor pode me explicar o que um clone do Super-Homem, um auxiliar de oficina mecânica com orelhas grandes e uma prostituta de luxo estão fazendo no label do jogo do Capitão Planeta? Nem vou comentar sobre o cachorro.

Nosso freak-show megadriviano não para por aí, tem até cartuchos com design inovador e intenções artísticas. Querem ver?

Meu Double Dragon é “double” mesmo, vem até em duas partes. Quebrado? Que quebrado o que, vocês não entendem nada de arte!

Mas guardei o melhor para o final. Vamos repetir a brincadeira do Capitão Planeta, olhem rápido para este label e me digam what’s a porra is this game:

Mataram ou não? Tá fácil!

Pois bem, aí vai a resposta:

Holy shit! ^_^

Can you believe that? ToeJam & Earl! Alguém por favor me diga o que a capa do Twinsen’s  Odyssey faz aí. E que diabos é esse lance de “Earl Land”? Simplesmente brilhante. Os jogos da Pereba Collection são pura poesia. Quem precisa daqueles originais engomadinhos e estéreis em liberdade e criatividade artística? Um viva à cultura pós-moderna alternativa!!!

Meu listão de jogos

 E foi assim que da noite para o dia minha coleção pulou de dois para mais de setenta jogos! Aposto que você, que tem coleção de originais e tem que ficar comprando de um em um por causa do alto preço, ficou com inveja agora. Pois não fique: “emperebe” sua coleção você também!

Para manter um controle dos jogos que já tenho, compilei esta lista de jogos de Mega Drive. Tá meio zoneada porque colei da Wikipédia, tenho que acertar uns lances na formatação, mas já dá para usar. Na lista temos jogos americanos, japoneses e afins. Minha ideia inicial é a de conseguir todos os jogos lançados no ocidente, mas quem sabe aos poucos não consigo os cartuchos orientais também?

Agora eu vou me divertir jogando esses jogos todos, e obviamente fazendo posts sobre todos eles aqui no Gagá Games. Aguardem que vem coisa boa por aí. E ao Carmelo e ao Leandro eu deixo o meu muitíssimo obrigado!

Sega Pereba Collection: pérolas artísticas do mundo alternativo

97 ideias sobre “Sega Pereba Collection: pérolas artísticas do mundo alternativo

  • 03/08/2011 em 9:21 am
    Permalink

    pô Gagá! que coleção de responsa hein? e tem realmente jogos com a “capa” diferente do que o jogo é. geralmente isso acontece mais no Mega, mas já vi aqui alguns do SNES com o Label trocado. e esse label do jogo do capitão planeta é comédia mesmo. ^^

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 9:26 am
    Permalink

    a mais de 10 anos eu doei meu mega e minha pequena coleção de jogos do mega para um primo, nem sei o que acontenceu com eles. Mas guardei comigo dois jogos Phantasy Star 2 e Sword of Vermilion, ambos originais (comprados nos EUA) e com os manuais. Mesmo que nunca os venha a usar novamente para jogar vou guardar para sempre, principalmente o phantasy que joguei incontáveis horas e devo ter demorado anos para zerar. Só de segurar dá saudade…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 9:51 am
    Permalink

    O QUE… Mais um perebento??? Eu também sou um perebas collector master old. Mas para sistemas Nintendo. Claro que estou um pouco paradão com as compras para snes, mas ainda não parei de comprar, meu primeiro piratão e que ainda tenho é um Rockman 7 de 1995 (comprei no fim do ano na Sta. Ifigenia), nessa época era bem “original” o esquema kkkk
    Eu pretendo arrumar outro Snes, ou pelo menos a carcaça de um para deixar o meu mais “novo”, visto que eu quando era muleque colei adesivos, e com o tempo eles zoaram muito o console, dai queria dar uma arrumada básica nele, e claro receber doações marotas como as que você está recebendo para a sua coleção perebenta.
    Um abraço, e continue com o trabalho no PS de PS2, estamos no aguardo do esquema para arreganhar os joys.

    []´

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 9:54 am
    Permalink

    Parabens Gagá, foi uma honra doar esses games, como eu te disse anteriormente, você vai fazer um proveito muito melhor do que qualquer filho meu faria.

