Pendências de fim de ano do Gagá

Eu ia encerrar 2012 aqui no Gagá Games com aquele dramático post de despedida (meu agente disse que tenho boas chances para o Oscar), mas cheguei à conclusão de que seria uma boa ideia amarrar algumas pontas soltas antes… coisas que esqueci de dizer, sabem como é. Então, vou juntar tudo aqui neste post para poder entrar em 2013 sem pendências.

Para quem tem saudades de Ninja Gaiden: Oniken

Acredito que a maioria de vocês já tenha ao menos ouvido falar no Oniken. Este joguinho indie, feito pelos talentosíssimos brasileiros Danilo Dias e Pedro Paiva, teve bastante destaque na mídia. Eu mesmo comentei bastante sobre ele nos meus tempos de Twitter, enquanto o jogo ainda estava em desenvolvimento.

Acontece que há váaaarios meses o Danilo me mandou o jogo de presente, sem cobrar reviews nem nada, só na base da gentileza mesmo. Eu agradeci, joguei um bocado por dias e pensei: “vou fazer um post”. E esse papo de “vou fazer” se estendeu por meses, chegamos ao fim do ano, ao “fim do blog”, e nada do meu comentário sobre o jogo. Isso se deve aos motivos que já mencionei: há meses estou sem pique de fazer posts etc etc etc. Mas seria muito injusto não escrever uma palavrinhas sobre o jogo aqui.

Oniken é uma delícia para os fãs de Ninja Gaiden, lá dos tempos do NES. Nosso herói usa uma espadinha marota e sai arrancando cabeças, pilotando veículos bacanudos e explodindo tudo numa fúria ensandecida. Se a fórmula não é original, a execução impressiona, mostrando um alto nível de profissionalismo. Seria fácil Oniken rolar na nostalgia e apresentar um produto meio toscão, mas a realidade é outra e o jogo chuta todas as bundas do universo.

A dificuldade oscila entre o mediano e o difícil (aquele maldito chefe-cobra me deu um trabalho dos infernos), os comandos respondem perfeitamente e o jogo é bem veloz. Aliás, o pique do jogo é digno de muitos elogios, a ação não para. As ceninhas entre as fases são abundantes e muito bem feitas, fazendo claras referências aos anos 80 sem, no entanto, apelar para o caricato. É mesmo uma grata surpresa, e eu recomendo muitíssimo à turminha retrogamer que despeje alguns poucos reais para comprá-lo e ter um bocado de diversão nas férias. Obrigado ao Danilo pelo presente, e perdoe não ter feito um review decente!

SITE OFICIAL

Para quem quer ler muito: Old!Gamer

Esqueci de escrever isto no meu post anterior…

Bom, a notícia ruim é que também estou dando um tempo lá na Old!Gamer. Os motivos são os mesmos que dei no outro post: falta de tempo, vontade de me dedicar a outras coisas, prazer que começa a virar obrigação etc etc. Por isso tudo, avisei ao prezadíssimo Humberto Martinez, redator da Old!Gamer, que não contasse comigo nas próximas edições.

Como o Humberto é um cara totalmente sensacional, disse que as portas estão abertas para quando eu quiser voltar. Aprendi um bocado de coisas com ele nas matérias que escrevi para a revista, e sou muito muito muito grato pela oportunidade que ele me deu. Quem sabe um dia eu não me empolgo e volto a escrever lá, né?

A boa notícia é que a revista parece mesmo ter entrado nos eixos. Novas edições já saem com frequência, e parece que finalmente a revista conseguiu uma equipe fixa. O Alexei Barros já vinha trabalhando duríssimo nas últimas edições; agora, entraram o Rafa do Passagem Secreta e o Eric do Cosmic Effect. Ambos começaram com o pé direito, e tudo aponta para um futuro brilhante para a revista.

