Toki: tem acarajé na volta do macaco cuspidor?

tokiO filho de uma baiana porreta com um norte-americano. O irmão gêmeo desse cara. Dois programadores que trabalharam em Crash Bandicoot e Urban Strike e perderam o emprego. Esse elenco de estrelas representa 60% da equipe francesa por trás do remake do clássico Toki, jogo de fliperama que estrelava um macaco cuspidor e fez muito sucesso nos anos 80. Tá, eu sei que é redundante dizer isso, um jogo em que um homem é transformado em um macaco cuspidor e tem que salvar a namorada só poderia mesmo ter feito sucesso nos anos 80.

O recém-formado estúdio Golgoth teve a ideia de fazer o remake em alta-definição do jogo para o XBLA e para o PC. Para ser franco, não sei se o fundador desse time de apenas seis integrantes é ou não filho de baiana com gringo, mas é o que a gente pensa quando lê o nome Anthony de Sa Ferreira. Some aos quatro integrantes já descritos o designer principal da versão de Toki para o Amiga e o sound designer, que é o único que parece ter “ficha limpa”.

toki-abertura_complexa

... e isso resume a complexa trama de "Toki".

Brincadeiras à parte, o remake tem tudo para dar certo. O jogo original é só diversão — e alguma frustração para quem jogava no fliperama, pois tinha vários momentos papa-fichas. Dava para perder as três vidas que cada ficha proporcionava em menos de um minuto em determinados trechos, e os chefes eram especialmente cruéis…

O principal obstáculo para a criação do remake foi a licença. Todas as empresas que tinham alguma participação na licença já partiram desta para melhor. Sa Ferreira descobriu que a Data East havia vendido várias licenças de jogos para empresas xing-ling no fiofó da Ásia, e depois de muito investigar conseguiu garantir a licença do jogo e de mais alguns outros no processo — e faz mistério, prometendo remake de outro clássico ainda não anunciado da Data East.

Se você nunca jogou Toki, pode dar suas partidinhas no Mame ou curtir as versões para Nes, Mega Drive, Lynx e muitas outras plataformas no seu emulador favorito. Eu garanto que você vai se divertir, o jogo é uma delícia. Eu, pelo menos, tenho uma queda por jogos em que você mata inimigos e eles viram moedas. Pena que são só os pássaros, eu queria que todos virassem moedas, é tão divertido…

Bom, é isso aí. O remake seguiu para aprovação da Microsoft. Vamos torcer para que seja aprovado. Aí eu vou fazer amizade com alguém que tenha um Xbox360 e passar a semana inteira infernizando o sujeito (não pode ser mulher, minha esposa não deixa). Curtam aí o vídeo e digam o que vocês estão achando.

Quem se interessar, pode acompanhar o blog dos desenvolvedores ou conferir a entrevista que o fundador do estúdio deu ao Gamasutra (de onde eu afanei boa parte das informações deste post).

About Orakio Rob, "O Gagá"

Dono do império corporativo Gagá Games, o velho Gagá adora falar sobre si mesmo em terceira pessoa. E sim, é ele mesmo que está escrevendo este texto.