    Infelizmente a geração de hoje só quer saber de jogos de ultima geração, não que eu não curta esses jogos, pelo o contrário eu adoro e jogo muito PS3 e um pouco menos o Wii.

    Mas só quem passou pela geração 8bits e 16bits pode se dizer um sortudo. Naquela época as produtoras não se preocupava apenas com os lucros (se preocupava mas não tanto) e sim com a qualidade dos jogos.

    Games com trilhas sonoras do estilo Street of Rage nunca mais serão lançados (infelizmente).

    Por isso que eu e outras pessoas que hoje estão escrevendo sobre games antigos nos sites e blogs espalhados pela internet, fomos influenciados pelo principal “fundador do movimento retrogamer no Brasil” o Orakio Rob, o Gagá. E temos a obrigação de divulgar ao 4 cantos do mundo o quanto era magnifica essas gerações passadas.

    Gagá, espero que vc curta muito estes games (principalmente Alisia Dragon e Chakan que são fantásticos).
    Um super abraço.
    Leandro Vallina

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 10:00 am
    Permalink

    Por falar em labels bizarros, lembrei da arte de um cartucho pirata do Fantasia. Em vez da conhecida imagem do Mickey “aprendiz de feiticeiro”, nessa cópia picareta ele aparecia com roupa estilo VAUDEVILLE (!!!), completa com chapéu e bengala. Queria achar esse label na internet, mas nunca consegui.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 10:00 am
    Permalink

    ” uma prostituta de luxo ”

    Xiii Gagá…. A coisa vai pesar pro seu lado. Como você sabe que é uma prostituta de luxo? Existem apenas 3 explicações:

    1) Por quê não uma prostituta barata? Só se você disser que é por causa do preço do vestido, que impediria uma prostituta de rua ter. Mas isso indicaria que você sabe de moda… Então… “Significa”
    2) Como sabe se tratar de uma prostituta? Não pode ser uma mulher que gosta de se vestir sensualmente? Uma Geisy Arruda da vida? O que indica “Machismo” de sua parte
    3) E por fim, como saber que é uma prostituta? Minimamente andou perguntando o preço. O que indica que no mínimo mostrou interesse. E o que indica que no mínimo vai apanhar em casa da Sra. Gagá.

    Fico feliz em ajudar.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 10:02 am
    Permalink

    Amigo Gagá

    Fiquei impressionado com sua coleção e é muito legal saber que ainda no mundo existe gente bacana que pode sempre dar uma força.

    Você estar que nem eu hoje que consegui dois consoles num só dia:
    O Playstation (primeirão, cinza, lindo, com controles originais, jogos originais japoneses, uma delicia!), o Sega Saturn (com chip de destravamento mas com chances de conserto).

    Aproveitando o ensejo da pereba colection do Gagá venho humildemente nesse espaço pedir também doações de Games de Playstation Original Japonês ou venda a preço camarada (10,00 mais frete pago pelo vendedor)e uma unidade ótica do modelo mais recente do Sega Saturn para venda ou doação, fora games loose do Sega Saturn (podem ser piratas).

    Depois peço para postar as coleções de todos os leitores desse site e fazer um belo post sobre colecionismo.

    E um outro sobre trocas.

    Belos jogos Gagá para um belo game: Mega Drive

    Abraço a todos!

    Ulisses Old Gamer 78

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 10:08 am
    Permalink

    Modo legítimo de guardar sua pereba collection: caixa de sapatos.

    Tem títulos excelentes aí no meio. Quackshot, Moonwalker, Flashback, e muitos outros. Mas tem Sword of Sodan, então dá uma equilibrada na qualidade geral 😀

    MUITO ansioso pra ver a review de Megaman X 3!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 10:23 am
    Permalink

    Ah me esqueci, não se sinta o pior por isso.
    Infelizmente muitos se sentem egoístas com respeito a bens materiais, mas imagino a alegria e a satisfação de poder jogar algo que conquistou e curtir cada um dos jogos que na época não pôde ter por infortúnios.

    Eu era muito de trocar consoles, para poder ter outros mas nunca joguei sujo nisso.