A última edição chegou aqui em casa outro dia e eu adorei o que vi. Para começo de conversa, o Alexei escreveu uma matéria extraordinária sobre Castlevania: Symphony of the Night. São MUITAS páginas, o negócio é um dossiê completíssimo, entupido de informações interessantes. Fãs da série não podem perder nem por decreto, é um trabalho belíssimo do qual o Alexei pode se orgulhar. Já o Rafa soltou a ótima matéria “Pixels no palco” sobre bandas que aparecem em jogos. A Old sempre tentou trazer um pouco de humor para suas páginas, mas nunca conseguiu atingir o ponto ideal entre o informativo e o divertido. Pois eu acho que agora o Rafa acertou na mosca, e torço para que ele continue soltando matérias assim.

Já o Eric não pintou nesta edição, mas estreou na anterior fazendo dobradinha comigo no texto sobre Diablo e com matéria própria sobre BioForge. Ele tomou fôlego nesta edição, mas volta na próxima edição com uma matéria sobre… não posso contar ^_^

Eu gostei de todas as edições da Old até agora, mas achei que a revista estava perdendo um pouco a identidade ultimamente. Felizmente, parece que nossa querida Old ganhou alma nova, e vale a pena ficar de olho. Aliás, não esqueçam que agora dá até para assinar a revista, e sai bem mais em conta!

Para quem ama seus piratões: SEGA Pereba Collection UPDATE!

Já faz um tempo que não conto para vocês sobre a minha estimada Pereba Collection. Mas se vocês pensam que a minha bizarra coleção de jogos piratas e incompletos de Mega Drive morreu, estão muito enganados!

Os labels dos cartuchos piratas são muito irregulares, e era meio difícil encontrar o cartucho que eu procurava às vezes. Como os cartuchos são todos toscões mesmo, que mal faria eu colar umas etiquetas neles, certo? Comprei umas cartelinhas da Pimaco, arranjei contact para protegê-las e…

Morra de inveja, dono de cartuchos originais que não pode colar etiquetas bacanas neles para não estragar o label original! Onde está seu deus agora?

Cada cartucho ganhou um código e um título resumido com sete letras, que nem nos tempos do DOS. É como meu sogro diz, a gente tem que saber enfeitar a vida.

Para quem quer um vídeo nostálgico: games e metal, juntos!

Um camarada me mandou este vídeo há meses e eu achei ótimo… tá aí para vocês curtirem também.

Ótimo vídeo, Erik, adoro ver gente que fala de maneira apaixonada sobre as coisas que curte. Valeu por mandar!

Para quem quer me adicionar: gamertag!

Minha tag na LIVE do Xbox é OrakioRob. Quem quiser fazer o favor de me adicionar para eu não me sentir sozinho e triste, eu agradeço! ^_^

Vale lembrar também que volta e meia devo postar sobre minhas aventuras com o Xbox lá no Cosmic Effect! Para quem não leu, aqui está o post onde conto que comprei um Xbox 360.

E também estou no Steam, crianças!

Para que quer fazer parcerias com o Gagá Games: um abraço

Sorry, kids, não vou mais atualizar a lista de parceiros!

Se eu não responder aos emails pedindo parceria, vamos combinar o seguinte: vocês me perdoam pela falta de tempo para responder e eu perdoo vocês pela pilantragem de não terem lido o post do cara para o qual pediram a parceira, ok? ^_^

Para quem teve um ano difícil: Carlos Drummond de Andrade

Uma breve homenagem do Gagá Games a um amigo que levou um baita golpe neste fim de ano:

Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,

a que se deu o nome de ano,

foi um indivíduo genial.

 

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra

vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente

— Carlos Drummond de Andrade

Religiosos ou ateus, tenham fé em 2013, senhores! Um feliz ano novo para todos! Agora com licença que tenho que ir jogar Skyrim…

*desviando dos tomates*

About Orakio Rob, "O Gagá"

Dono do império corporativo Gagá Games, o velho Gagá adora falar sobre si mesmo em terceira pessoa. E sim, é ele mesmo que está escrevendo este texto.