    Hoje estou podendo reviver a era dos 32 bits (Namco Museum 2 e 3 que o digam hehehe).

    Espero que isso que você teve a iniciativa sirva de exemplo para muitos, que não importa a condição, desde que seja pura e honesta para conseguir algo para se divertir.

    É isso

    Ulisses Old Gamer 78

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 10:34 am
    Permalink

    E eu com apenas 4 joguinhos fureba…. pelo menos um é o Ultimate MK3 original com caixa, manual e até aqueles panfletos originais do Mega Drive, tudo em perfeito estado.

    Se alguém quiser me doar pelo menos um Kid Chameleon estou aceitando… sniff…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 10:43 am
    Permalink

    Eita! 70 jogos de uma vez só???

    Como já falaram num post lá de quando o Gagá adquiriu o Mega dele por 20 pilas: “você é o maior FDP do mundo…”

    E engraçado, o meu Double Dragon II que paguei apenas 10 pilas veio com o chip montado invertido. Tive que abri-lo e montá-lo novamente para poder jogar… Maldição dos Double Dragon II?

    A era 16 bit, como já falaram anteriormente, é a melhor era dos games… Realmente, os games atuais não tem mais o mesmo brilho. Tudo agora visa a quantidade e não a qualidade…

    Abraços e parabéns pela sorte, Gagá.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 10:49 am
    Permalink

    Gagá master, é com incrível admiração e muita dose de inveja que escrevo estas palavras e conto minha história.
    Há muitos anos atrás, quando tinha me desapegado de meu querido Snes e andava na casa de um amigo jogando ps1, eis que meu irmão consegue uma namorada e decide dar a ela um celular de presente, celular este que seria adquirido por conta de uma troca, daria o meu snes e receberia o bendito nokia5125. Na época nem dei bola, falei: “-pode trocar”. Mas o tempo passou, muito tempo e com internet em mãos, pude jogar muitos clássicos da minha época no emulador de snes e conhecer outros que são medalhões do console(destaques a FFVI e Chrono Trigger). E aí vaí muitas navegações vão e vem, leitura de blogs e albuns de coleções pessoais, vi que não há nada como ter o vídeo game ali em mãos. Agora era tarde pra arrependimento e fiquei só na saudade.
    Eis que, algo em torno do final do ano passado e início desse ano, uma alma caridosa em uma comunidade do orkut, decidiu organizar um torneio online de snes, então sem taxa de inscrição nenhuma e mesmo assim se predispôs de dar como prêmio aos vencedores, o direito de escolher entre 3 fitas(1ºcolocado) e 1 fita(2ºlugar) de sua coleção. Pensei, porque não tentar? Não há nada a perder. Lá fui eu na tentativa nos jogos Super Street Fighter 2 e Mario Kart.
    Como é meu jogo favorito e com certeza é o jogo que eu mais joguei na vida, achei que tinha grandes chances de vencer, além de ressuscitar a alegria de competição no Street Fighter. Em resumo, cheguei a final e venci. Alegria total por essa conquista mas também uma tristeza, iria adquirir as fitas mas não poderia usá-las, eis que falei para o organizador, que abria mão do prêmio pois não faria uso e já não tinha meu snes. O cara teve uma idéia, conhecia alguém que bajulava duas fitas dele e até oferecia um snes em troca, dito e feito foi isso que ele fez, trocou e me mandou o snes, isso antes de testar o videogame e tudo. E meu sonho enfim se realizou, finalmente tenho um snes em casa novamente e desse nunca mais me separarei, levo pro caixão, ehhehehe. Única lembrança de snes que eu tinha era apenas um Top Gear 1 pirata que eu peguei emprestado faz anos de um amigo e nunca devolvi(sempre que me via nos anos seguintes a primeira frase que eu ou via mesmo que um grito do outro lado da rua era:”-MINHAS FITAS!!!!!”). Mas a parte ruim, é que além de tudo, o Top Gear depois de anos na gaveta não funcionou, e levou todos os assoprões possíveis mas nada, até me disseram que uma lixada no chip o faria pegar, algo que fiz com sutileza mas ainda nada. E então como a grana anda curta e quando fui tentar achar fitas por aqui, fui em camelôs e lá os caras querem vender a maioria são cartuchos horríveis ou senão até jogos dignos como o Donkey Kong, mas sem salvar não vai dar pra se pagar os R$35 pila que eles pedem, e as labels são realmente feias. E vendo essas doações até me inspirou a contar toda essa história, que melhor editada até daria um texto de matéria para um blog. O realmente interessante seria receber muitas fitas por doações, como aconteceu com o senhor Gagá, mas se tudo der certo, aos poucos irei descobrir onde estarão as fitas abandonadas na minha cidade e então finalmente, poder jogar meu snes.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 11:39 am
    Permalink

    leandro(leon belmont)alves :
    mas já vi aqui alguns do SNES com o Label trocado

    Isso me lembra quando eu fui ao camelódromo comprar jogos de Dreamcast e topei com um “Taxi 2”. O Crazy Taxi 2 tinha acabado de sair, eu estava doido para comprar. Levei para casa… mas era “Taxi 2” mesmo, baseado naquele filme 🙁

    @spyblack
    Então você tem coleção perebenta de SNES? Diz pra mim se tem um destes: Fifa Soccer 97, International Superstar Soccer, Side Pocket e Air Cavalry. O Carmelo me mandou esses jogos também, todos pereba-like, mas não estou colecionando SNES, então se quiser eu te mando de presente.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 11:49 am
    Permalink

    Leandro Vallina :

    fomos influenciados pelo principal “fundador do movimento retrogamer no Brasil” o Orakio Rob, o Gagá

    Opa, nem tanto, mestre! ^_^

    Na verdade eu não fundei o movimento, e é difícil apontar quem fundou. Tem uma turma que já postava sobre isso beeeem antes, como o Evil Gambit, o Samuel do Retrobits, sem falar nos “guerreiros” dos fóruns da vida (que até hoje fazem posts incríveis, diga-se de passagem). Mas já fico satisfeito em saber que ajudei a dar força ao movimento, he he…

    Um abração e muitíssimo obrigado pelo presente. Pode apostar que esses cartuchos vão ganhar vida nova aqui na casa do velhote!

    Roberto Stelling :

    Por falar em labels bizarros, lembrei da arte de um cartucho pirata do Fantasia. Em vez da conhecida imagem do Mickey “aprendiz de feiticeiro”, nessa cópia picareta ele aparecia com roupa estilo VAUDEVILLE (!!!),

    Ahhhh, que pena que o meu piratex tem label parecido com o original, agora fiquei com inveja!

    @L
    Ih, rapaz, nem pensei nisso! *editando o tópico antes que a patroa veja*

    @Ulisses Old Gamer 78
    Eu só estava sendo irônico com o lance dos originais, he he…

    Heider Carlos :

    Modo legítimo de guardar sua pereba collection: caixa de sapatos.

    Na verdade, vou pedir à patroa para fazer uma daquelas caixas bacanas para guardar os cartuchos. Sou pobre e só tenho um par de sapatos, logo não tenho caixas aqui 😛

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 11:59 am
    Permalink

    Man On The Edge :

    Eita! 70 jogos de uma vez só???

    Como já falaram num post lá de quando o Gagá adquiriu o Mega dele por 20 pilas: “você é o maior FDP do mundo…”

    Cara, se tem uma verdade sobre mim é que eu sou sortudo pra diabo. Você nem imagina a naturalidade com que coisas boas volta e meia acontecem comigo. Se eu contar, você vai ficar com muita raiva ^_^

    E tem foto aí desse Double Dragon?

    @Cosmão
    Cosmão, como eu estou com mais jogos, acho que seria mais lógico e natural você me dar esse seu MK aí…

    Tá, eu sei que não vai funcionar, mas não custa tentar 😛

    Jorge Chernicharo :

    Caixinha do correio japa ali marotamente na última foto
    hahahah

    Essas caixinhas são ótimas! Sempre que recebo algo do Japão, guardo a caixa.

    @Juliano
    Bacana a história, Juliano, adorei!

    Se o Spyblack não quiser os jogos de SNES que eu mencionei num comentário aí em cima e você estiver interessado eu posso te mandar. Você tem esses jogos? É tudo piratão e sem caixa.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 12:21 pm
    Permalink

    Poxa Gagá, pensei até na idéia de reunir uma galera do RJ e fazer um encontro na feirinha da Praça XV um sábado desses, pra galera caçar umas velharias por lá.

    O problema é que embora essa idéia pareça ser ótima em teoria, na prática, a primeira imagem que veio à minha cabeca foi de um monte de marmanjos barbudos se esbofeteando por causa de uma fita (possivelmente pirata) de nintendinho, hahaha..

    Ou seja, acho que não daria certo, uma pena.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 12:32 pm
    Permalink

    Rafael Neves :

    O problema é que embora essa idéia pareça ser ótima em teoria, na prática, a primeira imagem que veio à minha cabeca foi de um monte de marmanjos barbudos se esbofeteando por causa de uma fita (possivelmente pirata) de nintendinho, hahaha..

    Curiosamente foi a primeira coisa que me veio à mente também ^_^

    @Rafael Fernandes
    Cara, eu já falei para não fazer essas propostas sujas publicamente! Faça por email ^_^

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 1:40 pm
    Permalink

    Gagá eu só estava dizendo que não tenho nada contra jogos de forma genérica ok.

    Tive muitos mas da dó de destravar um game que nucna foi aberto.

    Veja se alguém conhece alguém que venda jogos de psx originais japoneses, de sega saturn tb a preços cmaradas pq no ml jogos a 250 reais fica caro com meu oraçamento apertado (se eu tivesse filhos tava ferrado).

    Também estou precisando da unidade ótica completa do Sega Saturn botões redondos ( não é o primeira versão) por um preço camarada.

    Ta dado o aviso e obrigado mais uma vez.

    Ulisses Old Gamer 78

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 1:43 pm
    Permalink

    @L
    Elucidando o caso “prostituta” eu afirmo com certeza que não é uma prostituta,mas sim um Travesti,observem o ombro direito “dela” é bem musculoso para uma mulher que supostamente é delicada com na imagem.
    Mesmo sendo uma shemale,ela tem um decote maravilhoso…

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 1:59 pm
    Permalink

    Olha, ótimas lembranças vendo esses labels. Que seleção!! Muitos jogos nas locadoras daqui só chegavam nas versões piratas, então a gente teve de aprender a admirar esses labels. Double Dragon e Midnight Resistance que você tem aí, vou oferecer uma nota por eles depois, aguarde meu email 😀

    Brincadeira, eu sei que você não vende nenhum título da Pereba Collection. Queremos post de Midnight Resistance o quanto antes! E Earl Land valerá milhões em alguns anos, coitado de Pier Solar! 😛

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 2:08 pm
    Permalink

    Rapaz, que sorte hein? E ainda por cima tem muito game da hora nessa coleção! Parabéns! =D

    O jogo da capa do Earl Land é o bom e velho Twinsen Odissey, para MS-DOS e Win95. Era um jogão de adventure e ação para PCs, joguei muito esse aí!

    Agora, o Double Dragon que vc ganhou é o Double Dragon II? O Mega tem um Double Dragon II, e deve ser bem raro já que foi lançado no Japão…

    Abraços

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 3:00 pm
    Permalink

    @Adinan

    Double Dragon II do Mega não é tão raro assim… No lugar onde comprei o meu, tinha mais uns dois iguais. Uma pena que a conversão é porquinha, com framerate instável e muita lentidão… Não lembra em nada a conversão do primeiro Double Dragon, esse sim muito bom e bem fiel ao arcade.

    Abraços

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 3:11 pm
    Permalink

    @Man On The Edge
    Ou isso ou sobe para algum imageshack da vida e posta o link aqui, é só para compartilhar com a rapaziada.

    @Daniel Paes Cuter
    Só Starflight e Sonic. Comprei Quackshot, ToeJam e Sonic originais completos a preço de banana, mas revendi tudo por um preço bacana mas não abusivo. A ideia é usar a grana dos originais para comprar vários pereba-like.

    ^_^ HERESIA! ^_^

    Mantive só o Sonic (que, aliás, esqueci de citar no post). Esse meio que tem um valor histórico, gosto de ter o original.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 4:27 pm
    Permalink

    Parabéns Gagá! Recebeu uma bolada de jogos aí meu velho… Boa sorte aí pra vc (vai q tem jogos que não funcionam…).
    E um dos q vc mostrou na foto eu tive na época do meu (entre 95 e 96), o 5 in 1 com o Top Gear 2 (esse aí vc troca de jogo resetando o console xD).
    Os jogos q eu tive na época (que foram pro limbo):
    1-) 5 in 1 (esse do Top Gear 2, Sonic, Ms Pacman);
    2-) Jurassic Park (pirata);
    3-) 6-pak vol.2 (seis clássicos do mega – original);
    4-) Kid Chameleon (pirata, travava se vc usasse o código de pular pra última fase);
    5-) Ayrton Senna’s Super Monaco GP 2 (pirata);
    6-) Super Thunder Blade (original);
    7-) Street Fighter 2 Plus (original, o burro aqui trocou por um MK pirata e depois por um Samurai Shodown tbm de tapa-olho);
    😎 Sonic 2 (original);
    Acho q devo ter tido mais jogos, mas não lembro (época legal de ir nas locadoras, alugar na Sexta e devolver só na Segunda).

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 5:00 pm
    Permalink

    E o Gagá continua sendo o Filho de uma égua mais sortudo da BERG.

    Nos meus dois anos e meio de “Gameretrô” nunca recebi nada dos meus leitores. Tudo bem que as atualizações no blog vinham de vez em nunca e, por conta disso, eu só tinha dois leitores, mas mesmo assim é digno de sentir inveja…=D

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 5:42 pm
    Permalink

    Sessenta jogos de uma só vez? Queria ter amigos assim, que me doassem tantos cartuchos do meu amado Mega Drive.
    Ainda que, por preços módicos, todos meus 55 cartuchos eu tive que correr atrás! E eu achava que tinha sorte com jogos… vi que não passo de sou um amador depois desta. Rss!
    Estou aguardando pelos posts dos jogos, hein? Que tal um “Pereba’s Review”, hein?
    Até mais!

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 6:11 pm
    Permalink

    Man On The Edge :

    Olhem aí o meu Double Dragon II do Mega híbrido com SF Alpha…

    http://i140.photobucket.com/albums/r27/r_hayama/DSC02017.jpg

    Abraços

    Nossa, pior impossível!!!

    Roberto Stelling :

    Achei! Achei a label piratona do Fantasia!

    http://i1196.photobucket.com/albums/aa417/phalanx0047/bigPhoto_0.jpg

    Não, peraí, é possível sim, esse é pior ainda! ^_^

    Gente, eu tenho que arrumar um desses, he he…

    Vike :

    Acho que também vou criar um blog e tal, ficar recebendo uns 70 jogos assim, vida difícil.

    Olha, eu não posso fazer isso porque sou casado, mas se eu fosse você montava um blog sobre a Playboy. Pense só nos presentes que você pode ganhar!!!

    Erik Serra :
    Época legal de ir nas locadoras, alugar na Sexta e devolver só na Segunda.

    Ô, nem me fale! E quando a gente zerava um jogo e só faltavam dez minutos para a locadora fechar? Era uma corrida alucinada para devolver o jogo e alugar outro.

    Adney Luis :
    Tudo bem que as atualizações no blog vinham de vez em nunca e, por conta disso, eu só tinha dois leitores, mas mesmo assim é digno de sentir inveja…=D

    E eu era um desses dois leitores, he he… quem era o outro? Você? 🙂

    @Douglas Deiró
    Bom, talvez seus amigos nunca tenham te dado jogos, mas eu conheço muita gente que teve seus jogos ROUBADOS pelos “amigos”, então talvez você não esteja tão mal assim ^_^

    @Iceman
    Putz, eu adorava Power Athlete (Power Moves)! Não lembro direito o motivo, mas acho que tinha um lance lá de evoluir os lutadores que me deixava empolgadíssimo.

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

  • 03/08/2011 em 6:55 pm
    Permalink

    Fighting Masters… eu tive um na era áurea do Mega e, em 2006, quando comprei outro e iniciei minha coleção, comprei outro cartucho. E, nas duas vezes, o cartucho eram iguaizinhos… e idêntico ao que o Gágá mostrou aí. O lable tem o mesmo corte e tudo. Será que foram da mesma tiragem? Rss!
    Me lembro como se fosse outro. Era início de 1992 e ainda tinha um Master System (o primeirão) e o Mega Drive bombava. Logo mais, o Super Nes ganharia sua versão de Street Fighter 2 e, um monte de gente, migrou do 16 bits da Sega para o da Nintendo só por esse jogo.
    Eu, viria a ganhar um “Megão” só no meio deste ano e todos esses que mudaram de sistema pensando em “dar Radoukens e Sonic Booms” me chamavam de doido por não quer um Super NES.
    Eu, gostava mais da gama de jogos do Mega, sempre a achei melhor e não ia comprar um console que só tinha de bom (para mim) o Street Fighter. E mais, como a briga entre Sega e Nintendo estava começando a pegar fogo nesta época, era questão de tempo para sair uma versão para o Mega Drive também… eu contava com isso e aconteceu.
    E onde entra o Fighting Masters nesta história?
    Pois bem… uma antiga revista chamada Supergame, que era voltada para os consoles da Sega, deu capa para este jogo de luta da Treco Corp. com a seguinte pergunta: “Fighting Masters – É melhor que Street Fighter 2?”. Fizeram uma série de comparações e, por mais que tentassem não transparecer, queriam passar a idéia que era sim melhor, com ênfase no número maior de personagens selecionáveis.
    Em parte, eles conseguiram convencer os leitores, pelo menos, até estes colocarem o dito cujo no slot do console. Fighting Masters era uma bosta! Eu ficaria listando as “qualidades” dele mas, por pior que ele seja, foi meu segundo cartucho de Mega Drive (o primeiro foi Road Rash). O cara que trouxe meu Mega Drive do Paraguai sob encomenda, estava com os dois jogos listados acima. Peguei logo, e sem pensar, o fodaço Road Rash.
    Passou cerca de três ou quatro meses, tinha vendido um dos meus cartuchos de Master System (o Double Dragon) e voltei na casa desse cara para encomendar o Batman (o da Sunsoft, e baseado no filme de 1989) só queele não iria no Paraguai naquele mês. Ele disse que ainda tinha um cartucho que não tinha conseguido vender, justamente o famigerado Fighting Masters.
    Mesmo eu fazendo uma cara que não estava muito interessado, ele insistiu: “Me dê o valor que paguei lá no Paraguai, 10 Dólares” (não me recordo quanto dava isto em nossa moeda da época). Aí, eu peguei o jogo.
    Cheguei em casa, liguei só pra testar e continuei detonando o Road Rash (porque será, né? Rss!).
    Aí, resolvi dar uma chance para esse jogo, o Fighting Masters, que já estava famoso graças à Supergame (se bobear, só ficou famoso aqui no Brasil por conta disto). Quando me dei conta, já estava jogando ele… sem parar e não demorando muito para concluí-lo com todos os lutadores.
    E, vocês acham que, mesmo após ter esgotado todas as possibilidades de jogo, mesmo sem ter finais diferentes por personagens, mesmo jogando no Hard (sem mudança alguma de fato), eu parei? Não! Eu jogava esse joguinho mequetrefe sem parar. Essa foi minha única vez que me “viciei em drogas”… gostava de jogar Fighting Masters. Rss!
    Demorou para me desvencilhar dele… vieram o já citado Deadly Moves (Power Athlete ou ainda Power Moves), Fatal Fury, Mortal Kombat e, enfim, o Street Fighter 2 (entre outros depois) e me vi livre do Fightting Masters.
    Mas, em 1998 (com emuladores no PC que tinha ganhado) e em 2006 (quando comprei outro Mega), Fighting Masters voltou a me “perturbar”… joguinho filho da puta é este que assombra minha vida! Rss!
    Até mais (e me desculpem pelo post longo, ok?).

      [Citar este comentário]  [Responder a este comentário]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.